sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Pecado para a morte.


O QUE SERIA PECADO PARA A MORTE? 1 Jo. 5:16, 17.
Muitos ensinadores pregam que o pecado para a morte de que fala o apóstolo João, é o pecado de blasfêmia contra o Espírito Santo, pelo fato de a Bíblia declarar que esse pecado é o único que não tem perdão. Mt. 12:31,32. Por isto vos declaro: todo pecado de blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada. Se alguém proferir alguma palavra contra o Filho do Homem, ser-lhe-á isto perdoado; mas se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste mundo nem no porvir.
Porém, esta interpretação para o texto de 1 Jo. 5:16,17, não pode estar correta. O contexto está se referindo precisamente a segurança de salvação eterna. Vs. 11-13 e 18-20. O texto de que nos referimos está falando de crentes, de irmão cometendo pecado e não de blasfemo. Blasfemo não é crente e nunca chegará à conversão e do mesmo modo, de acordo com os ensinamentos geraias das Escrituras sobre segurança de salvação, por exemplo: Jo. 10:24-28; Rm. 5:1; Rm. 8:32-39; e outros muitos.  Um crente nunca chegará a ser um blasfemo. Estamos falando de crentes e não de pessoas que parecem crentes; não estamos falando de joio que parece trigo; estamos falando de trigo. O que diferencia um crente em Cristo para um descrente é a natureza. E a natureza faz toda a diferença, pela presença do Espírito Santo. Além do mais a Bíblia diz em Rm. 8:9b que se alguém não tem o Espírito de Deus, esse tal não é Dele. O crente é filho de Deus, porque recebeu ao Senhor como Salvador, crendo Nele. Jo. 1:12. “Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber aos que creem em Seu nome”.  
Deus não é de confusão, 1 Co. 14:33, Convém que usemos da hermenêutica para entender o que a Palavra de Deus diz exatamente, para não corrermos o risco de entrarmos em contradição e ensinarmos errado. Devemos comparar versículo com versículo, o texto com o contexto, esquadrinhando bem os ensinamentos gerais das Escrituras para não errarmos na interpretação.
A palavra morte pode ser traduzida por separação. Aliás, primeira vez que a palavra morte surgiu foi na bíblia em Gn. 2.17, no sentido de "separação". Adão e Eva foram separados de Deus espiritualmente, contudo o plano de Deus para suas vidas continuou. Quando fomos salvos, nós, ainda que vivos estávamos mortos em nossos delitos e pecados. Ef. 2:1.  Toda a terra se tornou maldita por causa do pecado do homem, Gn. 3:17, mas ao longo do tempo, foram passando dispensações, e chegamos á sexta que é a da graça, onde, se resolve qualquer pecado com confissão. 1 Jo. 1:9. Se confessarmos os nossos pecados Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça. Qualquer pecado que o crente cometer tem perdão! Claro que crente não comete o pecado de Blasfêmia contra o Espírito Santo, porque é crente e não blasfemo! Portanto, o pecado para a morte é o pecado que merece separação da comunhão. Não se pode resolvê-lo simplesmente com uma oração, mas deve ser punido com a separação. Mesmo o pecado descrito em 1 Co. 5 considerado pelo apóstolo Paulo como “grande ultraje”, e que nem mesmo entre os gentios, os descrentes, se ouvia que se houvesse cometido tal pecado,v 1, essa pessoa, que era um crente, deveria ser “entregue a satanás”, mas o propósito era: “a fim de que no dia do Senhor seu espírito fosse salvo”. Separar da comunhão é uma coisa, disciplina é outra. A igreja separa e Deus disciplina. Precisamos entender bem isto. A igreja não tem autoridade para disciplinar ninguém! “1 Co. 11:32. ...Somos disciplinados pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo”.
Em Tg. 1:15b diz que “o pecado, uma vez consumado, gera a morte”. Não quer dizer necessariamente morte física, mas morte espiritual como teve Adão, como estávamos nós, quando conhecemos ao Senhor e como está o mundo sem Cristo, de onde muitos sairão para a salvação. Em Is. 59:2a está escrito: “Os vossos pecados fazem separação entre vós e o vosso Deus”...

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Pedido de Oração.

Esta irmã, a Irma Ceci Brazeiro, de Uruguaiana, está internada na Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre para uma intervenção cirúrgica no coração. Hoje ela foi submetida a um cateterismo para desobstrução da artéria; esse cateter faz parte do processo pré-cirúrgico. A cirurgia propriamente dita, deverá ser realizada neste final de semana. Hoje estivemos no hospital visitando-a. Ela está com essa alegria toda que demostra nesta foto. Sua confiança no Senhor é plena! Oremos por essa querida e simpática irmã, para que Deus "OPERE" realmente em seu coração para que, quem sabe, ela até participe ainda do retiro em Poxoréu! Nosso Deus é o Deus do impossível!

