sábado, 6 de janeiro de 2018

O dia de descanso

O dia de descanso
Izaias Resplandes de Sousa
Todo aquele que trabalha necessita de um período de descanso. A legislação trabalhista brasileira estabelece regras para o descanso interjornada e o descanso intrajornada.
O intervalo intrajornada é destinado, principalmente, à alimentação do trabalhador. E hoje, ainda que atual legislação fala que esse intervalo poderá ser reduzido para até 30 minutos por Acordo ou Convenção Coletiva de Trabalho... Nas jornadas superiores a seis horas (que é a maior parte dos casos), a norma geral define a obrigatoriedade de um período mínimo de 1 hora pra o descanso intrajornada.
Já o intervalo interjornada é destinado, principalmente, ao repouso do trabalhador. E, na legislação brasileira, esse período é de no mínimo 11 horas.
O que se verifica é que a partir de quatro horas de trabalho, já se exige intervalos de descanso para que o trabalhador possa recuperar as suas energias, que vão de 15 minutos até 2 horas.
A Bíblia também trata desse assunto, destacando-se que o dia de descanso foi criado por Deus.
E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera. Gênesis 2:2,3.
No caso do descanso de Deus, não significa que Deus ficou cansado, porque Ele não é humano para que se canse. O que Deus faz é aplicar o princípio do exemplo. Quando você quer ensinar alguém a fazer alguma coisa, comece por fazer você mesmo. Mostre como se deve fazer. Seja um exemplo. Não em palavras, mas de fato.
Jesus disse aos seus discípulos em determinado momento: Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. João 13:15.
O apóstolo Paulo escreveu a respeito do exemplo, dizendo:
Sede meus imitadores, como também eu de Cristo. 1Coríntios 11:1.
Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam. Filipenses 3:17.
Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; Efésios 5:1.
Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores. 1 Coríntios 4:16.
É lamentável a distorção que muitos têm feito sobre os ensinamentos a respeito do dia do descanso. Ao longo da história judaica, esse dia foi chamado de sábado.
Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Êxodo 20:8.
Seis dias se trabalhará, porém o sétimo dia é o sábado do descanso, santo ao Senhor; qualquer que no dia do sábado fizer algum trabalho, certamente morrerá. Êxodo 31:15.
Seis dias o colhereis, mas o sétimo dia é o sábado; nele não haverá [a colheita do maná]. Êxodo 16:26.
Guardarão, pois, o sábado os filhos de Israel, celebrando-o nas suas gerações por aliança perpétua. Êxodo 31:16.
Mas o ensinamento de Deus sobre o dia de descanso era como que dirigido a “crianças”. O que se vê no Velho Testamento é um “fará isso” ou um “não fará isso”. A técnica utilizada é a do ensinamento para crianças, para pessoas que ainda não têm a maturidade para discernir entre o que é conveniente ou não.
Crianças não têm limites. É preciso que se estabeleçam os limites para elas. E não entendem direito o porquê das coisas. Por causa disso se usa muito o tom ameaçador do ordenamento. “Se você fizer isso, será castigado, morrerá ou coisa parecida”.
Também farás túnicas aos filhos de Arão, e far-lhes-ás cintos; também lhes farás tiaras, para glória e ornamento. Êxodo 28:40.
E porei separação entre o meu povo e o teu povo; amanhã se fará este sinal. Êxodo 8:23.
E farás um altar para queimar o incenso; de madeira de acácia o farás. Êxodo 30:1.
Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra. Êxodo 20:9.
Também farás túnica de linho fino; também farás uma mitra de linho fino; mas o cinto farás de obra de bordador. Êxodo 28:39.
Ou ainda, “se você não fizer isso será castigado, ou morrerá”. Esse é o tom das conversas, na maioria das vezes.
Não te farás deuses de fundição. Êxodo 34:17.
Não farás aliança alguma com eles, ou com os seus deuses. Êxodo 23:32.
Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Êxodo 20:4.
O segundo ponto de destaque na teoria do dia de descanso está relacionado com o trabalho... “Seis dias trabalharás”, em “seis dias farás toda a sua obra”. O dia de descanso é o sétimo dia de uma sucessão de seis dias trabalhados.
O sábado de descanso não é um dia exclusivo do calendário semanal. Não é propriamente o dia de sábado do calendário, ainda que possa ser. No caso do Brasil, por exemplo, a maioria das pessoas começa a trabalhar na segunda-feira e trabalha até sábado. Nesse caso, o dia de descanso seria o domingo, que sucede os seis dias trabalhados.
Em empresas onde se trabalha todos os dias, há empregados que folgam na segunda, outros na terça, na quarta... Ou seja, o que se preserva é o descanso após seis dias de atividades laborais.
O judaísmo fez a divinização do sábado. E muita gente, convenientemente, segue esse ensino ao pé da letra. Jesus fez questão de mostrar que o mais importante não era propriamente o sábado, mas o homem trabalhador cansado, que precisava de um dia para descansar.
 Disse Jesus aos seus discípulos: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. Marcos 2:27.
É preciso ter compaixão daquele que sofre diante do labor. É preciso ter consideração com o trabalhador. O trabalho é digno, mas tem limites. Seja qual for a sua natureza.
Certa vez Jesus fez isso de forma literal. Chamou seus discípulos e disse-lhes: Vinde vós, aqui à parte, a um lugar deserto, e repousai um pouco. Porque havia muitos que iam e vinham, e não tinham tempo para comer. Marcos 6:31.
Essa é a essência do dia de descanso, seja sábado, domingo ou qualquer outro dia da semana. Devemos seguir a regra dos seis por um. Seis dias trabalhados por um de descanso.
O próprio Senhor Jesus trabalhou no sábado e deixou ensino sobre isso.
E aconteceu que, passando ele num sábado pelas searas, os seus discípulos, caminhando, começaram a colher espigas. Marcos 2:23.
E perguntou-lhes: É lícito no sábado fazer bem, ou fazer mal? Salvar a vida, ou matar? E eles calaram-se. Marcos 3:4.
E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará? Mateus 12:11.
Há muita gente que defende o descanso especificamente no dia de sábado. Vamos respeitar o entendimento dessas pessoas, mas não é esse o fundamento que vemos nos ensinamentos sagrados. Há pessoas que não trabalharam nenhum dia e já estão querendo descansar.
O ócio não é o ensino bíblico. O trabalho, sim. E o descanso não foi criado para o preguiçoso, para o ocioso, mas para o trabalhador.
Um pouco a dormir, um pouco a cochilar; outro pouco deitado de mãos cruzadas, para dormir... Assim te sobrevirá a tua pobreza como um vagabundo, e a tua necessidade como um homem armado. Provérbios 24:33,34.
Vai ter com a formiga, ó preguiçoso; olha para os seus caminhos, e sê sábio. Pois ela, não tendo chefe, nem guarda, nem dominador, prepara no verão o seu pão; na sega ajunta o seu mantimento. Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono? Um pouco a dormir, um pouco a tosquenejar; um pouco a repousar de braços cruzados; assim sobrevirá a tua pobreza como o meliante, e a tua necessidade como um homem armado. Provérbios 6:6-11.

