domingo, 24 de abril de 2011

O recado dos jovens para os jovens

video

O melhor de todos os retiros

Poxoréu, MT. Acampamento Rio dos Crentes. Retiro de Jovens. 21 a 24 de abril de 2011. Segundo o missionário Paulo César Moraes, que coordenou o evento, “esse foi o melhor de todos os retiros”.
Quando ainda estávamos discutindo a sua realização, vários irmãos levantaram as dificuldades para se realizar um retiro em um intervalo bem próximo do outro. Nós tivemos um retiro em março, durante o carnaval. Mas, na ocasião, foram lembradas as razões que nos levaram a decidir sobre a realização de retiros para os jovens. Ou seja, nós não podemos simplesmente fazer cobranças de nossos jovens. Devemos fazer algo por eles.
Ao final desse Retiro tivemos a alegria de dizer aos 31 jovens presentes que nós tivemos o maior prazer de servi-los nesses dias, de estar com eles dando-lhes o nosso melhor, conforme a permissão de Deus.
Na ocasião, eu me lembrei do que Deus dizia a Abraão quando foi para destruir Sodoma e Gomorra. E Abraão intercedida junto a Deus pelos justos que lá havia. Dizia ele: e se houver 50 justos lá? Deus respondia: Não destruirei pelos 50. E ele foi diminuindo: pelos quarenta, pelos trinta, pelos vinte, pelos dez... E o Senhor sempre lhe dizia que não destruiria a cidade por causa de tais. Mas o problema é que ali não havia esses justos para salvar a cidade.
Onde houve dois ou três reunidos em nome de Jesus, Ele está no meio. Ele está junto. Ainda que houvesse apenas dois jovens, nós poderíamos fazer o Retiro e ele seria de grande proveito. Disse aos jovens que, na condição de professor, já dei muitas aulas para apenas três alunos, porque os outros foram embora e não quiseram assistir a última aula. E que permaneci até as 10 e vinte da noite, esforçando para dar a melhor de todas as aulas para aqueles que ficaram.
Os estudos ministrados nesse Retiro de Jovens em Poxoréu, 2011, foram de uma qualidade incomparável. Nossos professores se esmeraram em oferecer aos jovens o seu melhor, conforme a permissão do Espírito. Os temas possuem praticabilidade. Não são simples teorias ou elucubrações. São pesquisas sérias, repletas de exemplos para que o jovem possa seguir com confiança, sabendo por onde está colocando os seus pés e as suas vidas.
Agradecemos aos adultos que apoiaram esse Retiro. Obrigado às irmãs Joneide, Márcia, Elizabeti, Mathilde e Marinalva, que se revesaram na cozinha, preparando uma comida deliciosa e de qualidade para todos nós. Obrigado ao diácono Jair, ao João Rita, ao irmão José Carlos, aos jovens Diego e Daniel (que tocaram para nós). Obrigado aos jovens que dirigiram as reuniões e atividades. Obrigado aos professores Honório, Ivon, Paulo Moraes, Ademar Soares, Ivon e Victor Hugo Matos Leite. Obrigado por todos os demais. Que o mesmo Deus que supriu todas as nossas necessidades nesse Retiro de 2011, continue abençoando e dirigindo a vida de todos nós em benefício de Sua Obra. Que servir ao Senhor com alegria seja o propósito de nossas vidas. Vocês serão sempre lembrados por nós como pessoas muito especiais para a obra neotestamentária.
Até outra oportunidade. Deus esteja com todos.

