domingo, 8 de julho de 2018

XX Retiro de Jovens-Parintins AM

"Como Águias", foi o tema escolhido para ser desenvolvido nos dias de Retiro de Jovens da Igreja Evangélica Neo Testamentária de Parintins.


Nos dias 29 e 30 de junho e 1 de julho desfrutamos de momentos especiais na presença do Senhor.







O Pastor Jeremias Filgueira e o Diácono Válber Abecassis ficaram encarregados das mensagens do cultos da noite. As irmãs Débora Nunes e Josiane Abecassis desenvolveram o tema do Retiro: "Como Águias".


Estudos, mensagens, atividades bíblicas e esportivas fizeram parte desse vigésimo Retiro Neo Jovem que acontece todos os anos na Ilha Verde, localizada no Rio Uaicurapá, na Região conhecida como peixe -marinho. É, queridos, temos o privilégio de ter uma ilha para realizar retiro  em moldes de acampamento com os nossos jovens, consideramos isso uma grande bênção do Senhor, pois cremos que antes mesmo de acontecer o primeiro retiro Ele já havia preparado o local para a Sua obra. Participaram do evento cerca de 125 pessoas, sendo 2 de Manaus, Janderson Marinho e seu filho Natanael, 2 de Itacoatiara, o casal Rayller e Karen e também irmãos das Igrejas do Trapiá e Colônia Soares.





O jovem Rayller Manoel dos Santos Ferreira (25) foi batizado nas águas, pelo Pastor Jeremias Filgueira, os jovens Fernando Camarão e Cleilson se reconciliaram com o Senhor.





Na manhã do dia 02 de julho após o culto de oração foi feito um breve agradecimento ao Senhor por tudo o que foi realizado, em seguida passamos o restante da manhã na praia que fica em frente ao local, fazendo alí um churrasco, como todos os anos, retornando aos locais de origem após o almoço.



 Agradecemos a todos que de alguma forma cooperaram para que o evento acontecesse. A Deus toda a honra e toda a glória!
Em Cristo: Válber e Josiane Abecassis-Líderes de Jovens da Neo Central Parintins.