O apóstolo Paulo chega a dizer que o que não trabalha nem sequer deve comer, quanto mais descansar.
Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também. 2 Tessalonicenses 3:10.
Quanto à quantidade de horas trabalhadas por dia, a Bíblia não é tão explícita quanto a isso, mas temos ensino que pode ser aplicado ao caso.
Pedro ensina: Honrai a todos. Amai a fraternidade. Temei a Deus. Honrai ao rei. 1 Pedro 2:17.

Entendemos esse “honrai ao rei” como um dever de obedecer as suas normas, desde que não sejam contrárias aos ensinos da Palavra de Deus.
Admoesta-os a que se sujeitem aos principados e potestades, que lhes obedeçam, e estejam preparados para toda a boa obra; Tito 3:1.
Sujeitai-vos, pois, a toda a ordenação humana por amor do Senhor; quer ao rei, como superior; quer aos governadores, como por ele enviados para castigo dos malfeitores, e para louvor dos que fazem o bem. Porque assim é a vontade de Deus, que, fazendo bem, tapeis a boca à ignorância dos homens insensatos.1 Pedro 2:13-15.

Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus. Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação. Romanos 13:1, 2.
O entendimento que temos é que nós, como cristãos, devemos sempre obedecer às leis do país, sempre que não forem contraditórias com os ensinamentos da Palavra de Deus. Nesse sentido, entendemos que, no caso brasileiro, a jornada de trabalho devida é a jornada legal.
A Constituição Federal estabelece que a jornada máxima é de oito horas diárias e quarenta e quatro semanais. O que passar disso é trabalho extraordinário e deve ser remunerado com acréscimo de no mínimo 50 por cento.

A jornada extraordinária pode exceder, atualmente, até quatro horas, levando a jornada diária para 12 horas. Trabalhando até esse limite, ainda sobrariam 12 horas para o descanso interjornada.
Ao concluir essa dissertação queremos dizer que se formos patrões, devemos ser justos com nossos empregados e obedecer as normas legais. E se formos empregados, devemos trabalhar com todo o nosso empenho, ganhando a confiança e o respeito de nossos patrões e com isso haveremos de ser abençoados por nosso Senhor.
Assim disse Jesus: Não resistais ao mau; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra; se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas. Mateus 5:39-41.

Que Deus nos abençoe!

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Gratidão, sempre gratidão!

Expressamos nossa gratidão, pelas graças recebidas no ano que vamos deixando. Primeiramente ao nosso Deus que, nos encheu de suficiência, para superarmos todos os obstáculos. Em segundo, a todos vós estimados irmãos, pelas orações, pelas dádivas e todo sustento que recebemos através das igrejas. Se ainda estamos no serviço de resgate é porque vocês estão segurando a corda dos resgatadores. 
Que no ano de 2018, Deus nos fortaleça com sua graça para que juntos, continuemos executando nossa responsabilidade com amor e fidelidade. Muito obrigado meus irmãos! Que a graça do Senhor vos faça prosperar para toda boa obra. 

Cordialmente em Cristo,

Missionários, Joab e família.