Esperamos em Deus, que brevemente possamos postar notícias de sua pronta recuperação!

Grande abraço.



terça-feira, 27 de novembro de 2012

Me perdoem...


Diante da hipótese de ter magoado, ofendido, ou causado qualquer dano a alguém, venho de público, principalmente perante os irmãos neotestamentários, me retratar e pedir perdão ao Pr. Sebastião Wenceslau de Carvalho e, em especial à Igreja Neotestamentária Duque de Caxias, em Corumbá, MS, da qual ele é um dos dirigentes, bem como ao Missionário Antônio Villafranca, obreiro neotestamentário da Espanha, por ter usado como ilustração do meu artigo intitulado “Pit Stop de Dezembro”, publicado neste Blog no dia 24 de novembro de 2012, uma foto em que esses dois irmãos aparecem conversando com o Missionário Isaías da Silva Almeida, que tirei durante o Encontro de Cooperadores Neotestamentários realizado em Poxoréu, MT, no início deste mês.
Por outro lado, esclareço que a foto foi publicada de forma impessoal, sem mencionar nomes, lugares ou situações e, para evitar outras interpretações não desejadas, a mesma já foi retirada da página eletrônica onde o artigo foi publicado.
Entendi que, para um leitor comum que viesse acessar o blog, o que ele veria seria apenas o que se queria mostrar, ou seja, três pessoas sentadas conversando ao redor de uma mesa. Lendo a matéria e olhando a foto, tal leitor deveria compreender que as pessoas devem parar para conversar sobre o que se passa com elas. Para o contexto da matéria, a identificação das pessoas e o que elas conversavam eram questões irrelevantes e por isso mesmo, sequer foram mencionadas.
Entretanto, se um leitor identificasse a imagem e soubesse que ela tinha sido capturada durante do Encontro de Lideranças de Poxoréu, entendi que não haveria problema. Era a foto de irmãos que conversavam (na verdade, eu nem sei o que conversavam, pois apenas me aproximei o suficiente para bater a foto dos três irmãos, sem me interessar pelo teor da conversa). Repito: a única associação que existe entre o artigo “Pit Stop de Dezembro” e a foto dos irmãos é o fato de estarem os três conversando, ou seja, terem tirado um tempo para conversar. A matéria não discute o teor da conversa, o qual me era totalmente desconhecido.
Sei muito bem que durante os Encontros de Cooperadores, os neotestamentários discutem os conflitos que possuem em suas respectivas igrejas locais e na obra missionária. No Encontro deste ano, em Poxoréu, isso não foi diferente. No entanto, o artigo não discutiu nenhum desses conflitos. O foco central da mensagem “Pit Stop de Dezembro” foi a parada necessária para a avaliação de nossos atos, sejam quais forem e sobre que assuntos tratarem.
Apenas exemplificando, entendo que o Encontro de Cooperadores é um Pit Stop. É um momento em que fazemos uma parada para avaliar o nosso trabalho. Por isso usei fotos do encontro (com a ressalva da impessoalidade) para ilustrar a matéria. Não tive nenhuma “má intenção” oculta. Jamais quis postar algo que ofendesse a quem quer que fosse, muito menos aos queridos irmãos da Neo Duque de Caxias, a quem tive a grande satisfação de conhecer e receber aqui em Poxoréu, MT.
No que diz respeito ao uso das expressões “burrice seguir o passado / tempo perdido / grave delito” usadas no artigo, transcrevo o parágrafo em que aparecem, antes de retratar o assunto:
O que passou, passou. Já não volta mais. Tempo perdido não se recupera. O ditado diz que “errar é humano”, mas a mesma sabedoria popular completa que “permanecer no erro é burrice”. Podemos ter tentado acertar uma vez e errado. Isso é compreensível. Mas não podemos continuar errando. É necessário que avaliemos a nossa vida e respondamos às perguntas “onde foi e por que foi que erramos?”. Cometemos um grave delito contra nós mesmos, quando insistimos em avançar sem fazermos esse necessário pit stop.
A mensagem pretendida é uma só: é necessário parar para avaliar. Entendo que nós já fazemos diversas paradas ao longo do ano. Trabalhamos a semana toda em nossas atividades rotineiras. Então, quando chega o final de semana, paramos para fazer a reflexão sobre nossa situação com Deus e com a Sua Palavra. É necessário ir à Igreja e participar dessas reuniões. Também fazemos os Retiros periódicos para recebermos orientações da Palavra. E ainda os encontros de cooperadores. Para mim, todas essas ocasiões são Pit Stops, ou seja, paradas técnicas necessárias. E que, se quisermos ser bem sucedidos, devemos fazê-las.
Se seguirmos a vida, a torto e a direito, sem qualquer avaliação e planejamento, entendemos que estamos cometendo um delito contra nós mesmos, pois tiramos a possibilidade de vermos o que não está indo bem e corrigir.
Não estou julgando ninguém. O meu texto foi escrito na impessoalidade, trabalhando com situações abstratas. Não menciono situações concretas. Caberá a cada um que tiver interesse, aplicar o texto em sua vida da maneira que julgar mais conveniente. Não fiz “indiretas ofensivas dizendo que foi um erro ter apoiado os irmãos que fundaram nossa historia de missão” e muito menos usei a imagem dos irmãos com tal propósito.
Concluindo, quero mais uma vez pedir perdão a qualquer irmão que tenha se sentido ofendido com a minha publicação. Espero que isso não venha prejudicar as nossas relações fraternais; que não venhamos dar oportunidade ao maligno para promover mais discórdia e mais desentendimento.
Ainda que um irmão possa ter errado, o perdão é o remédio que purifica. Que ninguém grave na rocha as histórias ruins. Esse tipo de história deve ser gravado na areia, para que tão depressa quanto o vento possa apagar o escrito, tão depressa elas também sejam apagadas de nossas mentes e corações.
Em nome de Jesus. Amém!
Prof. Izaias Resplandes 