sábado, 7 de julho de 2018

A perda e a reconquista da perfeição


A perda e a reconquista da perfeição

Izaias Resplandes de Sousa
 
E Deus criou a existência, a luz e o universo contendo os céus e a terra, as plantas, os animais aquáticos e terrestres e, por último, o homem e a mulher, aos cuidados de quem Ele entregou a criação. E Deus ficou muito satisfeito com sua obra, porque viu que tudo o que fizera era muito bom. É assim a Palavra:
E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto. Gênesis 1:31.
E a criação caiu. Infelizmente. A regra de sustentação da perfeição de Deus era a obediência. Enquanto as decisões do homem seguissem ao comando de Deus, tudo ficaria perfeito. Para tanto, Deus estabeleceu como marco a seguinte regra de conduta para ele;
De toda a árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás. Gênesis 2:16,17.
E a queda da criação foi assim. Deus disse que se o casal comesse do fruto da árvore do conhecimento morreria. A serpente disse para a mulher que isso não era verdade, que não era uma questão de vida ou morte, mas uma questão de saber ou não. E a serpente então esclareceu que, na verdade, Deus não queria que eles comessem do fruto da árvore do conhecimento, porque sabia que no dia em que eles comecem daquele fruto, eles seriam como Ele e conheceriam o bem e o mal. E então ela comeu e também deu do fruto a Adão, o qual comeu também. E o primeiro conhecimento que eles tiveram foi que estavam nus. E logo em seguida conheceram a vergonha e o medo da sua nudez diante daquele que lhes advertira sobre tal situação. Ficaram envergonhados de estarem nus, principalmente porque não tinham sabedoria para administrar o conhecimento que começavam a adquirir.
A verdade é que o casal tomara a decisão de não mais seguir o comando perfeito de Deus. No entanto, ainda que estivessem potencialmente iguais a Deus no que se referia à capacidade de aprender, ou seja,  no sentido do poder conhecer o bem e o mal, a verdade é que o fruto do conhecimento não era mágico e não os tornariam de imediato, perfeitos como Deus.  O problema inicial não estava em conhecer ou não tudo o que Deus conhecia. O problema estava na capacidade para administrar o conhecimento que iriam conhecer a partir daquela decisão de serem autônomos.
Adão e Eva ainda eram as crianças recém-nascidas que Deus criara. Um dia, certamente, eles iriam saber de tudo sobre a criação, mas até que esse dia chegasse, eles deveriam ter a paciência de viver segundo a orientação do Criador, aprendendo cada coisa a seu tempo, até que estivessem prontos para exercerem a sua autonomia. É assim que nós tratamos as nossas crianças. Nós não deixamos elas abandonadas à própria sorte para descobrir por si só o que devem fazer para viver e não morrer. Desde que nascem, nós vamos lhes ensinando as coisas, o caminho por onde devem andar quando estiverem sozinhas e já forem crescidas.
Adão e Eva não tiveram a paciência de esperar que as coisas acontecessem no seu tempo. E precipitaram a sua ruína. Sim, meus queridos. Se não estivermos prontos para exercer a nossa independência, então é melhor que continuemos dependentes. Infelizmente, não foi apenas Adão e Eva que não tiveram a paciência. Os seus filhos seguiram os seus passos e erraram ainda mais que eles. Em ordem sucessiva, é assim a Palavra:
E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela. Gênesis 3:6.
E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do campo. Gênesis 3:17,18.
Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente, o Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado. Gênesis 3:22,23.
Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram. Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei. No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não tinham pecado à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir. Romanos 5:12-14.
Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. Romanos 8:19-22.