Brincando com Deus ou levando Ele a sério



Esse foi o tema desenvolvido pelo Missionário Paulo César Moraes (foto ao lado) durante o Retiro de Jovens em Poxoréu, MT, de 21 a 24 de abril de 2011. Os campistas acolheram com grande interesse a explanação, a qual foi feita em linguagem adequada ao nível dos ouvintes. Foi um excelente estudo e de grande aplicabilidade.
A Bíblia está repleta de princípios, os quais, se aplicados à nossa vida, certamente nos conduzirão ao sucesso e à realização plena. Dentre esses está o princípio da responsabilidade pessoal, individual. Segundo a Escritura, cada um dará conta de si mesmo diante de Deus (Rm 14:12). A pessoa, instruída pela Palavra de Deus tem a responsabilidade de colocá-la em prática na sua própria vida. Muitos querem ensinar os outros e dizer-lhes que devem fazer isso ou aquilo. Mas, o verdadeiro ensino tem início com a prática individual. Primeiro eu pratico, demonstro que o ensino é praticável. E aí recomendo aos demais. Veja-se o exemplo de Esdras: “Porque Esdras tinha preparado o seu coração para buscar a lei do SENHOR e para cumpri-la e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus juízos” (Ed 7:10).
A Palavra de Deus é uma pérola de grande valor. É mais preciosa do que o ouro, o diamante. Vale mais que tudo (Pv 3:15).
Aquele que faz pouco caso do que recebe é o porco. Acaba de ser limpo e volta a sujar-se no lamaçal, não dando valor ao banho. Não devemos receber a Palavra como porcos e seim, como pessoas famintas que se alimentam e se nutrem dela. Devemos acreditar no que Deus diz. Se Ele declara que será assim, então assim será. Foi dessa forma que aconteceu com Manoá. Sua esposa era estéril, não tinha filhos. Deus lhe prometeu um filho, mas requereu dela certos cuidados, porque o menino seria nazireu de Deus desde o ventre materno até o dia de sua morte, ou seja, dedicado a Deus, estando impedido de tomar vinho, bebida forte e de comer cousa imunda. E assim nasceu Sansão, um dos juizes de Deus para o povo hebreu.
Sansão, no entanto, foi um jovem brincalhão. Brincou com os dotes que Deus lhe deu. Envolveu-se com pessoas incovenientes; buscou esposa entre outras gentes; e acabou sendo morto. Ele tinha um potencial imenso. Era forte como ninguém e poderia ter bem conduzido o povo de Deus, mas não levou a sério a sua missão e a sua consagração. Segundo o apóstolo Paulo, não devemos nos enganar, pois Deus não se deixa escarnecer (Gl 6:7). Com Deus não se brinca. A alma que pecar, essa morrerá (Ez 18:4).
Outra ilustração apresentada pelo missionário Moraes foi a história de Saul, o primeiro rei de Israel. Embora sua escolha tenha sido uma rejeição ao governo de Deus e Samuel tenha feito objeções a isso, ele foi ungido pelo mandado de Deus. Era um jovem bonito, de grande potencial, mas não soube ser obediente à Palavra de Deus.
Desde os tempos em que Deus tirara os hebreus do Egito, havia uma pendenga divina em relação aos amalequitas. Por causa de sua covardia, atacando os mais fracos, os mais cansados, os que ficara para trás, Deus decidirá apagar a sua memória dentre os homens e disse que isso seria feito no tempo devido (Ex 17:8-16; Dt 25:17-19). E o tempo chegara.
Deus ddá uma ordem a Saul, o rei para que se vá contra os amalequitas e os destrua (1 Sm 15: 3, 7-9). E Saul vai, mas não cumpre a missão cabalmente. Trouxe o melhor do rebanho para oferecer sacrifícios a Deus e poupou a vida de Agague (que significa “chama”). E essa chama que ele deixou acesa foi a responsável pela sua morte. Saul morreu pelas mãos de um amalequita que poupara. Além disso, seus herdeiros perderam o trono de Israel por conta de sua desobediência. Através de Samuel, Deus disse a Saul: “Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros” (1 Sm 15:22). Se Deus manda, temos que cumprir e não achar alguma coisa. Ele sabe o que é melhor para nós. Se Saul não tivesse sido leviano e houvesse cumprido as ordens de Deus, não somente teria permanecido vivo, mas ainda teria salvo o seu trono, o qual, por sua desobediência, foi dado a Davi, seu próximo. Para reforçar o estudo foram lidas as seguintes passagens bíblicas: Pv 1:26-27; 1 Sm 15:20-21; 31:3-4; 2 Sm 1:5-16; Gl 5:24.
Por último analisou a história de Ananias e Safira (At 5:1-11). Esse casal tinha um grande potencial para liderar o povo de Deus, mas não levou a sério a sua Palavra. Mentiram sobre suas ações e morreram por conta disso. Para fundamentar a mensagem, foram lidos os seguintes textos: Gn 18:19; Hb 11:9-10; Gl 3:8-9; e e 2 Co 6:16-18.
Deus faz um pacto com os homens por meio de sua Palavra. Promete bênçãos sem medida. Basta tão somente que se leve a sério o que Ele diz, pondo em prática as suas recomendações.
Essa é a orientação do bom viver.

Os jovens são especiais



23 de Abril de 2010. Retiro de Jovens em Poxoréu, MT. Acampamento Rio dos Crentes. Com a palavra o Pr. Honório Neto (foto ao lado), da Neo de Barão de Melgaço, Pantanal Mato-grossense, o qual destaca o papel que o jovem desempenha dentro da Igreja. Seu ensino tem base bíblica na historia de Daniel, Ananias, Misael e Azarias, quatro jovens judeus de linhagem real, que foram selecionados e levados de Jerusalém para a Babilônia pelo Imperador Nabucodonosor, após a vitória deste sobre Jeoaquim, rei de Judá, ocorrida no ano de 605, a.C..
É de observar que, antes de levar os jovens, Nabucodonosor já havia retirados os bens materiais de seus pais. Mas, não satisfeito, desejou também aos seus filhos mais ilustres. É certo que esse Imperador é figura de Satanás e essa é uma de suas ações mais típicas. Falando dele, Nosso Senhor disse que ele é um ladrão, “o qual vem para roubar, matar e destruir” (Jo 10:10). Ele é astuto como a serpente e vai fechando o cerco até que sua vítima não tenha mais saída.
O jovem deve estar alerta. O apóstolo Pedro recomenda: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (1 Pe 5:8).
Quantos jovens não têm sido levados para o cativeiro e estão servindo ao Maligno, mentindo, enganando aos pais, roubando, furtando e se envolvendo com tudo o que não presta. Certa vez o Senhor disse a alguns judeus que tinha crido nele que eles eram filhos do Diabo e que em seus corações desejavam fazer-lhe a vontade, porque as suas ações apontavam nessa direção. Jesus discutiu a questão do ser filho de Deus, representado pela figura de Abraão, dizendo-lhes que se fosses filhos dele, fariam as suas obras (Jo 8:31-44).
É pelo fruto que se conhece a árvore; pelas obras que se conhece o pai de alguém, porque o filho busca fazer as mesmas obras de seu pai (Lc 6:44).
Satanás não anda à caça de seus próprios filhos. Desde o início ele persegue os filhos de Deus. Começou por Eva e prosseguiu com o seu propósito de enganar os escolhidos ao longo dos séculos (Mt 24:24). Ele deseja os melhores jovens, os mais inteligentes, os mais dinâmicos, os mais fortes, os mais ativos. Se conseguir dominar os cabeças, domina a todos os demais. Essa é a sua estratégia. Quando o povo vir os seus líderes sendo derrotados, então se desanimará de todo.
Uma das primeiras providências de Nabucodonosor foi mudar os nomes dos jovens líderes. Ele chamou Daniel de Beltessazar. Bel era um dos deuses do imperador. O nome de Daniel significava “Deus é o meu juiz”. Agora passava a ser uma invocação a uma divindade que lhe era estranha. E o mesmo aconteceu com os demais. Assim também acontece com os jovens que hoje são capturados pelo príncipe das trevas. São apelidados pelos nomes mais feios e horrendos, muitas vezes tatuados em seus corpos, numa clara homenagem ao mal.
Todavia, jovens... Nós somos o que deseja de nós. Somos embaixadores do rei; somos as lideranças do Senhor para a salvação dos perdidos; somos os filhos de Deus e não aquilo que o inimigo quer que sejamos. Portanto, sejamos fortes e resistamos ao maligno, para que ele nos deixe em paz (Tg 4:7).
O jovem deve conhecer e reconhecer as suas fraquezas. Sejam elas o sexo, as drogas, as bebidas, os jogos, o fumo... Sabendo o que nos prejudica, devemos evitar a contaminação. Aqueles quatro jovens levados para o cativeiro tiveram uma atitude de força diante do inimigo. Eles não se contaminaram com suas comidas e bebidas. O rei mandara que lhes fossem servidos os seus mais finos manjares, mas eles pediram que se lhes desse o mais simples de tudo. E Deus os abençoou, de sorte que ficaram bem apresentáveis. O inimigo nos oferece o que ele tem de melhor para nos prender. As primeiras drogas normalmente são gratuitas e depois de dominados, os jovens entregam tudo o que tem e até o que não tem para adquiri-las. Pronto! Já estão corrompidos e o que lhes espera e a miséria, o sofrimento e a morte.
Jovens, não se deixem contaminar. Fujam dessas coisas. Sujeitem-se a Deus. Envolvam-se com as coisas de Deus. Ele lhes dará a força e a vitória. As dificuldades devem ser enfrentadas na força e no espírito de Deus e não de outra forma. Deus nos protegerá se buscarmos o seu socorro e a sua proteção.
Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará (Sl 37:5).

