quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Florinda Resplandes

Florinda Resplandes
Nasceu em 7 de novembro de 1938, em Torixoréu, MT. Faleceu em 21 de agosto de 2013, em Primavera do Leste, MT. Foi sepultada em 22/8/2013, no Cemitério Municipal de Santo Antônio do Leste, MT. Era a matriarca da Família Resplandes.

Uma mensagem pela memória de Tia Florinda

Izaias Resplandes


“Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram” (Rm 12:15). Falamos juntamente com Jó, como membro da Família Resplandes e por todos os amigos da família que “a nossa harpa se tornou em luto, e o nosso órgão em voz dos que choram”. Tia Florinda, com seus quase 75 anos de vida era a mais velha de todos nós. Quando olhávamos para ela, nós víamos vovô João Nortenso e vovó Jorcelina, com quem ela se parecia por demais. Talvez, por ser a filha mais velha, seja a que tenha herdado o maior número de semelhanças com seus pais.
 Florinda com a mãe Jorcelina Carrijo e a irmã Maria Resplandes de Sousa.

Ao pensar na vida de Tia Florinda, me recordo de sua serenidade, de sua delicadeza e fragilidade e de seus sorrisos. Eu gostava muito de conversar com ela; e ela também gostava muito de falar comigo. Acho que tínhamos essa empatia por sermos os mais velhos: ela, a filha mais velha de seus pais; eu, o primeiro neto de meus avós e seu primeiro sobrinho. Sempre falava com ela com muita intimidade, com respeito, mas também sempre com bom humor. Procurava fazer de tudo para vê-la sorrindo. Eu gostava muito do sorriso de Tia Florinda.
 As suas irmãs Maria, Ana, Zulmira, Regina, Dionízia e a mãe Jorcelina.

Quando ela ficou hospitalizada em Poxoréu nesses últimos dias, eu fui ao hospital e conversei ela. Nossos assuntos foram bem poucos. Ela me falava que queria que se fizesse um culto, onde estivesse seus filhos e que se cantasse um hino que dizia “Agora você foi aprovado”. Também falava a toda hora que estava esperando o irmão Ivon dia dez em Santo Antônio do Leste. Nossa conversa praticamente girou em torno disso. Então, já próximo do término do horário da visita eu chamei ela para orarmos. E falamos com Deus sobre ela, sobre sua vida, seu estado de saúde e pedimos a misericórdia do Senhor por ela. Então eu saí, deixando ela serena, procurando não parecer tão fraca, querendo ir embora para casa e preocupada porque eu havia observado que ela não tinha almoçado e que a marmita estava praticamente sem mexer sobre o criado. Ele me perguntava se o médico não iria brigar com ela. Falei que achava que não, mas ela precisava comer, para ficar mais forte. Ela me disse: “agora que está tudo bem com o Louro é que eu devia ficar mais forte e mais animada e eu estou assim”...
 O esposo Laerte Pereira da Luz, o filho Lourivaldo com o neto Luciano, o filho Sabino com a neta Raquel, Florinda e sua mãe Jorcelina.


Já no outro dia em que voltei a vê-la, ela estava internada em Primavera do Leste. Eu também conversei com ela ali, mas já não ouvi as suas preocupações. Falei algumas palavras, não muitas e convidei-a para orar. Eu orei baixo, falando em seu ouvido. Quando terminei a oração, ela abriu os olhos e olhou para mim. Então eu disse que iria embora, mas que antes de ir queria que ela me desse o meu “Deus te abençoe”. E ela balbuciou alguma coisa olhando para mim que entendi como sendo sua resposta. E essa foi a última mensagem de Tia Florinda para mim: “Deus te abençoe!” 
 Com a neta Raquel

Por outro lado, tenho certeza que todos aqui têm algo para lembrar de Tia Florinda. E se lembrem mesmo. Comentem. Falem uns com os outros, sempre, sobre nós e sobre os nossos entes queridos. A gente não deve deixar de falar de nossos familiares quando eles partem para o lar eterno. Devemos guardar as boas lembranças e manter viva a sua memória. Os exemplos de vida de nossos familiares que já partiram sempre servirão de instrução para cada um de nós. Eles serão, junto com os exemplos de vida da Bíblia, aquela multidão de testemunhas de que nos fala Hebreus 12:1, que está a rodear-nos, incentivando-nos a ter a coragem de enfrentar as durezas da vida com firmeza e altivez até o dia em que também partirmos para nos encontrar com Deus. Cf. Mc 14:9.
Com o filho Sabino e a neta Raquel