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

sábado, 23 de dezembro de 2017

Dezembro o mês da Luz

"Graças à entranhável misericórdia de nosso Deus, pela qual nos visitará o sol nascente das alturas, para alumiar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz.( Lc1:78,79) 
Estamos em um período do mês em que se faz mais o uso da luz,por onde andamos vemos luzes de todas as cores, cada uma mais atraente que outra, enfim, é o mês da luz. 
Luz, significa: calor, saúde, visão. Em suma, vida.
A primeira palavra criativa de Deus, foi a luz. "Disse Deus: Haja luz; e houve luz (Gn1:3). A luz foi uma resposta de Deus ao domínio das trevas. Sem ela, os passos seguintes seriam sem significado. Ela foi a forma, o alicerce, fundamental para a existência do Universo.
A Luz é essencial para a evolução da vida na terra. É lá que faz o processo da fotossíntese ( Processo pelo qual as plantas verdes e algumas bactérias geram carboidratos a partir do dióxido de carbono, de água e sais inorgânicos, usando a luz solar como fonte de energia), o processo pelo qual as plantas ao receberem a luz(energia), crescem e eventualmente produzem alimentos para outras criaturas através da cadeia alimentar. Os raios infravermelhos nos dão calor de que necessitamos para viver, enquanto a luz visível é a parte do aspectro que nossos olhos precisam para enchergar e que também regula nosso rítimo biológico, chamado circadiano. Nosso humor e sensação de bem-estar, também podem ser afetados pela luz visível. A privação de luz, pode causar um tipo de depressão de inverno conhecida como: distúrbio afetivo sazonal. Pequenas quantidades de radiação UV, promovem a síntese ( fabricação) de vitaminas na pele. Está vitamina, fortalece os ossos e portanto, evita o raquetismo ( doença do período do crescimento, caracterizada por deformações do esqueleto, enfraquecimento geral, dores musculares e etc...
A luz serve para: iluminar, aquecer, esclarecer, dar segurança, trazer vida, saúde, direcionar e alegrar o ambiente. Pense o que seria de nós sem luz? Sem luz eu não escreveria a respeito da mesma, vocês não estariam lendo esta mensagem usufruindo de um ar- condicionado agradável!
De todos os seres vivos do planeta, pouquíssimos são os que podem viver sem luz. Para nós seres humanos, a luz é crucial.
Infelizmente, milhões de seres humanos vivem imersas em verdadeira escuridão espiritual. Jesus disse em João 8:12" Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas, pelo contrário terá a luz da vida". Uma vida é tomada por trevas enquanto dominada pelo pecado. João 3:19-21 diz:" O julgamento é este: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal, aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem arguidas  as suas obras. Quem pratica a verdade aproxima-se da luz a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque feitas em Deus". Como necessitamos de Deus amados!
Quem viver em trevas, está inserido no reino das trevas, tal reino, consiste numa região de morte, dor, sofrimento e tristeza. Jesus veio nos livrar do império das trevas. " O povo que jazia em trevas viu grande Luz, e os que viviam na região e sombra da morte, resplandeceu- lhes a luz"(Mt4:16). Como me regozijo por isso! Ainda mais! " dando graças ao Pai que nos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na Luz. Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados.( Cl1:12-14). Trevas, simboliza pecado, todo tipo de depravação. Os mundos materiais torna-se possíveis mediante o ato criativo de Deus que produz luz. Exatamente a mesma coisa se dá no caso de sua criação espiritual. Sem a luz do sol, não poderia haver vida física na terra. Sem Jesus, que é a Luz do mundo, não poderia haver vida espiritual. Jesus, a verdadeira luz, ilumina e elimina as trevas do mal. " Ora, a mensagem que da parte dele temos ouvido e vos anunciamos é esta: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhuma".( 1Jo1:5). Jesus disse mais:" Eu vim como luz para o mundo, a fim de que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas".(Jo12:46) 
Ao crermos em Jesus Cristo, recebemos a luz e nessa luz caminhamos às moradas celestiais, ao reino da luz( 1Pe2:9).
Que regozijo tenho caminhando com Jesus! 
" Ao único que possui imortalidade, que habita em luz inacessível, a quem homem algum jamais vou, nem é capaz de ver. A ELE HONRA E PODER ETERNO. AMÉM (1Tm 6:16) 

