sábado, 31 de dezembro de 2016

Sementes de Solidariedade

Sementes de solidariedade

Izaias Resplandes de Sousa

Muitos dirão que estamos tendo ou que tivemos um ano difícil. Outros dirão o contrário. Todos podem estar certos, ou não! Já aprendemos em Física que isso ou aquilo depende do ponto de referência. Interessante propaganda do Banco Itaú, em 2016, traz a seguinte mensagem: “o segredo do tempo não está nas horas que passam; está nos momentos que ficam, porque são eles que vão contar a sua história”. Com certeza, todos já tivemos muitos problemas e muitas preocupações, mas não devemos vamos fazer culto aos problemas que já tivemos, porque o que importa mesmo são as soluções que ficaram, às quais jamais devemos esquecer.
Comecei 2016 enfrentando e vencendo o desafio de realizar uma segunda cirurgia neurológica em Ricardo, e estou terminando o ano cantando um hino de vitória, pela campanha bem sucedida, em prol da realização de uma cirurgia renal em Kárita. Muitos de meus amigos e familiares compartilharam comigo as angústias, mas, principalmente, as alegrias decorrentes desses dois momentos que tiveram grande destaque para nós. Mas haveremos de esquecer logo esses problemas, se Deus quiser. A vida continua. E há tanta coisa boa que deverá acontecer em nossas vidas, que não vale a pena ficar remoendo as dores que esperamos não sofrer de novo. Agora, a forma como esses problemas foram resolvidos, isso, sim! Vale a pena lembrar de novo e sempre. De novo e sempre! E sempre!
Quem é Ricardo e quem é Kárita, isso, com certeza é o que menos importa no contexto dessa mensagem, para a qual eles são apenas dois nomes que protagonizam a nossa história, que não é singular, haja vista as tantas e tantas que outros poderão contar e que guardam muitas semelhanças. É de destacar que, nas duas situações que registramos o que vai ficar em nossa memória é a história de amor, de bondade, de misericórdia e de solidariedade que tantos tiveram ao estenderem suas mãos para eles, sem mesmo saber quem eram esses dois meninos. Uns fizeram porque eram seus afins. Outros, porque eram amigos desses afins. E outros porque souberam da necessidade e quiseram ajudar. Jesus disse em seu sermão do monte, o seguinte: Quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita; Mateus 6:3.
O mais importante em um ato de amor não é o nome da pessoa, mas a ação que está sendo realizada. Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo. Lucas 6:38.
Quem conhece o amanhã? Quem sabe como será o seu futuro? O nosso tempo de vida deve ser o tempo da construção de alianças, de apoios, de parcerias. Hoje é alguém, mas amanhã você poderá ser esse alguém. O sábio escritor do Eclesiastes diz assim: Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás. Reparte com sete, e ainda até com oito, porque não sabes que mal haverá sobre a terra. Eclesiastes 11:1, 2.
Quando a gente faz pelo outro, na verdade é como se estivéssemos plantando sementes de solidariedade que, mais cedo ou mais tarde vão germinar e produzir frutos para nós saciarmos as nossas necessidades. Certa vez fizeram uma pergunta muito interessante a Jesus, mas ainda mais interessante foi a resposta que Ele deu. Essa é a história:
Eis que se levantou um certo doutor da lei, tentando-o, e dizendo: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? E ele lhe disse: Que está escrito na lei? Como lês? E, respondendo ele, disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo. E disse-lhe: Respondeste bem; faze isso, e viverás. Ele, porém, querendo justificar-se a si mesmo, disse a Jesus: E quem é o meu próximo? E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram, e espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto. E, ocasionalmente descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e, vendo-o, passou de largo. E de igual modo também um levita, chegando àquele lugar, e, vendo-o, passou de largo. Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou ao pé dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão; E, aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando-lhes azeite e vinho; e, pondo-o sobre o seu animal, levou-o para uma estalagem, e cuidou dele; E, partindo no outro dia, tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro, e disse-lhe: Cuida dele; e tudo o que de mais gastares eu to pagarei quando voltar. Qual, pois, destes três te parece que foi o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores? E ele disse: O que usou de misericórdia para com ele. Disse, pois, Jesus: Vai, e faze da mesma maneira. Lucas 10:25-37.
Todos nós entendemos que os outros precisam ser sensibilizados com relação aos nossos problemas, mas nem sempre nós nos preocupamos com os problemas dos outros. E quando não somos socorridos, nós falamos muito sobre a falta de amor que há no mundo, mas não achamos demais quando fechamos a mão aos pedidos de outros e quando dizemos à meia-boca ou de boca cheia mesmo que não temos condições de ajudar, que já estamos sobrecarregados de problemas e que nós mesmos é que estamos precisando de socorro. Normalmente, nessas circunstâncias é costume ouvirmos do outro dizer que vai orar por nós ou por quem nós estamos pedindo ajuda. Isso nem sempre resolve, porque Deus não faz aquilo que nós podemos fazer, mas, certamente, durante nossas orações, Ele poderá mover os nossos corações endurecidos para que possamos ter compaixão de quem está nos pedindo ajuda. Tiago escreve algo com relação a isso, da seguinte forma:
Assim falai, e assim procedei, como devendo ser julgados pela lei da liberdade. Porque o juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia; e a misericórdia triunfa do juízo. Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo? E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. Tiago 2:12-17.
Às vezes nós pensamos que para ajudar alguém é preciso ter muito e a ajuda tem que ser de grande monta. Na verdade, temos que entender isso um pouco melhor. O primeiro quesito para ajudar é o querer. Assim diz Paulo: Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria. 2 Coríntios 9:7.
Vejamos essa história:
Certa vez, no Templo, “estando Jesus assentado defronte da arca do tesouro, observava a maneira como a multidão lançava o dinheiro na arca do tesouro; e muitos ricos deitavam muito. Vindo, porém, uma pobre viúva, deitou duas pequenas moedas, que valiam meio centavo. E, chamando os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta pobre viúva deitou mais do que todos os que deitaram na arca do tesouro; Porque todos ali deitaram do que lhes sobejava, mas esta, da sua pobreza, deitou tudo o que tinha, todo o seu sustento”. Marcos 12:41-44.
Que atitude maravilhosa a dessa pobre viúva! Quantas vezes nós dizemos não, não tenho, não temos, não posso àquele que nos pede ajuda. Outras tantas nós lembramos ao pedinte que já estamos ajudando outras pessoas... Meus queridos! Eu quero dizer que a desculpa é o que menos interessa nessa mensagem, porque eu acredito que se quisermos, sempre poderemos ajudar. Doar muito ou pouco é outra história. O importante é não sermos totalmente insensíveis. Tem muita gente que acha que a melhor maneira dele ajudar é pedindo a outras pessoas para ajudarem. Não deixa de ser uma ajuda importante, mas quem pede aos outros para fazerem alguma coisa, deve começar dando o exemplo e fazendo o mesmo. Duas moedas ou dois mil? Isso fará pouca diferença! Toda ajuda sempre será válida. Mas o que fará diferença será a atitude de cada um. Deus ama ao que dá com alegria e todos os que recebem, alegremente agradecem.
Essa é a mensagem que Deus colocou em meu coração no dia de hoje. Meu desejo ao fazê-la é que cada palavra dita e cada letra escrita sejam como sementes plantadas em seu coração e em sua mente. E que essas sementes venham germinar em atitudes de solidariedade de todos nós para com todos os demais.
Que Deus nos abençoe e nos dê um campo fértil e produtivo ao longo de nossos dias de vida. Amém!