sábado, 23 de abril de 2011

Até que a morte os separe

Tive a satisfação de assistir uma excelente palestra do Pr. Ivon Pereira da Silva (foto abaixo), ministrada aos jovens neotestamentários acampados em Poxoréu, MT deste o dia 21 de abril de 2011.
Ele me fez pensar e escrever essa página, a qual começaria com um rapaz, uma moça e famílias... Uma relação da qual a maioria dos seres humanos não pode fugir. É certo que em um dia especial quase todos nós constituímos a nossa própria família. Paqueramos, namoramos e casamos. Quem casa quer casa. E vamos para a nossa própria casa com a intenção de sermos felizes para sempre. No entanto, ainda que seja o que mais desejamos, nem sempre a nossa história de relacionamento familiar tem um final feliz. Algumas sequer começam. Outras mal-começam. Muitas acabam mal.
As principais causas do desajuste familiar decorrem da incerteza, da dúvida, da falta de conhecimento do outro e de sua família. No afã de se casar, muitas vezes os jovens atropelam passos importantes, dentre os quais o conhecimento a respeito da família à qual está se integrando.
Seria muito bom que os jovens se casassem dentre de suas próprias comunidades, com pessoas bem conhecidas, com as quais têm convivência, almoçando e jantando juntos, chorando e festejando... Seria bom que freqüentassem a mesma igreja, que tivessem a mesma fé, as mesmas convicções e compartilhassem do projeto de suas respectivas famílias e comunidades. Seria ótimo que os noivos fossem pessoas de dentro de casa, que freqüentassem os mesmos espaços, que se conhecessem bem e que não houvesse surpresas. Seria bom que fosse assim, mas nem sempre isso é possível.
O jovem nubente nem sempre conhece direito o seu futuro cônjuge e, às vezes, pouco sabe de sua família. E com isso, a vida que poderia ser de completa paz e harmonia, muitas vezes se transforma em uma verdadeira guerra familiar. A falta de informação e de conhecimento prévio é a causa principal dessa guerra. Somente quando é tarde demais é que cada um descobre que não conhecia a pessoa com a qual se uniu. Isso pode ser o início de uma vida de angústias, de sofrimentos, de decepções, de brigas, de infelicidade. Quebra-se o vaso de bênçãos e se descobre que, na verdade, o mesmo só coninha maldições.
Nas igrejas, qualquer que seja a religião, o conselho é um só: que o casal seja feliz, que construa e constitua um lar, que tenham filhos abençoados e que a união seja para toda a vida, até que a morte os separe. Mas nem sempre essa é uma bênção profética.
A tendência das coisas que começam mal é acabar mal. Muitos jovens que se casam, sequer sabem as informações básicas sobre o sexo. São analfabetos sexuais.
Contaram-me de uma tia distante que se casou muito jovem com um tio meu e que já estão falecidos há muitos anos. Casaram-se, mas quando chega a noite de núpcias, nada. Quem disse que minha tia estivesse pensando em sexo. Para ela, o casamento era um simplesmente estar junto e não incluía essa entrega sexual que ela sequer sabia o que era. Foi uma decepção para o meu tio. Durante vários dias ele lutou para tentar consumar o casamento em paz, dando informação, esclarecendo sobre como era o relacionamento conjugal, mas minha tia não concordava. Então ele buscou a ajuda dos sogros. E mesmo assim, somente depois da paciência de meses é que ela decidiu ser a mãe de mais de dez primos meus.
No caso de meu tio houve a paciência. Mas nem sempre a coisa é dessa forma. Existem noivos que tentam conseguir o que desejam de uma forma violenta. E a relação que era para começar de uma forma agradável se inicia com agressões, tapas, choros e muito sofrimento. E às vezes acaba ali mesmo, antes de começar.
Segundo o Pr. Ivon Pereira da Silva, da Igreja Neotestamentária, é importante que os jovens nubentes procurem o aconselhamento médico e que recebam a orientação profissional. A ignorância é o princípio da destruição de um relacionamento feliz. Em uma civilização dominada pelo sexo, como a nossa, diz ele, “o conhecimento sobre esse tema é a base para a construção de um lar feliz, o que é desejado por aqueles que se unem através dos sagrados laços do matrimônio”.
Essa é também a nossa orientação pela paz conjugal nos lares da família brasileira. Eu sou Izaias Resplandes. Sou advogado, professor, casado com Dona Maria de Lourdes Resplandes, com quem vivo um lar feliz há mais de 26 anos e pai de três filhos maravilhosos.