O povo sofre com um mau governante. Todos os subordinados sofrem quando uma pessoa inexperiente assume o comando. Nós passamos anos aprendendo com nossos pais, depois vamos à escola e aprendemos com outros professores, nos formamos, fazemos estágios profissionalizantes com aqueles que sabem e mesmo assim, quantas vezes nós quebramos a cara e temos que sofrer derrotas e arcar com as consequências delas, porque nos defrontamos com problemas reais, e aí já estamos sozinhos e nem sempre temos a quem recorrer. Esse foi o problema de Adão. Ele não queria mais recorrer a Deus. Ele queria mostrar que era o cara, que já havia crescido e que já estava pronto. Mas não estava e nós sabemos disso, porque quase todos nós tivemos que descobrir muitas coisas através da dor, porque em muitas situações que enfrentamos nós não tivemos nenhuma experiência. Aliás, eu diria que nós nunca teremos experiência em nenhuma das situações vividas por nós, porque a vida é inédita e não se repete. Nada do hoje é como o ontem e também não será como o amanhã. É por isso que não fomos criados para sermos independentes. A criação sofreu horrores sob o governo do homem.
Nossos primeiros pais deveriam depender plenamente de Deus. Deveriam aprender com Ele. E depois ensinarem aos seus filhos o que tinham aprendido. Aprenderiam com Deus e depois ensinariam aos seus filhos. E esses aos seus filhos, durante toda a vida de cada um. Deveríamos ser sempre uns pelos outros, os mais velhos sendo cabeças dos mais novos. E essa dependência perfeita seria o que nos tornaria perfeitos, porque sempre estaríamos andando nos caminhos perfeitos ensinados primeiramente por Deus aos primeiros pais e depois passados de pais para filhos até chegar aos nossos dias.
E a perfeição caiu. Infelizmente. E a imperfeição dominou. Infelizmente. E até hoje ela continua dominando. Mas não dominará para sempre. E nós haveremos de reconquistar a perfeição de Deus. E haveremos de viver eternamente de acordo com os termos por ela estabelecidos. É assim a Palavra:
O discípulo não é superior a seu mestre, mas todo o que for perfeito será como o seu mestre. Lucas 6:40.
Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido. 1 Coríntios 13:9-12.
Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos. 1 João 3:2.
Desde a queda de Adão, o homem vem buscando alcançar outra vez a perfeição de Deus. É certo que muitas pessoas não dão a mínima importância para isso, mas outras tantas entendem que isso é a coisa mais importante de suas vidas. E envidam esforço para alcançá-la.
Deus conhece os nossos corações. Ele sabe quem deseja passar a eternidade no ambiente de perfeição idealizado por Ele. E, ainda que esse grupo de pessoas não seja grande, comparado com o grupo daqueles que desistiram desse propósito, aceitando que esteja bom para eles qualquer coisa que vier, a Bíblia relata o esforço de Deus para ajudar esse pequeno rebanho que busca obter novamente alcançar e viver na Sua perfeição.
Um dia o homem voltará a ser perfeito. Mas esse é um caminho longo, o qual exigirá muita luta, muito esforço e muita abnegação. Mas o vencedor receberá a coroa da vida. É assim a Palavra.
Não temais, ó pequeno rebanho, porque a vosso Pai agradou dar-vos o reino. Lucas 12:32.
Porfiai por entrar pela porta estreita; porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão. Lucas 13:24.
Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. Mateus 7:13,14.
No princípio nossos pais deveriam ter caminhado conforme o que fossem aprendendo com Deus. E hoje também não é diferente. Cada dia aprendemos uma coisa nova e devemos colocá-la em prática. Não é pelo aprendizado teórico que vamos alcançar a perfeição de Deus, mas sim pela vivência e pela prática das boas obras recomendadas pelos nossos guias espirituais, principalmente pelo que Deus for nos revelando nas Sagradas Escrituras. Nós temos o potencial da perfeição. A prática nos fará perfeitos.
Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Por isso todos quantos já somos perfeitos, sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa de outra maneira, também Deus vo-lo revelará. Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra, e sintamos o mesmo. Filipenses 3:13-16.
Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra. 2 Timóteo 3:16,17.
Todo aquele que se aperfeiçoa no dia a dia pela prática das coisas que for aprendendo, dia a dia, igualmente vai se tornando uma nova criatura. Esse é o alvo daqueles que desejam viver um dia no reino de Deus. Que nós possamos ter a felicidade de estar entre os escolhidos do Senhor. Amém!