Missionários agradecem apoio recebido em 2016

video

“Então é Ano Novo..."

Sem frases feitas, sem refrães repetitivos, enfim, sem clichê!!
Vamos navegar na realidade e reconhecer que realmente não é fácil. Não é fácil viver aqui. Não é fácil conviver. Falamos e não sentimos. Falamos e não fazemos. Falamos e não vivemos. Pensamos e não dizemos. Vemos e não enxergamos.
Amar o próximo?
Amamos de longe. Amamos através de WhatsApp, pelo facebook, amamos pela televisão e não amamos aquele que senta no sofá ao nosso lado. Não conseguimos tolerar seus defeitos, suas imperfeições, suas chatices.
Choramos com as notícias, com as catástrofes, com as tragédias lá de longe. Emocionamos com os finais felizes dos filmes, das novelas, mas não nos emocionamos, não choramos por ele, pelo próximo, aquele que está ao nosso lado, não nos jornais ou na televisão. Não percebemos as suas “deficiências”, não percebemos que ele ainda está “incompleto”, assim como nós. Mas, percebemos, pontuamos e expomos os seus defeitos, percebemos aquelas particularidades que nos incomodam. Não conseguimos enxergar que ele, esse próximo que está sentado ao nosso lado tem defeitos, mas também tem muitas qualidades. Tem imperfeições, mas também, tem lutas e está buscando essa perfeição. Olhamos para o defeito do próximo, exigimos perfeição do outro, mas, não olhamos para o espelho.
Eu preciso me olhar mais no espelho.
Enfim erramos o tempo todo. Eu erro o tempo todo.
“Que seja feliz quem souber o que é o bem”
Quem souber???? Não basta saber, tem que FAZER.
Que seja feliz quem FIZER o bem! 