Relacionamento familiar



No Retiro de Jovens de Poxoréu, o dia 22 de abril foi marcado por orientações voltadas para o matrimônio. Na parte da tarde, numa reunião dirigida pelo jovem Ânderson, o Pr. Ivon Pereira da Silva desenvolveu um tema sobre o relacionamento familiar. Além de sua própria experiência pastoral, o irmão baseou-se nas seguintes passagens bíblicas: 2 Tm 3:15-17; Rm 1:24-32; Os 4:1-4, entre outras.

À noite, o Acampamento Rio dos Crentes promoveu duas reuniões separadas. O Missionário Paulo César Moraes, da UMNT, campo de Jaciara, MT, falou aos rapazes, enquanto que a sua esposa Marinalva Moraes se dirigiu às moças e desenvolveram o tema: Ser Homem e Ser Mulher. A reunião noturna foi presidida pelo jovem Luizinho, da Neo de Rondonópolis. A mensagem para os rapazes teve a seguinte fundamentação bíblica: 1 Rs 2:2-3; 1 Cr 28:9; Pv 4:3-9; 4:20-24; Ex 18:21; 1 Rs 18:3-4, 12; Is 39:7; 38:2-3; Hb 10:38-39. Os comentários foram privativos.

Na noite deste sábado, o tema voltará a ser explorado através do Missionário Ademar Soares de Lima, da UMNT, campo de Tangará da Serra e de sua esposa Elizabeti Lima, novamente em classes separadas. O objetivo é oferecer uma orientação mais detalhada sobre o relacionamento conjugal.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

As duas faces da vida

Missionário Ademar Soares de Lima



Vinte e dois de abril. Data do descobrimento do Brasil pelos portugueses. Jovens neotestamentários continuam acampados em Poxoréu, MT para o estudo da Bíblia Sagrada. Dos três estudos programados para hoje, a primeira abordagem cabe ao Missionário da UMNT em Tangará da Serra Ademar Soares de Lima. O tema: “As duas faces da vida” segundo o modelo de Jesus Cristo.
O jovem Ricardo Resplandes (foto ao lado) dirigiu a reunião.

O Senhor, como todos os homens possuía duas naturezas:a humana e a espiritual. No caso dele, a última sempre preponderou. Ainda que fosse formoso e gracioso de palavras (Sl 45:2; Lc 4:22) ele não fez disso o fio condutor de sua vida. Sua Palavra não consistia em persuasão humana, mas em sabedoria, autoridade e poder. Ele sabia do que falava e de como devia falar. De forma que sua natureza humana sempre sucumbiu à sua disposição espiritual. As riquezas do mundo, as comidas, os reinos, as glórias... Nada disso o encantou. Sua disposição era fazer a vontade do Pai e glorificá-lo com sua vida e suas ações, servindo de modelo para todos nós.
Se buscarmos de todo o nosso coração fazer a vontade do Pai, como Jesus fez, nós também seremos vitoriosos e teremos a ajuda necessária para vencermos o maligno.
As duas naturezas podem ser também visualizadas nas vidas de Caim e Abel. Caim, o agricultor e Abel, o pastor de ovelhas ofereceram um sacrifício a Deus. Ofereceram do melhor que tinham. Ocorre que o verdadeiro sacrifício não está na oferta, mas no propósito da vida. Caim era um homem carnal. Não estava desejoso de servir a Deus, mas de ser visto e aplaudido em suas ações. Não procurou saber os motivos da recusa de sua oferta. Antes, pelo contrário, encheu seu coração de inveja, de ódio e de rancor contra o seu irmão, tão somente porque ele soube como agradar a Deus. Caim era um homem sem visão espiritual. Ele é ensinado por Deus para fazer as coisas de modo correto. Diz o Senhor: “Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar”. Bastaria que ele fizesse a oferta que Deus queria. Mas ele preferiu fazer a coisa errada e pecou; e matou seu irmão. Que tristeza! Ele se deixou dominar pelo seu desejo carnal, quando a orientação era no sentido de que ele dominasse.
Assim acontece com muitos e muitos.

Ao invés de seguir os passos de Jesus, dominando a carne e andando no espírito, a maioria prefere fazer a coisa errada. Prefere achar que uma coisa não tem nada a ver com a outra. Essa é uma das grandes diferenças entre aqueles que andam no espírito e aqueles que caminham por seus desejos, deleites e prazeres. Para os primeiros, tudo, mas tudo mesmo tem a ver com o seu modo de viver, enquanto que para os demais, cada coisa é cada coisa.
É uma pena que isso esteja acontecendo dessa forma, porque muitos estão indo para o inferno simplesmente porque não conhecem e não dominam as suas duas naturezas.

Os encantos de Rio dos Crentes

Em cada ano, em cada Retiro, Rio dos Crentes nos surpreende com imagens cada vez mais lindas. A mata ciliar está se recompondo. Entre as espécies, há muitas canas de macaco (flor vermelha) e cipó imbé (flor amarela), além de outras plantas de grande beleza.