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Outra vez é natal

Outra vez é natal
Izaias Resplandes de Sousa
E então, outra vez é natal.  Para nós, na verdade, isso não é novidade.  Sabemos que todo dia é natal, porque todo dia Jesus nasce no coração de alguém, para dar a esse alguém a salvação de seus pecados.
A Bíblia diz que Jesus veio ao mundo com a missão de salvar o seu povo dos pecados deles. Mas também nos diz que a salvação foi ampliada para todos aqueles que o receberam.
Receber a Jesus é permitir que ele nasça, cresça e reine em nossos corações.
Jesus veio ao mundo para ser Salvador, Senhor e Rei. Quando falamos em receber a Jesus, estamos falando em recebê-lo nessas três dimensões.  Recebê-lo como Salvador.  Recebê-lo como o Senhor.  E recebê-lo como Rei.
Normalmente, as pessoas não sentem a necessidade da salvação por que elas pensam em salvação material, como por exemplo, a salvação de uma enfermidade, a salvação de uma tristeza, a salvação de perder alguém que se ama, a salvação de um casamento, a salvação de um acidente e tantas outras.  Mas pouca gente pensa na salvação da alma, que é justamente a parte mais importante na composição do ser humano.
Nós somos almas.  Quando Deus soprou o fôlego de vida no homem que criara, o mesmo foi feito alma vivente.  O corpo nada mais é do que um casulo para a alma e o espírito.
Quando nossa vida chega ao fim na terra, o nosso espírito retorna para Deus, o nosso corpo volta novamente a ser o pó da terra, de cujo material foi feito.  E o que sobra é a alma.  E a alma é realmente tudo o que importa.  É a alma que precisa ser salva, por que é a alma que poderá ir para o céu e entrar no gozo preparado por Deus, como também é a alma que poderá ir parar no lago que arde com fogo e enxofre, de que fala o livro do Apocalipse, onde haverá choro e ranger de dentes, onde o sofrimento é de tal grandeza que a Bíblia diz ser este lugar o equivalente a uma segunda morte.
Então, meus queridos… Jesus veio ao mundo para trazer o céu de Deus aos homens pecadores, entre os quais todos nós estamos.  Sim, porque todos pecaram. Todos foram destituídos da glória de Deus. Todos carecem do favor divino para poder gozar a vida eterna no céu.
A vida eterna, que o nascimento de Jesus proporcionou a todo aquele que nele crer, continua disponível enquanto a pessoa viver.  Após a morte, no entanto, cessa essa tão rica oportunidade de salvação. A salvação é para as pessoas que têm condições de decidir se a querem ou se não a querem.  E essa decisão somente pode ser tomada enquanto a pessoa estiver respirando.
Há muita gente imaginando que poderá tomar essa decisão depois que deixarem esta vida, mas não poderá.  Após a morte virá o juízo de Deus. E quanto a morrer, ainda que nem todos nós morreremos, porque alguns dos de nós, que estivermos vivos seremos transformados quando da vinda de Jesus. Mas, se nem todos morreremos, o certo é que transformados seremos todos. Tanto os que estiverem vivos, quanto os que estiverem mortos por ocasião da segunda vinda de Jesus. Todos serão transformados em seres espirituais, porque o Reino de Deus não é para sangue e carne, mas para seres espirituais.
O calendário greco-romano que atualmente se usa no mundo ocidental e também em alguns países do mundo oriental, estabelece que Jesus nasceu em 25 de dezembro. Mas isso não é importante.  O dia que Jesus veio ao mundo é muito importante do ponto de vista do significado desse dia para a humanidade, mas significa muito pouco do ponto de vista material, porque Jesus foi apenas um receptáculo para a encarnação física do Deus unigênito, eterno é imortal.
Jesus é o Verbo de Deus que estava lá no início do mundo criando-o. Jesus é a voz de Deus que tornou o mundo uma realidade.  Jesus é o criador. Jesus é a palavra criadora. Tudo foi criado por ele e sem ele nada do que foi feito se fez.
Jesus é Deus.  E sempre existiu.
Sempre que uma pessoa se arrepende de seus