Como é difícil fazer o bem! É contra a nossa natureza. A Bíblia diz que o ser humano é mau desde a sua meninice.

“O ano 2016, o que a gente fez?”


Eu? Praticamente não fiz quase nada.
“O ano termina, e nasce outra vez”
Glória a Deus por isso. Glória a Deus que o Senhor me deu mais uma manhã, mais um dia, mais uma oportunidade para eu buscar viver conforme a vontade Dele. Mais uma oportunidade para eu deixar o Espírito Santo administrar minha vida (o que não é nada fácil, pois a carne milita contra o Espírito. Tenho que realmente estar em comunhão com o Senhor). Mais uma oportunidade de me  arrepender dos meus pecados (pecado: tudo aquilo que pensamos, fazemos e falamos que não agrada a Deus) e pedir perdão e buscar não errar novamente.
Ah...se eu não tivesse esse Deus, esse Senhor que me espera, que me perdoa, que me olha com carinho, que me abraça e sempre tem um olhar de Pai, um olhar de aconchego. E me diz: "Eu te amo. Vai ficar tudo bem.
O Ano Novo?
Será feliz quem tiver comunhão com Deus...relacionamento. (Isso não se resume em ir aos cultos ou a missa)
Será feliz quem aceitar o sacrifício de Jesus Cristo na cruz e O aceitar como Senhor (Senhor: aquele que tem autoridade como rei, dono, proprietário) e Salvador (Aquele que morreu para me dar vida e vida eterna. Aquele que pagou o preço e que me faz livre. Aquele que me fez herdeira, que me faz cidadã do céu).
Ceila Almeida Varela
Adicionar legenda

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Clamemos por mais missionários

O casal de missionários da UMNT, Eliezer e Oilda Medina, reside em Assunção, capital do Paraguai.
A casa deles é ali, mas, constantemente viajam pelo país dando estudos, realizando batismos,  participando em acampamentos e retiros e também ministrando cursos para a liderança do Paraguai.

Seus companheiros de missão, o missionário José Gomez Duré e sua esposa Sérgia, devido a idade já não podem visitar o interior do Paraguai. 
 Contudo, o casal de missionários continua ativo, em Assunção,
ensinando a igreja local.
 José Gomez Duré e Sérgia na comemoração dos seus 80 anos.

Em Piribebuy, onde se realiza os acampamentos de janeiro. Eles estiveram a frente do Acampamento no Paraguai durante 50 anos, sem faltar nenhum ano. Louvamos ao Senhor por suas vidas!


Costa Clavel

 A missionária Oilda, sempre alegre, ensinando os pequenos.

Curso ministrado pelo missionário Eliezer Medina em várias partes do Paraguai.





Literatura para a edificação dos irmãos.
Batismo


Como seria bom se todos os irmãos clamassem a Deus para que tenhamos mais missionários como eles!
Precisamos de missionários no Paraguai, Argentina, Brasil, Bolívia, México, Uruguai, Estados Unidos e muitos outros lugares...

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Batismos

 O dia 18 de dezembro foi um domingo diferente em algumas igrejas Neotestamentárias do Brasil. Em Campo Grande MS, houve batismo em duas igrejas:

Na igreja da Vila Planalto, às 8 horas e 30 minutos,  na presença de 120 pessoas acontecia o batismo de sete irmãos.

Em pé: Pr. Nanao Yamamoto com o irmão que desceu ao batismo, Eudes Ferreira(31) Pr. Júlio Alt Viveros,  Paulo Pereira Dias Neto (30)  e Pr. Delcio Vesenick
Larissa  Ornelas de Lima (15), Marly Aparecida (47), Halannah Nunes Morinigo Ferreira (26),  Estefani Ornelas de Lima (17) e Letícia Ester Ornelas de Lima  (19)                    
                   
                     
 Irmão Paulo Pereira Dias Neto, tendo sua experiência de passar pela água do batismo.
 A felicidade do casal batizado Eudes e Halannah com filho Filipe.

 As três irmãs com a mãe Vanessa (blusa escura) no culto de batismo:
Letícia Ester, Estefani e Larissa  Ornelas de Lima,     

Na Igreja Vila Kellen, a Rua Pastor Virgílio Farias, no culto da noite, quatro irmãos desceram as águas do Batismo.
 A Igreja em clima de festa por este acontecimento se regozijava.
Ivando Luiz Perin (38)

 Nilze Maria Ferreira (43)
 Giovana Larson Tomicha (13)

Angela Josefa de Freitas de Aurio (78)

 O Pr. Nilmar Pereira e
o irmão Dario Fabian Cisneiro
com os irmãos que batizaram:
Ivando,  Nilze,  Giovana, Angela.