O chamado de Deus



Victor Hugo Matos Leite

O tema do segundo estudo para os jovens neotestamentários acampados em Poxoréu, MT no dia 21 de abril, aniversário de Brasília, a Capital de nosso país foi “O CHAMADO DE DEUS”. A reunião foi dirigida pelo jovem Cléberson.
O irmão Victor, membro da Neo de Rondonópolis, converteu-se no ano de 2002, durante um retiro no Acampamento Rio dos Crentes, em Poxoréu. Ele conta que assistiu durante muito tempo aos cultos da Igreja em Rondonópolis, antes de fazer sua decisão. Diz que certa vez, após um culto, a irmã Márcia Lomeu, esposa do diácono Jair Lomeu disse-lhe que já estava na hora dele aceitar a Jesus. E que ele pensou que Márcia estava louca pois “quem não gostaria de aceitar a Jesus”... Hoje, falando aos jovens ele lembrou que para um descrente, o crente é considerado um louco. E concluiu que de fato nós somos loucos por conta da nossa pregação. Citou o texto de Paulo em 1 Co 1:18, onde ele fala sobre a loucura da pregação para os que não crêem e que ainda não atenderam ao chamado de Deus para serem salvos.
Em seu estudo, o irmão abordou o chamado de diversos servos de Deus. Destacou o chamado de Moisés (Ex 3:1-15; 4:1-7, 10-16), Gideão (Jz 6:11-36), Isaías (Is 6:6-8), Samuel (1 Sm 1:1-14), Paulo (At 9:1-15) e Jonas (Jn 1).
Sempre que chamados, normalmente os homens começam a apresentar desculpas para não atender. Moisés disse que era pesado de língua, Gideão queria provas de que Deus estava com ele, Jonas não queria pregar porque os ninivitas poderiam se arrepender e seriam perdoados porque Deus é muito misericordioso. Alguns não se julgam ainda preparados. Em suma, o costume é apresentar dificuldades para não obedecer, para negligenciar, para escusar-se.
Segundo o professor, Deus não chama pessoas já capacitadas para a obra. Normalmente ele escolhe as pessoas e em seguida as capacita. Seu desejo, portanto é que, ao chamar-nos, que nós deixemos o que estivermos fazendo e atendamos ao chamamento (Jo 15:1-10).
Para ilustrar o ensino, o irmão Victor contou uma história.

Conta-se que certo caipira estava no seu trabalho rotineiro, num canavial, quando, de repente, viu brilhar três letras no céu: VCC. Muito religioso, o caipira julgou que aquelas letras significavam: “Vai Cristo Chama”. Fiel à visão correu ao pastor de sua Igreja e contou-lhe o ocorrido, concluindo que gostaria de devotar o restante de sua vida à pregação do evangelho. O pastor, surpreso diante do relato, disse:
— Mas para pregar o evangelho, é preciso conhecer a Bíblia. Você conhece a Bíblia o bastante para sair pelo mundo pregando a sua mensagem?
— Claro que sim! – Disse o homem.
— E qual é a parte da Bíblia que você mais gosta e conhece?
— As parábolas de Jesus, principalmente a do bom samaritano.
— Então, conte-a! – Pede o pastor, querendo conhecer o grau de conhecimento bíblico do futuro pregador do evangelho.
O caipira começa a falar:
— Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu entre os salteadores. E ele lhes disse: Varões irmãos, escutai-me: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou. E entregou-lhes os seus bens, e a um deu cinco talentos, e a outro, dois, e a outro, um, a cada um segundo a sua capacidade.
E partindo dali foi conduzido pelo Espírito ao deserto, e tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, teve fome, e os corvos alimento lhe traziam, pois alimentava-se de gafanhoto e mel silvestre. E sucedeu que indo ele andando, eis que um carro de fogo o ocultou da vista de todos. A rainha de Sabá viu isso e disse: ‘Não me contaram nem a metade’.
Depois disso, ele foi até a casa de Jezabel, a mãe dos filhos de Zebedeu, e disse: ‘Tiveste cinco maridos, e o homem que agora tens, não é teu marido’. E olhando ao longe, viu a Zaqueu pendura pelos cabelos numa árvore e disse: ‘Desce daí, pois hoje almoçarei na tua casa’. Veio Dalila e cortou-lhe os cabelos, e os restos que sobraram foram doze cestos cheios para alimentar a multidão. Portanto, não andeis inquietos dizendo: ‘Que comeremos?’, pois o vosso Pai celestial sabe que necessitais de todas essas coisas. E todos os que o ouviram se admiraram da sua doutrina.”
O caipira, entusiasmado, olhou para o pastor e perguntou:
— E então, estou pronto para pregar o evangelho?
— Olha, meu filho – disse o pastor – eu acho que aquelas letras no céu não significavam: “Vai Cristo Chama”. Antes, deveriam ser lidas: “Vai Cortar Cana”.
MORAL DA ESTÓRIA: Um conhecimento superficial das Escrituras poderá causar danos irreversíveis ao ministério, caso o mestre não leve em contar os fatores fundamentais para uma boa interpretação bíblica.
Concluindo, o irmão destacou o seguinte:
1) O chamado de Deus é pessoal. Deus nos chama pelo nome de cada um. Ele nos conhece, sabe o dia e a hora em que nascemos.
2) Deus nunca desiste de seus escolhidos. Ele luta por eles.
3) Nós temos uma missão a ser executada conforme o chamamento de Deus.
4) Devemos pregar o que Jesus mandou e não uma mensagem que possa agradar aos homens.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Engano

O Missionário Ademar Soares de Lima, UMNT (foto ao lado, com sua esposa Elisabeti), abrindo a série de estudos para os jovens campistas presentes em Poxoréu, de 21 a 24 de abril de 2011, fez uma abordagem bíblica sobre o "Engano".
Segundo ele, nós podemos estar enganados em relação ao que pensamos, ao que falamos e ao que fazemos. Os enganos para com as coisas dessa vida trazem em si a possibilidade de serem saneados, mas nem sempre será possível a reparação quando o engano for afeto às coisas espirituais.

O crente deve agir de uma forma que agrade a Deus. Todavia, não poucos são os que distorcem a Palavra para que ela seja mais agradável ao ouvinte e venha de encontro com aquilo que este deseja ouvir. Considerando o que o apóstolo Paulo diz em 1 Ts 2:3 e seguintes, vemos que o discípulo aprovado por Deus não traz em sua pregação essa preocupação de agradar aos homens, mas tão somente a de ser aprovado, falando sem lisonjas e sem puxa-saquismos a verdade.