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

OFERTA MISSIONÁRIA

Dia 25/11/12 foi um dia especial para as crianças da Neo Testamentária da Vila Planalto em Campo Grande.
No início de 2012 foi ensinado na classe delas sobre o valor e a necessidade da oferta voluntária. Elas foram incentivadas a separar um pouco do que elas tinham para doar ao Senhor, houve um sorteio de um casal missionários da UMNT para receber a oferta das crianças. O casal sorteado foi Isaias e Rosângela.
Em novembro o "porquinho" estava gordo, ou melhor, cheio de moedas valiosas doadas com muito amor pelos pequeninos. Então foi feita a entrega desse "valoroso" presente aos missionários.

Durante o ano elas aprenderam sobre o significado da palavra de Deus em nossas vidas, como sendo alimento espiritual também.

 Aprenderam que o Senhor se agrada das primícias de todo seu trabalho.


  Ofertaram frutas (Dt 14:22),     Mel (Sl 19:10),
Pão (Jo 6:58),
 
Trigo (I Pe 1:23),
Água (Mt 10:42),



Para 2013 vamos cevar mais o "porquinho" e outro casal de missionários será sorteado para recebê-lo.

Lição do dia: o melhor deve ser ofertado para Deus.

Porque Deus ama ao que dá com alegria. (II Co 9:7b)
 Este versículo foi o desafio lançado parar os pais e as crianças, onde tudo começou.
O missionário Isaias agradeceu o carinho das crianças e lembrou que o Senhor sempre é fiel e que as igrejas Neo Testamentárias tem um coração missionário.
E alertou aos pais que ensinem e incentivem seus filhos a doar para o Senhor, no tempo oportuno os frutos serão colhidos.






sábado, 24 de novembro de 2012

Pit Stop de Dezembro

Izaias Resplandes
Fim de ano. Dois mil e doze já está acabando. Agora é o momento do balanço, da contabilização das perdas e dos lucros para ver se ainda temos saldo na conta. É hora de fazermos uma pequena pausa na corrida para avaliar a forma como estamos indo: se estamos bem, se estamos crescendo, ou se estagnamos, ou até mesmo regredimos. Todas essas notas são possíveis. Não é prudente continuarmos avançando, sem avaliarmos os resultados de nosso empreendimento, seja ele qual e de que natureza for.
 O que passou, passou. Já não volta mais. Tempo perdido não se recupera. O ditado diz que “errar é humano”, mas a mesma sabedoria popular completa que “permanecer no erro é burrice”. Podemos ter tentado acertar uma vez e errado. Isso é compreensível. Mas não podemos continuar errando. É necessário que avaliemos a nossa vida e respondamos às perguntas “onde foi e por que foi que erramos?”. Cometemos um grave delito contra nós mesmos, quando insistimos em avançar sem fazermos esse necessário pit stop.
No automobilismo, um pit stop (ou parada técnica) é quando um piloto de corrida para nos boxes para fazer mudanças em seu carro. Dependendo da categoria essas mudanças podem envolver reabastecimento, uma troca de pneus, reparos caso o carro esteja danificado, ajustes mecânicos, troca de piloto, ou qualquer combinação desses mesmos itens. Também varia de uma categoria para outra o número de mecânicos envolvidos no processo, que pode variar de cinco a mais de vinte pessoas (Wikipédia).