pecados, que reconhece a sua rebeldia para com Deus, que reconhece que não tem colocado Jesus no ponto mais importante de sua vida, tal pessoa experimenta aquilo que nós chamamos de novo nascimento.  E esse novo nascimento é proporcionado pela pessoa de Jesus.
A Bíblia diz que aqueles que receberam Jesus nas três condições que já anunciamos, como Salvador, Senhor e Rei, tais pessoas foram feitas por Deus filhos, filhos de Deus. Não filhos nascidos pela vontade da carne, pela vontade do sangue, pela vontade do homem, mas filhos nascidos pela vontade de Deus.
Sempre será natal para as pessoas que conseguirem passar por este novo nascimento, por que o Espírito de Cristo estará presente nesta pessoa, transformando-a, realmente, em uma nova criatura.
Aquele que tiver nascido de novo, que tiver o Espírito de Cristo e que viver segundo os exemplos que Jesus deixou, esse será um novo ser, essa será uma nova criatura.  E o seu viver já não será para ele mesmo, mas será para agradar a pessoa do seu Senhor, Salvador e Rei.
Outra vez é natal? Para quem será o natal dessa vez? O natal será para você, será para mim?  Para quem será?  Para quem Jesus irá nascer?
A verdade é a seguinte.  Jesus somente poderá nascer para aquela pessoa à qual ele ainda não nasceu.
Nós acreditamos que Jesus já tenha nascido de fato em nossos corações.  Mas talvez mais importante do que pensar sobre o significado do natal e sobre para quem será esse natal... O mais importante talvez seja fazer uma avaliação para verificar se de fato nós estamos vivendo segundo o Espírito de Cristo, praticando as coisas que ele ensinou, direta ou indiretamente.  Porque, se ainda não estamos praticando as coisas que Jesus ensinou, se estamos apenas pregando o novo nascimento para os outros, se apenas estamos lendo a Bíblia, se apenas estamos indo à igreja, se apenas estamos carregando a Bíblia debaixo do braço, se apenas estamos fazendo de conta que somos crentes e discípulos de Jesus, então talvez, realmente, devamos estar pensando na mensagem desse natal, como sendo uma mensagem para nós.
Jesus fez uma transformação tão grande nos parâmetros da salvação, que fez com que sua mensagem não fosse compreendida pelas pessoas de seu tempo.
Naquele tempo se imaginava que a salvação era
apenas para os judeus, porque Deus havia escolhido os judeus para ser o seu povo.  Mas é claro que isso nunca foi a intenção de Deus.  Os judeus deveriam ser no espelho para as demais nações, deveria ser um exemplo para que as demais nações seguissem.  Mas eles infelizmente falharam e não conseguiram iluminar o caminho das nações, as quais continuaram perdidas, andando segundo seus próprios pensamentos, segundo os seus achismos, segundo suas filosofias e crendices particulares.  
E então o homem Jesus nasceu. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós.
E ele veio o mundo para dizer que a salvação de Deus havia chegado para todos.  Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna.
Diz a Bíblia que Deus não tem prazer na morte de ninguém.  Diz a Bíblia que Deus não faz acepção de pessoas.  Diz a Bíblia que Jesus não retarda a sua vinda como alguns a julgam demorada, mas que, muito pelo contrário, vivenciamos o tempo da paciência de Deus, porque ele não quer que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao conhecimento da verdade e sejam salvos.
Portanto, meus queridos, outra vez é natal.  Nunca deixou de ser natal.  Enquanto o juízo de Deus não chegar para  humanidade, sempre será natal para aquele que desejar receber o perdão de seus pecados e viver a eternidade na alegria e companhia de Jesus e dos demais filhos de Deus, sem sentir as dores, as tristezas, sem chorar, sem lembrar-se de coisas ruins, eternamente felizes.
Essa é a mensagem que temos para o dia de hoje e também para todos os dias da existência humana, porque sempre será natal enquanto houver uma alma sequer precisando da salvação de Deus.
Portanto, feliz natal para aquele que já tem experimentado a alegria, o prazer e a satisfação do novo nascimento em suas vidas.
Que Deus nos abençoe.
Poxoréu, MT, 20 de dezembro de 2017.