Aquele que tem um compromisso com Deus, também tem um compromisso com a verdade e busca preparar-se adequadamente para não incorrer em dúvidas e enganos.
Assim como a Terra está abaixo dos Céus, os pensamentos de Deus estão acima dos pensamentos terrenos, dos nossos pensamentos. Em nenhum momento devemos pensar que somos iguais a Deus. Ainda que Ele nos tenha feito à sua imagem e semelhança, Deus é Deus e nós somos apenas homens criados por ele. E a criatura jamais será igual ao Criador e o homem jamais será igual a Deus.

É pecado querer ser igual ao Altíssimo. Pecado gravíssimo, no qual incorreu Lúcifer, a estrela matutina. Ele imaginou que um dia subiria acima das mais altas núvens e seria semelhante ao Altíssimo. E por conta dessa sua pretensão ele caiu no mais profundo abismo.

Foi isso que aconteceu com Eva. Ela, enganada pelo Diabo, a antiga serpente, Satanás, desejou ser igual a Deus. Foi essa a provocação satânica: Deus sabia que no dia em que eles comessem do fruto proibido eles seriam semelhantes ao Altíssimo no que se referia ao conhecimento do bem e do mal.

E isso jamais será possível. Deus conhece o que realmente é bom e o que é de fato ruim para o homem, porque ele vê todos os tempos: o passado, o presente e o futuro. O homem é limitado. Não sabe o que vai acontecer amanhã. Faz planos loucos para o futuro, sem saber que sua alma pode ser requerida nesta mesma noite.

No desenvolvimento do estudo foram lidas as seguintes passagens bíblicas: 2 Co 4:2; 2 Ts 2:10-11; Pv 26:19; 12:5; Jo 17:9; Hb 3:12-13, Tg 4:7; 1 Pe 5:8-9; Ap 21:8; Sl 5:6; 120:3-4; e, Jr 50:36.

Dentre as conclusões tiradas do estudo, podem ser destacadas as seguintes:

1) A Igreja sofrerá a perda daqueles irmãos que, seguindo seus próprios pensamentos e idéias forem frustrados em seus intentos. Nem sempre aquilo que nós pensamos que vai dar certo, dá realmente certo. Há caminhos que parecem direitos ao homem, mas no final só levam à morte;

2) O Diabo é enganador. Sempre foi. Desde o princípio. Devemos resistir-lhe face a face, continuadamente. A nossa resistência implicará na sua fuga de nossa presença. Não devemos jamais brincar com a tentação.

3) O Diabo está sempre ao nosso derredor, buscando um becha, por menor que seja, para tentar nos corromper e nos levar ao engano e à dúvida. Não há nada pior para um crente do que perder as suas convicções de salvação.

Para que não ocorra conosco o que ocorreu com Ló, o sobrinho de Abraão, o qual fez suas escolhas com base nas visões terrenas e acabou perdendo tudo, devemos confiar em Deus e incorporar em nossas vidas aquilo que Ele tem destinado para nós. Por mais bela que seja a oferta alienígena, jamais devemos preferi-la em detrimento da verdade de Deus revelada em sua Palavra, a qual vale mais do que todos os tesouros dessa vida.

Que a verdade seja a nossa guia, o nosso padrão de vida e o nosso objetivo espiritual. Mentira e engano, nem de brincadeira. Afinal, o destino dos mentirosos é o lago ardente de fogo e enxofre, onde estes passarão a eternidade.

Como está sua vida com Deus

O missionário Ademar Soares de Lima (foto ao lado), da UMNT - União Missionária Neotestamentária, atualmente trabalhando no campo de Tangará de Serra, MT trouxe o primeiro estudo para os jovens presentes no Retiro de Poxoréu.

Antes da exploração propriamente dita do tema , ele propôs uma reflexão sobre essa pergunta: como está sua vida com Deus?

Convidou para a leitura dos seguintes textos: 2 Co 13:5-8; Jo 18:37 e 1 Jo 3:18-19.

Segundo Ademar, é muito importante que cada um faça o auto-exame e veja como está de fato a sua relação com Deus.

Nós a temos a péssima mania de dizer que as coisas estão boas, que tudo vai bem, ainda que assim não esteja. Há quem pense que seja necessário dizer que tudo está bem para ver se assim as coisas fiquem mesmo boas.

Ora, nada que provenha da mentira pode se tornar bom. É mentira dizer que está tudo bem quando não está. E se as nossas relações com Deus não estão boas, devemos fazer alguma coisa que possa melhorar, mas nunca mentir, fugir da verdade.
Jesus disse ter vindo para dar testemunho da verdade e completou dizendo que aqueles que são da verdade ouvem a sua voz.

A verdade pode ser que as coisas não estejam boas. E para melhorar devemos partir desse ponto e não de uma ilusão, de uma mentira, de engano. Não devemos mentir uns aos outros, mas sempre dizer a verdade, por mais dura que ela seja e por mais terríveis que sejam suas consequências.

A verdade liberdade; a mentira escraviza. Nós fomos chamados para a liberdade. Esforcemo-nos para nos mantermos nela.

Jovens se retiram em Poxoréu


Um grupo de aproximadamente quarenta jovens neotestamentários está realizando um Retiro Espiritual no Acampamento Rio dos Crentes, localizado às margens do Rio Areia, a 3km da cidade de Poxoréu. Eles vieram acompanhados de algumas lideranças da Igreja. São jovens de Nova Olímpia, Barra do Bugres, Várzea Grande, Cuiabá, Barão de Melgaço, Jaciara, Rondonópolis e Poxoréu.

O Retiro está sendo coordenado pelo Missionário Paulo César Moraes (foto à esquerda).