É provável que durante muitos anos de nossas vidas tenhamos caminhado “a torto e a direito”, sem rumo e sem direção, sem objetivos e sem metas, “sem lenço e sem documento”, experimentando de tudo um pouco, procurando encontrar no palheiro o que teríamos perdido, mas que não sabíamos o que era. E que mesmo assim tenhamos continuado correndo, “desgarrados como ovelhas, cada um se desviando pelo caminho” que bem desejasse (Is 53:6), no exercício de uma apreciada e defendida liberdade absoluta e sem controle. Naqueles tempos “todos nós andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos” (Ef 2:3). Só isso justifica porque tão poucos têm progredido e porque a pobreza e a miséria constituem o patrimônio da maioria dos homens.
Não tenho dúvida de que muitos de nós estivemos completamente perdidos nesses últimos anos. Nossa vida não tinha o menor planejamento. Era sem objetivo e sem metas. Qualquer caminho servia. Qualquer orientação era considerada boa. Até as coisas com absoluta falta de sentido, de lógica e de racionalidade eram consideradas ótimas. Nós éramos como crianças, confiando em tudo e em todos. Infelizmente esses caminhos que nos pareciam direito, para muitos foram caminhos de morte (PV 16:25). Aí estão as cracolândias, os asilos, orfanatos, prisões, favelas, presídios, guerras, fome, sede, poluição, roubos, assassinatos, suicídios, desemprego, mortes de todo tipo e doenças sem fim. Isso não pode continuar assim. Precisamos fazer um pit stop para vermos onde estão os erros e tomarmos as providências para que não se repitam mais. “Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras” (Ap 2:5).
A parada de dezembro não pode ser apenas um período de recesso do trabalho usado para passear e festejar. O lazer também pode acontecer, mas antes de tudo devemos priorizar a realização de uma avaliação e de um replanejamento de nossas atividades, para que no próximo ano possamos prosseguir com maiores possibilidades de sucesso em nossos empreendimentos.

Zigomar: 46 anos de vida

Parabéns, irmão Zigomar Oliveira Silva

Sua vida tem uma linda geometria. Você caminha em linha reta, sabendo para onde vai. Desejo a você uma feliz jornada. Parabéns pelas milhas já percorridas, pelas boas escolhas,  pelas boas companhias... 

 Permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido (2 Tm 3:4).

Missionário Zigomar com a Igreja de Santo Antônio do Leste, MT

Permanece firme e constante. Ainda há muitas dificuldades pela frente, mas você é forte, é guerreiro, sempre foi um vencedor.  E saiba "que o vosso trabalho não é vão no Senhor" (1 Co 15:58).

 Missionário Zigomar, com a Igreja de Poxoréu, MT

24/11 Niver Zigomar


Parabéns ao missionário Zigomar.
Goiano de nascimento, Poxoreano de criação, Campo-grandense de paixão e agora Gaúcho por obediência a Seu Senhor.

Felicidades tchê!!!



quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Notícias do Rio Grande do Sul.


O estado do Rio Grande do Sul possui como limites o estado de Santa Catarina ao norte, o Oceano Atlântico ao leste, o Uruguai ao sul, e a Argentina a oeste.
Sua capital é a cidade de Porto Alegre.
10.582.840 dos Brasileiros encontram-se no Estado do Rio Grande do Sul.
Sua área total é aproximadamente 281.748.538 km².
5% desses 10.581.840 habitantes são analfabetos.
Em alguns municípios desse estado, chegam a 0% de evangelizados.
Pesquisa de 14 de novembro de 2010