Durante a vida de uma pessoa, acontece tanta coisa. Algumas boas, outras ruins. Mas é assim mesmo. Nós vivemos buscando o melhor, porque nós temos também o pior para fazermos a comparação. E devemos nos lembrar de tudo. Lembrar das coisas ruins para não repeti-las e das coisas boas para que possamos imitá-las.
 Com os familiares na celebração do último aniversário de sua mãe Jorcelina, que veio a falecer no ano seguinte.

É assim que nós temos muitas coisas para contar sobre nós. E é claro que se formos contar tudo, haja livros... Moisés, em uma de suas orações, por exemplo, pediu a Deus: “Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios”.(Salmos 90:12). Desde que começa cada dia de nossa vida até que o mesmo termina, quanta coisa acontece e que às vezes nós nem nos damos conta. Meus queridos: Deus é muito bom para nós, tanto nessa vida, quanto na outra. Ele cuida de nós de todas as maneiras. Ele coloca tanta gente ao nosso redor para cuidar de nós: familiares, amigos, autoridades... E de Tia Florinda, nós não podemos dizer de forma diferente. Quantas pessoas ao seu redor! Seu esposo Laerte, seus seis filhos Sabino, Vinelci, Valdinei, Donizete, Lourivaldo, Luís; suas noras Lídia, Edinéia, Fátima e Lúcia e seus netos quinze Raquel, Ismael, Geovana, Silas, Paulinho, Rute, Martinha, Daniel, Danila, Luciano, Isabel, Lucas, Larissa, João Luís e Leonardo. Cada um terá muitas e muitas coisas para contar de Tia Florinda e certamente contarão por muitos e muitos anos. E é muito importante que façam isso, para que ela seja sempre lembrada.
Com a mãe Jorcelina e a irmã Eva

Quanto à morte... Por mais que dizemos que estamos preparados para ela, na verdade, nem sempre estamos. Sempre gostaríamos de ficar aqui um pouco mais, para podermos fazer mais alguma coisa pela nossa gente e por nosso povo. Isso não é um problema. O apóstolo Paulo, no final de sua vida disse aos filipenses que embora para ele o morrer fosse ganho, fosse lucro, se o seu viver na carne pudesse dar mais frutos, então ele já não sabia o que devia escolher, se viver na carne e ser útil aos demais, ou se partir para estar com Cristo, o que seria incomparavelmente melhor [Fp 1:21-23].
 As irmãs Regina, Zulmira, Ana, Dionízia, Maria, Eva e a mãe Jorcelina. Ela estava muito feliz ao lado da família.

A morte poderia ser motivo de tristeza para uma pessoa rebelde aos ensinamentos da Palavra de Deus. Mas não era esse o caso de Tia Florinda. Ela era uma das servas amadas do Senhor em Santo Antônio do Leste. Obedecer a Palavra de Deus era coisa muito séria para ela. Como exemplo, cito o seu casamento com Tio Laerte há poucos anos, para que legalizasse a sua convivência de mais de quarenta anos com ele e pudesse assim participar da Ceia do Senhor sem nenhum constrangimento. Nesse sentido, a morte da Tia é a sua passagem para os braços do Senhor, porque é isso que acontece quando os santos morrem. Eles vão, de imediato estar com Cristo. A Bíblia diz que a morte dos santos é preciosa aos olhos de Deus. Cf. At :54-60; Sl 116:15.