Durante o evento, os jovens receberão ensinamentos da Bíblia Sagrada e participarão de atividades recreativas de grupo.


O Acampamento Rio dos Crentes é uma propriedade da Igreja Evangélica Neotestamentária, sendo utilizado para a realização de retiros espirituais desde o ano de 1983, quando ocorreu o I Retiro Neotestamentário de Famílias em Poxoréu, MT.

Retiro de Jovens em Poxoréu




Terá início nesta tarde o Retiro de Jovens 2011 do Acampamento Rio dos Crentes, em Poxoréu, MT.


Foto: Arquivo (2009)

sexta-feira, 15 de abril de 2011

SOMBRA DO ONIPOTENTE

Salmo 91:1-4
1 "AQUELE que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. 2 Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei. 3 Porque ele te livrará do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa. 4 Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel".

Salmos 23: "O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. 4 Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam".

Is 9:2 "O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz".

Dias 10 a 21 de março minha esposa e eu estivemos em Foz do Iguaçu, Pr. Dia 25 de março viajamos novamente. Ela foi para Três Lagoas e eu segui para Araçatuba. No caminho comecei a ficar com febre. Ao chegar tomei um chá quente e fiquei de cama até o dia 28. Voltei a Três Lagoas para encontrar com Rosangela que estava dando um curso. Já não consegui dirigir de Araçatuba a Três Lagoas. Dirigiu o meu carro a irmã Cleusa Inácio, da igreja de Araçatuba. Ela e a irmão Roseli me deixaram em Três Lagoas. De lá a Rosangela veio dirigindo até Campo Grande – MS. Até aí a minha enfermidade era uma “virose”, pra que procurar médico? Fiquei em casa até o dia 31 de março. Nesse dia, à tarde, minha esposa me levou para a Clínica Campo Grande. Eu senti que iria ficar internado e realmente fiquei até o dia 3 de abril, domingo. No primeiro dia na clínica hospital confirmou-se que era dengue hemorrágica. O número de plaquetas estava abaixo de 27 mil ( o mínimo deve ser 140 mil). O médico disse: " seu pulmão está com água, seu baço e seu fígado foram afetados, sua pressão, em função de tudo isso, está alta. O Senhor contraiu o mais grave tipo de dengue, a hemorrágica". Ouvi, mas estava tão mal, que creio que não prestei a devida atenção. Na verdade, não entendi a gravidade do assunto. Minha esposa sim, ela ficou muito preocupada. Mas, achando que eu sabia da gravidade, não fez nenhum comentário.

Tem um Salmo que gosto muito que é o 4:4 “Irai-vos, e não pequeis; consultai no travesseiro o vosso coração e sossegai”. Lembrei-me que já havia passado por duas situações de risco de vida. Agora, ao consultar o travesseiro me veio mais esta. Como é bom o crente memorizar versículos! Na hora que você precisa, eles aparecem como uma lâmpada na sua cabeça (acendem). Vários versículos foram surgindo na minha mente e dentre eles os já citados. Na Clínica pedi ao Senhor mais uma chance de continuar a viver porque sabia que ainda haviam coisas que precisavam ser arrumadas, principalmente um substituto para o Escritório da Missão. Os irmãos oraram, as igrejas intercederam. Os presbíteros Nanao Yamamoto e Délcio Vesenick me ungiram. Agradeço a todos os irmãos do Amazonas ao Chuí que clamaram a meu favor. Meu MUITO OBRIGADO!


Não me considero totalmente curado ainda. Todos sabem que gosto muito de café, e não estou sentindo o gosto dele. O café não está gostoso como antes. Sinto ainda muita fraqueza.

Na viagem a Foz do Iguaçu no dia 10 de março eu ajudei fazer a mudança do meu filho Luiz Roberto para um apartamento no 4º andar juntamente com meus companheiros de obra missionária. Sentia muita força, disposição. Carregamos geladeira, cama, fogão. Estava me sentindo muito forte. Hoje essa força foi-se. Justamente por questão de saúde meu filho Israel já estava pagando uma academia com um professor para me acompanhar. Eu estava me sentindo muito bem. Acho que só vou voltar para academia no final de abril.

Voltando aos versículos, sei que há pessoas que preferem ficar à sombra da morte. Não querem ficar à sombra do Onipotente, não querem que o sangue de Jesus Cristo limpe seus pecados, continuam pecando. Em Isaias 25:4, diz: “Porque foste a fortaleza do pobre, e a fortaleza do necessitado, na sua angústia; refúgio contra a tempestade, e sombra contra o calor...” Que maravilha é o nosso Senhor Deus.

Em Jeremias 13:16 temos: “Dai glória ao SENHOR vosso Deus, antes que venha a escuridão e antes que tropecem vossos pés nos montes tenebrosos; antes que, esperando vós luz, ele a mude em sombra de morte, e a reduza à escuridão”.

Querido amigo não deixe a sombra de morte alcançar sem que você não tenha entregado sua vida a Jesus Cristo com Senhor e Salvador.

Você, que já é salvo, sabe que morte para aquele que é de Cristo é incomparavelmente melhor. Jeremias 36:7-9: “Quão preciosa é, ó Deus, a tua benignidade, pelo que os filhos dos homens se abrigam à sombra das tuas asas (as asas do onipotente); 8 Eles se fartarão da gordura da tua casa, e os farás beber da corrente das tuas delícias; 9 Porque em ti está o manancial da vida; na tua luz veremos a luz.

Salmos 107: 10,14 “Tal como a que se assenta nas trevas e sombra da morte, presa em aflição e em ferro; Tirou-os das trevas e sombra da morte; e quebrou as suas prisões.

A Deus toda Glória, Honra e Louvor porque ter me livrado!

Meu desejo que vocês também possam se deitar na rede ou sentar-se na sua cadeira predileta, pegar sua Bíblia e usufruir da gostosa SOMBRA DO ONIPOPOTENTE.