Izaias Resplandes de Sousa




sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Um sermão para as nossas crianças

Um sermão para as nossas crianças
Izaias Resplandes
A nossa vida pode ser maravilhosa. Tudo depende apenas de nós. Podemos fazer apenas as coisas que nós gostamos. Nós temos liberdade para isso. A liberdade é o maior presente que Deus nos deu depois da vida. Deus quer que nós sejamos livres e felizes. Na natureza existem pessoas tristes e pessoas felizes. Tudo é uma questão da escolha que cada cada um faz. Eu posso ser o que eu quero. Ninguém me obriga a ser o que eu não quero ser. Mas há sempre um preço a pagar pelas escolhas que fazemos.
Um sermão é um conselho que uma pessoa mais sábia dá para nós. Eu já fiz muitos sermões na vida. Muitos deles, para os meus filhos. Os sermões nos ajudam a pensar a nossa vida para que a gente faça coisas melhores.
Nós devemos nos esforçar a cada dia para sermos pessoas melhores. Uma das maneiras da gente se tornar uma pessoa melhor é ouvindo os sermões das pessoas mais velhas, que por terem vivido mais devem ser mais sábias do que nós.

domingo, 10 de dezembro de 2017

A administração do conhecimento

A administração do conhecimento


Izaias Resplandes de Sousa

 

E o Senhor Deus fez brotar da terra toda a árvore agradável à vista, e boa para comida; e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal. Gênesis 2:9.