Os gaúchos sentem que a dificuldade de evangelização é resultado do secularismo. (Doutrina segundo a qual devem ser excluídos da educação pública e de outros assuntos estatais elementos religiosos).
 Também, a resistência aos missionários vindos de outros estados se deve, entre outras coisas, ao tradicionalismo e ao etnocentrismo, um verdadeiro “espírito Farroupilha”.
A região Sul é a região com o menor índice de evangelização e maior índice de crescimento do espiritualismo.
O termo Espiritualismo, atualmente, é utilizado para denominar uma variedade enorme de religiões, sistemas filosóficos, doutrinas, crenças e seitas. Cada qual apresentando características próprias e regras particulares. Possuindo, em comum, o fato da crença na preponderância do mundo espiritual sobre o mundo material.
Frequentemente confundido com Esoterismo. No entanto, este último tem uma conotação de "doutrina iniciática", ou seja, um conjunto de conhecimentos que só devem ser transmitidos à algumas pessoas escolhidas e preparadas para tal fim (os "iniciados"), não devendo ser vulgarizados.
Nos países de língua inglesa, o termo Espiritualismo é usado como sinônimo de Espiritismo, no sentido de em "espiritualismo experimental". No início do século XIX, também era usado o termo "Espiritualismo Moderno" para identificar aquilo que foi nomeado de Espiritismo por Allan Kardec em 1857. Todo Espírita é necessariamente espiritualista; mas pode o espiritualista não ser um espírita.  Fonte: WikipédiA.
Em conversa com um médico cristão hoje no posto de saúde São Cristóvão, ele, o Dr. Raul Miguel Audes, membro e cooperador de uma igreja Batista no centro da capital, me disse que a igreja em que frequenta e coopera, está usando, como subterfúgio para conquistar pessoas, para os cultos, distribuição de cestas básicas. Quem for frequentemente aos cultos durante o mês, ganha uma cesta básica.
Eu comentei com ele que nós não usamos de chamarizes. Sem iscas. Quem quiser vir reconhecendo sua necessidade de Deus, esse será muito bem vindo. Ele concordou que a maneira certa é exatamente esta, devemos levar a Palavra de Deus, as Boas novas de Salvação; mas, as igrejas são compostas de pessoas.

Nos tempos de Jesus Cristo já era assim.
No dia seguinte, a multidão que ficara no outro lado do mar, sabendo que não houvera ali senão um barquinho, e que Jesus não embarcara nele com seus discípulos, mas que estes tinham ido sós contudo, outros barquinhos haviam chegado a Tiberíades para perto do lugar onde comeram o pão, havendo o Senhor dado graças; quando, pois, viram que Jesus não estava ali nem os seus discípulos, entraram eles também nos barcos, e foram a Cafarnaum, em busca de Jesus. E, achando-o no outro lado do mar, perguntaram-lhe: Rabi, quando chegaste aqui? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que me buscais, não porque vistes sinais, mas porque comestes do pão e vos saciastes. Jo. 6:22-26.
Se oferecermos comida, com certeza vai encher o local. Mas, como diz Jesus mesmo ao diabo: Não só de pão viverá o homem, mas de toda a Palavra que procede da boca de Deus.
Hoje, falando com duas senhoras no mesmo posto de saúde, uma comentou com a outra: “Ah! É aquela igrejinha com nome diferente que minha filha queria que fôssemos aquele dia”!  Bom, pelo menos tem pessoas planejando vir algum dia!
Na esperança de que haja realmente pessoas que venha, e se renda aos pés do Senhor, arrependidas de seus pecados e reconhecendo que “carecem da glória de Deus”, por serem pecadoras, prosseguimos fazendo a obra conforme o Senhor da Seara nos guia.
Grande abraço a todos o obrigado pelas orações.

sábado, 17 de novembro de 2012

Final do Mutirão de 3 dias em Rio dos Crentes

17 de novembro de 2012. Poxoréu, MT. Acampamento Rio dos Crentes, à margem direita do Rio Areia.


Dia de sol forte, bom para fazer reboco externo, pintar portas e janelas ao ar livre e assentar cerâmicas em salão aberto. Dia excepcional para se trabalhar com empenho em Rio dos Crentes, encerrando o Mutirão Neotestamentário de 3 dias, realizado pelo Neo Grupo de Obras, composto por Missionários, Pastores e outras lideranças das Neo Igrejas, desde o dia 15 último.


 Pr. João Rita Ferreira da Silva, almoçando, repondo as energias para fazer as pinturas no Acampamento. Ele é um verdadeiro líder. É um exemplo para a Igreja. Humilde, dedicado, pequeno na estatura, mas um forte trabalhador, um homem de um grande coração. Ele trouxe o seu compressor e fez um belo trabalho de pintura. As portas e janelas ficaram muito mais lindas e protegidas.

Graças a Deus, que ouviu nossas orações e aprovou o nosso projeto de trabalhar no Acampamento de Poxoréu, tivemos excelentes dias de sol para realizarmos essa missão para a Obra do Senhor. Isso já seria o suficiente para nós estarmos felizes. Mas a nossa satisfação vai além. 