A nossa morte aqui representa o fim de um período de dores, tristezas, sofrimentos, angústias, lágrimas e tantas coisas assim. A Tia foi para o Céu. Ali não haverá nada disso. Cf Ap 21:4.
 Com os sobrinhos Izaias Resplandes e Samantha

Além disso, para que nós nos consolemos e não fiquemos tristes mais do que o necessário, vamos recordar as palavras de Jesus em São João 14:1-3 “Não se turbe o vosso coração, credes em Deus, crede também em mim... E quando eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também”. Jesus virá outra vez aqui neste mundo para buscar o seu povo, para que todos nós, de todos os tempos e épocas, estejamos juntos com ele. Tia Florinda já foi. Em breve nós também iremos nos reunir a ela. E então seremos felizes para sempre, concluindo a nossa história de vida.]
 Em pé as irmãs Maria, Ana e Dionízia. Sentados ao seu lado, o sobrinho Izaias Resplandes e a irmã Zulmira.

Essa é a mensagem que fazemos por Tia Florinda. Ela gostaria que fosse feito um culto aqui, com seu filhos presentes. Não pode estar presente em vida, mas fazemos esse culto em sua memória. Talvez Deus a tenha levado para que sua última mensagem cause mais impacto entre nós. 

Com familiares em Rio dos Crentes, no aniversário de 50 anos de seu primeiro sobrinho Izaias Resplandes

Era seu desejo ver toda a sua família na Igreja, servindo ao Senhor, pois como toda mãe, com certeza ela gostaria de dizer as palavras de Josué 24:15 “Escolhei hoje a quem sirvais. Eu e minha casa serviremos ao Senhor”.

 Ao lado das irmãs Dionízia e Ana; à direita seu cunhado "Dó", esposo de Ana.

É desejo de Deus, manifesto em sua Palavra, que todas as pessoas cheguem ao arrependimento e sejam salvos por intermédio do sacrifício de seu Filho Jesus, o qual ele enviou ao mundo para que levasse sobre si, com sua morte, o castigo que pesava sobre nós. 

Com a prima Evaneide, a neta Raquel e primos Laura, Gilmar e Andrique.

Deus prova o seu amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Que possamos pensar nessas palavras, que possamos pensar no desejo de Deus e de Jesus em nos ter ao seu lado nos céus, que possamos pensar nos desejos de Tia Florinda e que possamos corrigir os nossos passos para que possamos todos juntos sermos um em Cristo Jesus.
Que o Senhor nos abençoe, nos ampare em nossas tristezas e nos console pela separação temporária que hoje fazemos de Tia Florinda. Amém.
 

3 comentários:

Zigomar disse...

Eu e minha família tivemos a oportunidade rica de conhecer esta pessoa maravilhosa que foi a irmã Florinda e até almoçamos em sua casa. Lembro-me do episódio em que fomos falar com ela a cerca do casamento. Eu fui preparado por alguns irmãos de que ela iria reagir com dureza e não iria aceitar de maneira nenhuma a ideia de se casar no cartório. Chegamos em sua casa, ela estava sentada debaixo daquela figueira na frente de sua casa com um olhar bastante desconfiado e pronta para uma resposta rápida. Quando entrei no assunto do casamento, bem direto,ela fez uma pose e respondeu: "o que a gente precisa pra fazer isso? Eu vou me casar sim". Fiquei admirado daquela decisão porque o que tinha ouvido era que ela era uma pessoa dura e teimosa. Mas não era nada disso. Ficamos todos contentes com aquela decisão, principalmente o irmão Laerte. O irmão Edivaldo já adiantou que providenciaria tudo para o casamento em Primavera e assim ficou resolvido. Que o Senhor console os corações dos enlutados, principalmente o do irmão Laerte que já é fraco, para que supere no Senhor a passagem de sua esposa para a glória.

Isa2 e Rô disse...

Antes de entrar na U.M.N.T. fui conhecer este casal com o irmão Erasmo Mendes. Era o início da decáda de 80, no lugar chamado Corgão. As estradas eram ruins e não haviam ponte, nem asfalto e sim um areião violento no meio do cerrado. Nós enfrentamos isso naquele meu fusca azul. Gostei deles. Mantive uma grande amizade com o casal, Florinda e Laerte.
Que este Blog leve nosso sentimento a toda família RESPLANDES pela morte da nossa querida irmã Florinda. isa2 e Rô

Ivon Pereira da Silva disse...

Eu a conheci em diversos momento da minha vida espiritual, e em todos eles sempre guardo agradáveis lembranças.
Aos familiares ficam o exemplo e a nós que tivemos pouco tempo de convivemos a dor da ausência.