 

Ainda que a dependência venha gerar um certo conforto e tranquilidade para o dependente, o ser humano  nunca se identificou com essa posição. Não sabemos por quanto tempo Adão e Eva viveram sob a dependência direta de Deus. Não há muitos registros na Bíblia a respeito desse período. Mas cremos que a conquista da autonomia pelo homem, ainda que tenha sido colocada como uma possibilidade, ela nunca foi considerada, nos planos do Deus Criador, como uma boa escolha a ser feita.

 

A árvore do conhecimento, que poderia trazer a autonomia para o homem, fora disponibilizada apenas para assegurar o direito de livre arbítrio à criatura. Mas, no fundo de tudo isso estaria, com certeza, a vontade de Deus de que o homem preferisse continuar sob sua dependência em todas as questões da vida.

LEIA MAIS EM:

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

VII Congresso de Jovens em Parintins - AM





Jovens após os estudos e palestras da manhã do 2º dia do evento
Nos dias 02 e 03 de dezembro de 2017, no Templo Central da Igreja Evangélica Neo Testamentária de Parintins, aconteceu o VII Congresso de Jovens da Igreja Evangélica Neo Testamentária de Parintins, no Amazonas, participaram 80 jovens de Parintins e das congregações de Filadélfia e Colônia Soares. O tema do Congresso foi: "A Mensagem da Cruz", João 3.16, baseados no tema principal os preletores desenvolveram mensagens, estudos, cânticos e teatro. Foram momentos maravilhosos de aprendizado e comunhão, os jovens ensaiavam praticamente todas as noites para que tudo fosse realizado com excelência. A mensagem da Cruz foi esplanada de maneira grandiosa, e nos dois dias de evento recebemos muitos visitantes.


Jovens e seus líderes no encerramento do Congresso
 Temos grandes artistas na cidade, um deles é o jovem, agora diácono da Igreja Neo Testamentária do Itaúna, Maylerson Seixas, que preparou durante semanas um painel lindo que ilustrou nas duas noites de evento aquilo que queríamos que ficasse na mente das pessoas presentes. Temos também na Congregação de Palmares o artista Zezinho Ribeiro, que todos os anos de Congresso nos presenteia com um belíssimo quadro para sortear aos presentes.


Dc. Válber Abecassis

Ir. Débora Nunes
Na manhã de domingo tivemos estudo bíblico com a Ir. Débora Nunes e uma palestra sobre saúde preventiva com a Dra. Nayara Nascimento, médica que também é cristã e pôde compartilhar um pouco de seu testemunho e trajetória de vida e palestrar sobre saúde preventiva aos jovens presentes.

Dra. Nayara Nascimento



Jovens no momento de louvor e adoração na manhã de domingo






Foram momentos de muito aprendizado da palavra de Deus

irmãos das congregações de Filadélfia e Colônia Soares

Dc. Maylerson Seixas

A Igreja esteve lotada nas duas noites do evento
Teatro 


Teatro








Foi apresentado o teatro "A crucificação", onde os jovens ensaiaram durante meses para encenar, foi um dos momentos marcantes desse VII Congresso de Jovens, onde muitas pessoas puderam, pela primeira vez contemplar um pouco do que Jesus sofreu na Cruz em nosso lugar. Foi impactante, cremos que a semente foi plantada e em breve dará frutos para honra e glória do Senhor! 

Agradecemos a todos que contribuíram direta ou indiretamente para a realização desse importante evento.