Argemiro Resplandes e Paulo Moraes. Essa é uma das paredes do Salão de Estudos "Manoel Francisco Paulo", que foi rebocada nesta jornada de trabalho.

Nós tivemos a presença de 26 pessoas, entre homens, mulheres e crianças participando dessa jornada de trabalho.

"A quem honra, honra!" - Rm 13:7
 Irmão Valmi Resplandes, de Primavera do Leste, MT. Ele não é apenas um excelente trabalhador, mas foi também o líder no assentamento desse piso. Trouxe sua betoneira lá de Primavera para contribuir no Mutirão, trabalhando incansavelmente. Foi um dos primeiros a chegar e um dos últimos a sair. Muito obrigado, irmão! Você, além de estar deixando fortes pegadas em nosso Acampamento, também nos enche o coração e a alma de satisfação pela sua dedicação. Você é um grande exemplo para nós.

Cada um veio expontaneamente, com o coração disposto para servir ao Senhor com alegria e pronto para oferecer o seu melhor em termos de técnica, de recursos, de serviços, de profissionalismo, de vontade e de amor pela obra do Senhor. 


O piso do refeitório ficou lindo! Nossos ceramistas estão de parabéns. Valmi Resplande, Missionário Paulo Moraes, José Carlos Rodrigues, Enivaldo Mendes, Argemiro e Antônio Resplandes, bem como o Diácono Leonildo Toledo... Eles deixaram suas marcas nesse piso. Muito obrigado, queridos irmãos. Se for para ser o técnico de um time com atletas do calibre de vocês e com a Presidência do Senhor Jesus, "estamos prontos, digam ao mundo que enfrentamos qualquer parada". Vocês foram maravilhosos. Que Deus abençoe a dedicação de cada um.

E pronto! Eis o piso novo. Glória a Jesus! Ele une as pessoas, move vidas e faz a obra. Ele nos dá a força, a coragem e o ânimo! Nele, nós somos muito mais do que vencedores. "Se Deus é por nós, quem será contra nós?" - Rm 8:31.
 
Rio dos Crentes é parte da obra do Senhor. Trabalhar aqui é trabalhar para Ele. E foi essa a motivação dos participantes desse tempo preciosíssimo que tivemos em Poxoréu. Louvado seja o Senhor!

Pr. Ivon Pereira da Silva e Izaias Resplandes

Fomos muito felizes nestes três dias. Tivemos alguns contratempos no primeiro dia, mas ninguém sofreu qualquer dano. Todos ficamos muito seguros no "esconderijo do Altíssimo".

O apóstolo Paulo escreveu: "Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade". Filipenses 4:12

Como estávamos fazendo o piso novo do refeitório, a cada dia as refeições eram feitas em um local improvisado. No último dia, almoçamos na área da cozinha, cada um procurando o melhor lugar para se acomodar. Nessas condições, a gente sente que está mesmo em um Acampamento. É muito gostoso poder desfrutar da simplicidade. De um modo geral, os turistas querem estar no meio da selva, mas com todo o conforto de um hotel 5 estrelas

Mas como não somos turistas e sim servos do Deus Altíssimo, aprendemos a viver contente em toda e qualquer situação.


As crianças também participaram do Mutirão 


Elas queriam porque queriam fazer alguma coisa de "gente grande". E acabaram fazendo. Rio dos Crentes não seria o mesmo sem as nossas crianças. Aqui é a verdadeira escola, onde elas aprendem a trabalhar vendo os irmãos trabalhar. A gente sabe que do lado de fora está a violência, a brutalidade, toda espécie de desvio de conduta, o barulho ensurdecedor, os maus ensinamentos, os maus exemplos... 


 Aqui é um Jardim de Deus, onde nossas crianças têm oportunidade de aprender um pouco mais sobre o caminho em que deve andar.


 E nossas mulheres!!!


Ah, o que seria de nós sem elas. Elas são maravilhosas. Cuida bem de nós, enchem a nossa vida de charme, de perfumes, de beleza. Ao lado delas, nossas forças se renovam. Quando estamos tristes, elas trazem o ânimo e a alegria, a gente dá um sorriso e continua a lida, esquecendo o cansaço e os problemas, acreditando que a vida é mesmo maravilhosa e vale a pena.



Neste Mutirão, como sempre, elas fizeram a diferença: na cozinha, nas louças, na organização, na distribuição de água e até no serviço duro... Nosso muito obrigado para a Missionária Marinalva Moraes, Marly Cavalcante, Luzinete Carolina, Renata Medeiros, Dionízia Resplande e Maria de Lourdes Resplandes... Nota dez com louvor para vocês. Que Deus nos permita cuidar para que a vida de vocês seja o mais agradável possível.