sábado, 30 de junho de 2018

A virtude do perdão


A virtude do perdão

Izaias Resplandes
 
E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas. Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está nos céus, vos não perdoará as vossas ofensas. Marcos 11:25-26.
Perdoar é, com certeza, a maior de todas as virtudes que alguém possa ter. Por amor de Jesus, Deus Pai nos perdoou de nossas muitas transgressões, de nossa multidão de pecados. E, não por acaso Jesus ensinou que a resposta às nossas orações pelo perdão de nossas ofensas depende da nossa capacidade de perdoar aos que nos têm ofendido. É assim a Palavra:
Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; e não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém. Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas. Mateus 6:12-15.
Nós sempre achamos que merecemos uma segunda oportunidade; e às vezes, até uma terceira, uma quarta… Mas nós mesmos, não estamos dispostos a dar mais uma oportunidade àqueles que falham conosco.
Certa vez, o apóstolo Pedro conversava com Jesus a respeito do perdão e recebeu dele uma aula magistral. É assim a Palavra:
Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete. Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos; e, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos; e, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse. Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Então o Senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida. Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves. Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara. Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que lhe devia. Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas. Mateus 18:21-35.
O perdão é a maior de todas as virtudes. Tanto é assim, que dependemos dele para que possamos receber a salvação de nossa alma e assim, o reino de Deus.
Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor. Atos 3:19.
Os nossos pecados nos separam de Deus, nos impedem de entrar nos céus. Somente poderemos ser salvos da perdição eterna se nos livrarmos das consequências de nossos pecados. É assim a Palavra:
Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça. Isaías 59:1,2.
Deus quer nos perdoar. Jesus morreu em nosso lugar para que pudéssemos ser perdoados de nossos pecados. E para que pudéssemos viver em paz com Deus. Por sua morte, Jesus abriu as portas para a nossa reconciliação com o Pai.
Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Romanos 5:6-8.
Deus quer nos perdoar e por isso Ele tem paciência conosco. Assim escreveu o apóstolo Pedro:
O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. 2 Pedro 3:9.
Sim, meus queridos… Deus quer nos perdoar, mas ele estabeleceu uma condição para pudesse nos perdoar. E a condição é difícil de cumprir, porque nós queremos ser perdoados infinitas vezes, mas temos dificuldades para perdoar mesmo por uma única vez.
Deus somente nos perdoará, se nós, primeiramente, perdoarmos àqueles que nos têm ofendido. Se não perdoarmos, ele também não nos perdoará. E esse é o fundamento para que nós busquemos nos aperfeiçoar nessa área.
É verdade que não basta que perdoemos aqueles que nos ofenderam para que sejamos salvos. A salvação tem outros fundamentos além desse, mas com certeza, ainda que Cristo morresse em nosso lugar mil vezes, nem por isso seríamos perdoados, se primeiro não formos capazes de perdoar.
No reino de Deus não entra mágoa, não entra ódio, não entra rancor. O reino de Deus é para aqueles que, antes de qualquer outra coisa, aprenderam a perdoar.
Quantas vezes já desejamos o mal para alguém! Quantas vezes já clamamos por justiça? Ou por vingança? Não importa quantas vezes… O que importa é sermos capazes de perdoar. E já que estamos no plano do “quantas vezes”, deveríamos perguntar por quantas vezes já fomos perdoados? E se já fomos perdoados tantas e tantas vezes, outras tantas mais deveríamos perdoar.
É de registrar e destacar que nossa salvação está associada ao princípio da reciprocidade, pois somente se perdoarmos, seremos perdoados.
É verdade que nenhum de nós é perfeito nem nesta área e nem em qualquer outra, mas devemos lutar pelo que devemos ser, esquecer o que passou e avançarmos. É assim o ensinamento de Paulo:
Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Filipenses 3:12-14.
Imploremos a Deus pela transformação de nossos corações de pedra em corações capazes de perdoar. Que possamos crescer na graça do perdão. É isso que Jesus, que deus sua vida por nós, espera de nós, para que sua morte não tenha sido em vão no nosso caso.
Deus nos abençoe!


Noticias da semana

Nesta tarde de domingo, nos reunimos pela primeira vez com as crianças do novo condomínio próximo à chácara Porta da Fé, em Corumbá-MS, onde atualmente residem 250 famílias. 
Contamos com a presença de 20 crianças, dentre as quais 8 receberam a Cristo.
Professora Duda com os novos convertidos.




Curso de preparação de professores para Alfabetização pela Bíblia

Manaus - AM - Nesta quinta (28/6),  pela manhã, tivemos a primeira aula do curso de Alfabetização pela Bíblia, com a presença de 4 irmãos neotestamentários: Elisângela do Grande Vitória, Joana Chaves do Jorge Teixeira e Zeneide e pastor Ribamar do Castanheiras em Manaus.

 Missionária Carla Lima M. de Oliveira ministrando o curso


O encerramento do curso Alfabetização pela a Bíblia aconteceu na Igreja do Castanheiras neste sábado, 30/6, com entrega de certificados. Estiveram presentes os pastores José Jorge Ribeiro e Elizandro Ribeiro.

O pr. Elizandro Ribeiro é o responsável pela selfie
 A irmã Joana da Igreja do Jorge Teixeira, recebendo o certificado  pelas mãos da Missionária Carla
 A filha da missionária Lívia entregando o certificado ao Pr. Ribamar pela participação no curso
Pastor José Jorge Ribeiro entregando o certificado à irmã Zenilda pela participação no curso 

Novo Local da Igreja de Tangará da Serra - MT

Os irmãos de Tangará alugaram um novo salão de reunião. O anterior estava pequeno para acomodar todos os irmãos, adolescentes e crianças

 Eles já tem um terreno para construção de um salão para a reunião da Igreja Neotestamentária, em Tangará da Serra-MT, mas a prefeitura tem colocado muitos obstáculos para uma obra relativamente pequena. 