Em Cristo:

Josiane Abecassis




domingo, 3 de dezembro de 2017

A longa vida

A longa vida

Izaias Resplandes

Porque não tenho prazer na morte do que morre, diz o Senhor DEUS; convertei-vos, pois, e vivei. Ezequiel 18:32,

A ideia de Deus para a vida não é a mesma ideia que nós temos dela.  Deus é eterno e o seu desejo  sempre foi que nós também pudéssemos viver eternamente.  Quando ele criou Adão e Eva, lá no paraíso, no Jardim do Éden, Ele pensava que eles viveriam lá para sempre, se alimentando com os frutos da Árvore da Vida que também havia sido plantada por Ele naquele local.  Infelizmente não foi o que aconteceu. O homem preferiu seguir os caminhos do pecado e morreu.  No entanto,  mesmo tendo o homem cometido o pecado e, por consequência, se tornado merecedor da morte como castigo, Deus providenciou um meio para que ele pudesse viver eternamente, caso assim o desejasse. Ele criou um plano de salvação para o homem, que fizesse com que esse passasse da morte para a vida.

E o plano de Deus não mudou. Aliás, Deus é imutável e tudo o que diz respeito a Ele, também. Davi registra, por exemplo, a esse propósito da imutabilidade divina, o seguinte: Para sempre, ó Senhor, a tua palavra permanece no céu. Salmos 119:89.

Deus nunca deixou de querer que nós vivamos eternamente. O plano de salvação que Ele elaborou e executou é um plano para todas as épocas, passadas, presentes e futuras.

De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo. Hebreus 9:26.

Mas como nós só conhecemos a vida terrena, a nossa ideia de vida também é limitada. Moisés, inclusive, fez um registro nesse sentido e que se encontra nos salmos, onde ele diz que os dias da nossa vida chegam a setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o orgulho deles é canseira e enfado, pois cedo se corta e vamos voando. Salmos 90:10.

E parece que é assim mesmo. A pessoa mais idosa da minha família nesse momento é Tia Ana Conceição de Sousa. Ela nasceu no dia 02 de dezembro de 1930. Portanto, neste 02 de dezembro de 2017, completou 87 anos de vida. E embora ela se esforce para ser uma pessoa alegre e presente no seio da família, a gente percebe as dificuldades que ela enfrenta com o peso dos anos. Quantas vezes eu a ouvi dizendo que já viveu o bastante. Mas é claro que não concordamos com isso. Para nós, 87 anos é um grão de areia diante da eternidade. E é essa a ideia que deve ficar na nossa mente e em nosso coração.

A vida pode ser eterna, para sempre. Assim disse Jesus.


Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida. João 5:24.

E mais uma vez vamos destacar o plano para a nossa salvação. O apóstolo João destaca os termos principais desse plano. Diz ele:

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16.

Jesus veio ao mundo para executar o plano de Deus para a nossa salvação, um plano que foi anunciado a Adão e Eva logo depois que eles pecaram, quando o Altíssimo julgou a serpente, que era o Diabo, Satanás. Assim disse o Senhor à serpente:

Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a fera, e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida. E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. Gênesis 3:14,15.

Jesus veio ao mundo e morreu por nós, por nossos pecados. O apóstolo destaca essa grande prova de amor, dizendo:

Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Romanos 5:8.

E então, meus queridos… Nós devemos valorizar ao máximo essa vida que Deus nos deu, cuidando de nós todos os dias, de nossa saúde, de nossa alimentação, de nosso corpo. É nosso dever valorizar a vida e crer que a eternidade para nós não é mais uma conjectura, mas uma realidade conformada pela fé que temos.

Ainda não sabemos de fato o que seja a eternidade, porque as nossas experiências são de vidas limitadas. Mas, sim. Haveremos de viver para sempre porque a vida é desejável e porque Deus deseja que nós assim o vivamos.


Portanto, meus queridos, tenhamos o máximo de zelo e responsabilidade com a nossa vida, pois ela é o maior presente que o Criador deu à criatura.

E às nossas tias Anas de Sousas, de 87 anos ou mais, eu peço a Deus que lhes dêem alegria, saúde, força e vigor, porque elas são pessoas muito especiais para as nossas famílias. E também peço essas mesmas bênçãos de longevidade para todos nós.

Viva a vida! Deus nos abençoe!