E os pastores!!!
E os diáconos!!!
E as demais lideranças!!!

O bom pastor é Jesus. Mas ele escolheu alguns para pastorear e conduzir as suas ovelhas até o redil. São esses homens que estão vindo pegar nos chifres do boi aqui em Poxoréu. 


O Diácono Leonildo Toledo de Moraes, da Neo do Bosque da Saúde, em Cuiabá, MT, demonstrou sua força em prol da obra do Senhor. Ele carregou carrinhos de massa, chapou massa nas paredes, jogou massa com a pá no alto de andaimes, participou do rejuntamento das cerâmicas, ajudou a montar andaimes... Realmente, ele fez de tudo um pouco. E sempre com muita alegria. Obrigado, irmão Leonildo. É assim que se dá o bom exemplo para os seus filhos Samuel, Victor e para os demais irmãos.



O irmão Valmi Resplande de Sousa, da Neo de Primavera do Leste é o IRMÃO. Foi ele que engraxou a betoneira, fez as primeiras masseiras para mostrar como se deveria fazer, ensinou como se cortava o cimento, fez andaimes, rebocou, sarrafiou, assentou cerâmicas, rejuntou... Nota dez com louvor, sem dúvida alguma. É um grande exemplo para o Fábio, a Franciele, a Fabiane e os demais membros da igreja. Obrigado! Deus vai te recompensar, querido irmão.



O Pastor Ivon Pereira da Silva, da Neo do Bosque da Saúde, em Cuiabá, MT tem sido incomparável. Ele tem o respeito da liderança mais jovem, por sua experiência e dedicação. Ele se envolve por completo nas questões pertinentes à Igreja. Aqui em Poxoréu, durante esses dias de mutirão, ele procurou ser um bom exemplo de trabalhador para todos nós. É de pouco falar, mas suas falas sempre são ouvidas com respeito. Um dos projetos que está sendo desenvolvido aqui no Acampamento Rio dos Crentes é o da construção de triliches de metal. Esse projeto vem sendo executado pelo nosso querido irmão Ivon. Até recente ele havia feito a estrutura para uma cama. Agora ele iniciou as estruturas para os triliches. Em janeiro de 2013, deverá prosseguir nessa tarefa.  Mas, ele também trabalhou como pedreiro. Mesmo a gente percebendo o seu cansaço, ele não esmoreceu e continuou firme. Obrigado, amado irmão. É de liderenças do calibre do senhor que a Igreja precisa, pessoas que não apenas determinam o que se deve fazer, mas que também fazem, que mostram como se deve fazer. Jesus, querendo ensinar a humildade aos seus discípulos, lavou-lhes os pés e disse-lhes que deveriam fazer o mesmo em relação a outros. Disse ele: "Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também." (Jo 13:15).



O irmão Altamiro Gonçalves Lima, da Neo do Barão de Melgaço veio pela primeira vez em Rio dos Crentes. Trabalhou bastante no reboco (primeiro dia) e depois foi parceiro do Pastor João Rita, da Neo de Jaciara, na pintura das portas e janelas. Fizeram um lindo trabalho. Além disso, o irmão é um bom contador de histórias, conseguindo manter o grupo para cima. Queremos agradecê-lo pelos seus empenhos durantes esses três dias aqui em Poxoréu e também pelo sorvete delicioso. Esperamos que possa voltar em outros mutirões e também no Retiro de Fevereiro de 2013. A Neo de Barão foi muito bem representada pelo senhor. Obrigado!


O irmão José Carlos da Silva Rodrigues, da Neo de Poxoréu é o caseiro de Rio dos Crentes, além de realizar serviços gerais de reforma e construções. Neste Mutirão, como sempre, ele participou ativamente. Não apenas providenciou o material para os serviços juntamente conosco, como tmbém se envolveu nos trabalhos de reboco e assentamento de cerâmicas. Obrigado pelo seu empenho, irmão José Carlos. Você é nosso parceiro inestimável aqui em Poxoréu. Esperamos sempre contar com a sua disponibilidade para ampliarmos os benefícios aos nossos irmãos que usam este lugar. "Vamos nós trabalhar, somos servos de Deus, que coroa real nos dará lá nos céus".


O Pastor José Domingos Ferreira da Silva, da Neo de Jaciara, MT esteve presente com todo o seu profissionalismo. Ele é maranhense, esposa da irmã Maria Raimunda, pai do Zezinho... É um irmão esforçado, trabalhador incansável, talentoso e de grande valor para o Senhor. Tem sido muito útil para nós aqui em Rio dos Crentes. Obrigado, irmão. O amado é um tesouro precioso de muito valor. Só o Senhor Jesus para recompensá-lo por todo o seu esforço. Desde já, agradecemos por sua constante disponibilidade.
 