 A felicidade deste novo local está estampada no rosto dos irmãos. 
O desejo deles é que novas pessoas possam fazer parte da Igreja do Senhor Jesus Cristo.
À frente deste trabalho estão os missionários Ademar Soares de Lima e sua esposa Elizabeti.

Missionária faz curso em Lucas do Rio Verde,MT
A missionária Rosangela  Lins Almeida está em Lucas do Rio 
Verde no Mato Grosso fazendo um curso ministrado pela APEC/MT.
Está levando em sua mala a sua companheira missionária. 

Este curso visa uma melhor capacitação para ensinar as crianças já salvas.

sábado, 23 de junho de 2018

O controle da ansiedade


O controle da ansiedade

Izaias Resplandes

E disse [Jesus] aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis. Mais é a vida do que o sustento, e o corpo mais do que as vestes. Considerai os corvos, que nem semeiam, nem segam, nem têm despensa nem celeiro, e Deus os alimenta; quanto mais valeis vós do que as aves? E qual de vós, sendo solícito, pode acrescentar um côvado à sua estatura? Pois, se nem ainda podeis as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras? Considerai os lírios, como eles crescem; não trabalham, nem fiam; e digo-vos que nem ainda Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles. E, se Deus assim veste a erva que hoje está no campo e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé? Não pergunteis, pois, que haveis de comer, ou que haveis de beber, e não andeis inquietos. Porque as nações do mundo buscam todas essas coisas; mas vosso Pai sabe que precisais delas. Buscai antes o reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não temais, ó pequeno rebanho, porque a vosso Pai agradou dar-vos o reino. Vendei o que tendes, e dai esmolas. Fazei para vós bolsas que não se envelheçam; tesouro nos céus que nunca acabe, aonde não chega ladrão e a traça não rói. Porque, onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração. Lucas 12:22-34.

Nós queremos muitas coisas. Na verdade, nós gostaríamos de satisfazer todos os desejos de nosso coração e de nossa alma. E podemos ter tudo isso, mas existem coisas muito mais importantes na vida do que o ter. E nós não devemos deixar as coisas essenciais de lado para perseguirmos as secundárias.

O Pregador escreveu: Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo. Eclesiastes 11:9.

Devemos conduzir nossa vida de acordo com as nossas possibilidades, para que, amanhã ou depois não venhamos enfrentar dificuldades por conta de qualquer trivialidade da vida, por deleites que poderíamos ter esperado mais um pouco. É assim que Deus deseja nos ver em ação.

Tiago escreveu: De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis. Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. Tiago 4:1-3.

A palavra-chave para os nossos planos futuros deve ser: necessidade. Devemos buscar aquilo que realmente precisamos, principalmente nos tempos de vacas magras. Se assim o fizermos, teremos asseguradas as bênçãos de Deus.

Assim diz o salmista: NÃO te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniquidade. Porque cedo serão ceifados como a erva, e murcharão como a verdura. Confia no Senhor e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado. Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará. Salmos 37:1-5.

A ansiedade caminha na contramão da paciência, da longanimidade, da confiança… Não devemos colocar o nosso chapéu onde a nossa mão não alcança. Quantas pessoas se afundam em dívidas de onde nunca conseguem mais sair, simplesmente porque não tiveram a paciência de esperar a hora certa! Não devemos seguir o caminho do ansioso, mas o do paciente.

Assim diz o salmista: Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor. Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos. Salmos 40:1, 2.

Nós sonhamos muito, quase todos os dias temos novos sonhos. Isso é bom, porque ainda que devamos viver com os pés no chão, também devemos pensar no amanhã. Há uma sabedoria que nos manda vivermos o hoje como se fôssemos morrer amanhã e trabalharmos hoje como se fôssemos viver eternamente.

Não devemos passar fome para pouparmos o alimento para amanhã. Com certeza, se formos obedientes a Deus, ele nos dará o nosso pão de cada dia. Ele não cuida dos animais que vivem no campo! Por que não cuidaria de nós? Mas também não devemos esbanjar ou desperdiçar, jogar fora ou fazer pouco caso daquilo que Deus nos tem dado, porque isso é ofensivo.