Na Igreja de Rondonópolis,MT também teve batismo dos seguintes irmãos:
Eduardo José de Oliveira Miranda (15), Joana Medeiros Lomeu (14), Júlia Oliveira Alves (15), Gessy Cardoso Santos (15), Jônatas Medeiros Lomeu (12), Isaac Oliveira Alves (12) e Altivo William Rocha dos Santos (14).
À esquerda temos o missionário Paulo César de Moraes e o  Pr. Sebastião dos Santos e à direita o Pr. Juscelino Alves de Jesus.
 
No domingo, dia 25, na região de  Barreirinha,AM
aconteceu o batismo das jovens
 Fátima Chiara de Oliveira Lima(14), Julielza Alfaia de Carvalho(20) e Alcenira  Alfaia de Carvalho(15),
 o qual foi realizado pelo missionário Joab Nogueira de Oliveira.
Irmãos presentes no Batismo.
O culto é realizado uma vez por mês (no último domingo)
na casa do irmão Djalma Ramos de Lima.



terça-feira, 6 de dezembro de 2016

V Congresso de Jovens em Parintins-AM


No domingo pela manhã em frente ao templo Central da Neo em Parintins

Nos dias 03 e 04 de Dezembro de 2016, no Templo Central, sob a Coordenação das irmãs Débora Nunes e Iracema Farias aconteceu o V Congresso de Jovens e adolescentes da Igreja Evangélica Neo Testamentária de Parintins. Estiveram presentes caravanas de jovens e adolescentes da Congregação de Palmares, Itaúna, Colônia Soares, Trapiá, Filadélfia e Barreirinha, juntamente com seus líderes e também muitos visitantes.
Com o tema: "Deus te vê", e o versículo base de 1 Sm 16.7: "Porém o Senhor disse a Samuel, não atentes para a tua aparência nem para a sua altura, porque o rejeitei. O Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o Senhor o coração", os preletores Pr. Daniel Siqueira, Lúcio Almeida , Ezequiel Ribeiro e Dc. Válber Abecassis puderam desenvolver os seguintes pontos:
  1. Deus vê vida onde há morte.
  2. Deus vê além da tua aparência.
  3. Deus vê teu potencial.
  4. Fazendo diferença em minha geração.


Pr. Daniel Siqueira Xavier



Ir. Josiane Abecassis durante a dinâmica "desembaraço"

jovens na dinâmica, desembaraçando.

Ir. Rossi Lima também nas dinâmicas.

A programação iniciou com momentos de orações, louvor e adoração ao Senhor, muitos testemunhos de jovens que tiveram suas vidas transformadas pelo poder de Deus e também dinâmicas bem interativas com as irmãs Josiane Abecassis e Rossi Lima e palestras com os convidados: Pastora Fátima Reis, Psicólogo Pr. Alfredo Brelaz e Conselheira Tutelar Auseneide Farias, tratando de temas como:
Conselheira tutelar Auseneide Farias palestrou sobre assédio e pedofilia

Ir. Lucio Almeida falou sobre o tema "Deus vê o teu potencial"

Pra. Fátima Reis palestrou sobre sexo fora do casamento e aborto e suas consequências na família, igreja e sociedade.
  1. Sexo antes do casamento e aborto e suas consequências na família, igreja e sociedade.
  2. Uso de drogas e suas consequências na família.
  3. Abuso sexual e pedofilia.
Irmãs Débora Nunes e Iracema Farias, líderes de Jovens.
 Psicólogo e Pr. Alfredo Brelaz palestrou sobre o uso de drogas e entorpecentes e suas consequências

Nas noites de sábado e domingo também houve oportunidades para os grupos se apresentarem com louvores, testemunhos de vida e teatro abordando também os temas acima citados.


Teatro "Deus não vê como o homem vê"

Ev. Ezequiel Ribeiro, preletor de sábado à noite

Dc. Válber Abecassis, preletor de domingo á noite.

Foram momentos de grande alegria e comunhão com o Senhor e com os irmãos, agradecemos a Deus pelas bênçãos recebidas e necessidades supridas e a todos que não mediram esforços para o sucesso do evento, cremos que nossos jovens e adolescentes retornaram aos seus domicílios carregados de informação e cheios da palavra e do Espírito santo de Deus, e que em um futuro próximo iremos colher muitos frutos, pela semente plantada hoje.

Em Cristo,

Josiane Abecassis.


.