 
Na verdade, temos destacado o trabalho de alguns irmãos nessa reportagem, não porque os demais não mereçam destaques, pois todos os trabalhadores de Rio dos Crentes dão o melhor de si e são exemplos para as novas gerações. Todos merecem destaque. Por isso, Muito Obrigado aos irmãos Antônio e Argemiro Resplandes de Sousa, Enivaldo Mendes de Sousa, Célio Silva dos Santos, Lucas Mendes Cavalcante, Pr. João Rita Ferreira da Silva, Missionário Paulo César Moraes e seu filho Paulo César de Moraes Filho e também ao irmão José Domingos F. da Silva Filho. O trabalho dos irmãos não passará em vão para o Senhor. 
Que Deus os abençoe por tudo o que feito por nós.

Ah, sim! Desde o dia 14 de novembro que não chovia em Poxoréu. Neste instante, voltou a chover na Capital dos Diamantes, embora apenas uma garoa para refrescar um pouco o ar.
Obrigado, Senhor. Por tudo. Pelo mutirão, pela chuva de hoje, pela estiagem dos dias de mutirão, pelos irmãos que vieram, pelos que oraram, pelos que contribuiram de qualquer outra forma.
Só o Senhor é Deus. Amém! 



E foi isso, irmãos. Obrigado a todos por suas orações em favor do Neo Grupo de Obras de Rio dos Crentes. Elas foram fundamentais. 
   Izaias Resplandes

Segundo dia de Mutirão em Poxoréu


Neste ensolarado 16 de novembro de 2012, o nosso valente grupo de obras neotestamentário continuou no Acampamento Rio dos Crentes o Mutirão que começou ontem e que deve prosseguir até amanhã, por volta do meio dia.

 
Conforme as decisões de ontem, na parte da manhã estivemos providenciando o material para fazermos o piso do refeitório.
Enquanto isso, os demais irmãos terminaram o reboco do salão de estudos. Agora só ficaram os pequenos acabamentos, que requer mais cuidados e serão feitos paulatinamente a partir de agora, em outras ocasiões.
 Por volta das onze horas nós chegamos com o piso e a tinta. Dividimos a equipe em cinco sub-grupos: Grupo 1: Valmi Resplandes, José Carlos Rodrigues, Miss Paulo Moraes e Enivaldo Mendes, designado para assentar cerâmicas;  Antônio Resplandes também participou desse grupo, preparando a argamassa.


Grupo 2: Pr. Ivon Silva, designado par o serviço de solda, na construção de triliches no barracão das mulheres; 


 Grupo 3: Altamiro Gonçalves de Lima e Pr. João Rita Ferreira da Silva, designado para o serviço de pinturas com compressor; 


 Grupo 4: Pr. José Domingos Ferreira, Diac. Leonildo Toledo, Lucas Cavalcante, Zezinho, Samuel, Neemias, César Filho, Célio Silva dos Santos, os irmãos Argemiro, Izaias e Antônio Resplandes, designado para continuar os rebocos

 
Grupo 5: Lourdes, Marinalva e Renata, Marly e Dijêiene, Nicole e Luzinete, disgnado para os serviços da cozinha.

E assim foi mais um dia em Rio dos Crentes. Terminamos o reboco do barracão de estudos, rebocamos a parte interna da "caliente" Casa do Zigomar e a frente do dormitório das mulheres, pintamos várias janelas e portas, avançamos na base dos novos triliches e assentamos mais da metade das cerâmicas no refeitório.


 No final do dia os nossos trabalhadores ainda estavam com energia para um bate-bola, que começou próximo ao refeitório e depois foi para o campo, durante mais de meia hora animada.



Então jantamos e batemos papo. As lideranças se reuniram em separado e fizeram as escalas para o Retiro de Famílias de Fevereiro de 2013

Depois tomamos sorvete. Alguns irmãos foram dormir mais cedo e agora também é nossa hora de descansar. Já são mais de dezoito horas de olhos abertos. E estamos cansados, mas ainda muito animados para continuarmos juntos com os irmãos em mais uma jornada amanhã.

Ah, sim! O sorvete foi um gesto carinhoso dos nossos irmãos Altamiro Gonçalves de Lima e Lucas Mendes Cavalcante. Estava delicioso! Obrigado, irmãos!

Orem por todos aqui em Rio dos Crentes. Abraços a todos.