José, inspirado por Deus, orientou o Rei do Egito a guardar uma parte dos alimentos para os tempos difíceis que viriam. A orientação de José não é apenas para os egípcios. É uma orientação para todos nós, em todos os tempos.

A vida não é constituída somente de tempos favoráveis. Os tempos difíceis sempre estão batendo às nossas portas. Devemos estar preparados para esses dias, agindo com sabedoria e administrando o nosso patrimônio de tal maneira que tenhamos com que nos socorrer nos dias maus.

O mundo não é nosso, mas foi colocado em nossas mãos para que nós o administrássemos. Ora, qualquer administrador que não for capaz de apresentar bons resultados ao seu patrão a respeito de seus empreendimentos, certamente será substituído. A gente vê isso acontecendo todo dia com os técnicos de futebol que não conseguem levar seus times às vitórias.

Jesus exemplificou como devemos atuar na condição de administradores de seu patrimônio, na parábola dos talentos.

Ele disse que certo homem, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens. E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe. E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos. Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois. Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor. E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles. Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles. E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor. E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos. Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor. Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste; E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu. Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros. Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos. Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado. Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes. Mateus 25:14-30.

Então é assim que deve ser… Nós devemos trabalhar de forma a obtermos resultados favoráveis com o nosso trabalho. Investirmos com sabedoria, de forma que poderemos crescer. Mas devemos fazer isso sem usura, sem olho grande, sem correria, com muita calma e paciência.

A ansiedade nos tapa o entendimento, a visão e a lógica. E por causa disso nós fazemos besteiras. Nós não estamos sozinhos no mundo. Nós temos a nossa família, que deve ser um suporte para as nossas ações.

A família deve ser consultada, sempre. Não é vergonha pedir conselhos. É sabedoria. Mas devemos pedir conselhos antes de tomarmos qualquer atitude. Depois que fizermos nossas besteiras, só nos resta mesmo arcarmos com as consequências.

É preferível ficarmos chateados porque não recebemos uma ajuda que esperávamos para fazer isso ou aquilo que nós desejávamos, do que agir precipitadamente e depois ficarmos presos com os credores de plantão, sempre prontos para nos oferecer o socorro que vai nos colocar em suas mãos.

Tenhamos fé de que, no tempo certo, com a graça de Deus nós realizaremos os nossos sonhos tão desejados. Até lá, vamos seguindo em oração, estudo, trabalho, economia e administração com sabedoria. Vamos dando um passo de cada vez, sempre sabendo aonde estamos pisando.  É assim que os frutos virão.

Que Deus nos abençoe!

sábado, 16 de junho de 2018

Retiro de casais em Piribebuy - Paraguai

Nos dias 09 e 10 de junho, Aconteceu o Retiro de casais, em Piribebuy, Paraguai.



Um grupo de irmãos de Assunção sentiu a necessidade de ter este Retiro, tendo em vista o surgimento de muitos  casais novos.
O convite foi direcionado aos casais com 8 até 10 anos de casados.

Os palestrantes foram os casais de missionários  Eliezer e Oilda Medina e José Gomez e sua esposa Sérgia. 
O Retiro foi coordenado pelo casal  de missionários Eliezer e Oilda Medina.

Tema: 
As responsabilidades do casal, pela Palavra, para o bom funcionamento da família e da igreja. 

 35 casais participaram deste grande evento juntamente como os colaboradores de cozinha.
Noemi Pires ficou  responsável pela  recepção e os bolos.
As cozinheiras são:
Apolonia de Alvarez(Poli), Gloria Martinez, Graciela de Sta Cruz e Ana de Candia!
Ayudantes, Maria de Gómez e Miriam de Alcarás!

 Alguns casais deram testemunho


O convite foi estendido para os irmãos das igrejas Neo Testamentarias do Paraguai . Este evento será realizado  duas vezes ao ano.





A organização foi impecável desde a arrumação do refeitório até a cozinha. 














Como a noite estava fria teve fogueira para esquentar o ambiente gostoso da comunhão e muito chimarrão.


 Noemi Pires, Paraguai: 

Correspondente no Paraguai