Isaias da Silva Almeida

segunda-feira, 11 de abril de 2011

LEMBRANÇAS DO MEU AVÔ

Toda a vez que o vovô passava por Campo Grande, normalmente alguns dias antes das minhas férias escolares eu implorava aos meus pais que me deixassem ir para a fazenda com ele. Passar férias lá com eles era sagrado, eu não queria outra coisa.

No caminho da fazenda sempre paravamos em Pedro Gomes onde visitávamos tio Eilson. A Elga (prima) sempre tentava me convencer a ficar em Pedro Gomes por uns dois dias. Às vezes ficava, às vezes não.

Gostava de tomar leite no curral às cinco da manhã. O único problema era que cinco da manhã nunca chegava. Lembro que muitas vezes acordava o tempo todo para ver se já estava amanhecendo e muitas vezes ia ao quarto dele para perguntar a hora e também para saber se já estava na hora de tirar leite das vacas. Quando finalmente chegava a hora, ele ou a vovó Nini levantavam para colocar canela com açúcar na minha caneca para poder levar para o curral. Lá o Manoel enchia meu copo com leite. Tomava dois copos cheios e o dia começava, o próximo passo era esperar dar a hora de tocar a tropa, para poder ir para o campo.

Lembro que Eduardo (primo) sempre ia também, éramos a dupla dinâmica. Quando íamos no campo, levar o gado para vacinar, a gente torcia para boiada estourar para podermos galopar atrás dos bois com a cachorrada louca atrás deles, nós atrás, e tio Eilson falando para tomarmos cuidado com os buracos de tatu.

Vovô, ia em seu cavalo Manga Larga, sempre ereto e exuberante. Homem forte, tão forte e valente que às vezes levava uns coices de mula, ou se cortava com arame puxando cerca, e minha vó Nini, brava, dizia que ele não tinha mais idade para essas coisas, isso ha 20 anos atrás. Não havia quem o convencesse que não tinha mais idade para essas coisas. Lembro que alguns anos depois o convenceram a não laçar mais os bois, mas tenho certeza que levaram alguns anos para convencê-lo disso.

Os netos tinham um burro para ir ao campo, burro Salu (meus primos mais velhos devem se lembrar dele). Era um burro manso, exclusivo para os netos, mas neto nenhum queria montar no Salu, era muito devagar, só andava rápido quando via que estava chegando em casa. Isso por um lado era bom, porque sempre que estávamos chegando do campo, eu e Eduardo apostávamos corrida, era nossa chance da ultima galopada do dia.

Coisa que não esqueço são as variedades de frutas que ele tinha na fazenda, frutas jamais encontradas na cidade, com certeza frutas nordestinas, que naquela época só tinha a oportunidade de comer nas minhas férias. Uma coisa que eu admirava é que para o café da manhã, ele já tinha catado mangas, coco, seringuela, carambola, entre outras e tinha um prato com manga em pedaços, água de coco no copo, um banquete, com queijos, e doces que vovó Nini fazia, sucos, e etc... coisa que guri aprecia e que ficou em minha memória.

A noite, íamos para varanda, ele na rede ouvindo o radio com um programa que mais chiava do que falava, lembro que era um programa cômico, porque quem conseguia entender, ria.

Ele fazia contas de cabeça. Fazia somas, multiplicações, divisões, sem nunca usar uma calculadora. Todo mundo ficava admirado. Lembrava em que ano havia comprado determinada cadeira, dizia quanto tinha pago naquela rede que trouxe do Ceara em 1973. Bons tempos, tempos que não voltam mais.

Carro para ele tinha que ser Ford, trocava de carro a cada dois anos, mas sempre Ford, lembro da Belina, depois Del Rey... E por ai adiante, não tinha dívidas, dormia tranqüilo. Acredito que tinha seus problemas e preocupações, mas não perdia o sono por estar devendo a banco.

Ajudou a muita gente e sei que ajudou muito nossa igreja, mamãe comentava, às vezes, que ele tinha dado dinheiro para ajudar na construção da igreja, ou algum missionário ou alguém que estava passando dificuldades.

Os anos passaram, cresci, acabei me mudando de Campo Grande, mas em todos esses anos, digo a todos com quem convivo que minhas lembranças da fazenda são minhas melhores memórias de infância. Memórias que foram proporcionadas pelo meu avô.


Jeuel Almeida Viveros, é o neto mais velho do irmão Edízio Saldanha de Almeida, falecido dia 03 de abril. é filho do Pr. Júlio Viveros, da igreja neotestamentária da Vila Planalto em Campo Grande - MS. Reside nos Estados Unidos e enviou essa mensagem no dia do funeral do seu avô.

domingo, 10 de abril de 2011

PEDIDO DE ORAÇÃO!

A irmã Ceci é esposa do irmão Darci; eles residem na cidade de Uruguaiana e são responsáveis pelo trabalho neotestamentário naquela cidade. Essa irmã é uma grande bênção para a igreja. Muito hospitaleira ela está sempre alegre e disposta para ajudar, apesar da sua pressão que quase sempre está alta. Seu esposo irmão Darci também é muito debilitado. Com setenta anos de idade ele tem diabetes e depende muito de sua esposa. As insulinas, a alimentação, os horários enfim, como diz a irmã Ceci é como uma criança que carece sempre de cuidados.
Nessa semana, no entanto, essa irmã foi surpreendida pelo médico cardiologista dizendeo que ela está com um problema grave numa válvula coronária. Segundo o profissional, ela provavelmente vai precisar de cirurgia urgente. Mas como ficaria o Darci? E a preocupação dela com o seu "negro"? E a preocupação da parte dele? Portanto, o pedido é que todos os irmãos espalhem essa notícia e orem pela saúde da irmã Ceci para que ela não precise fazer essa cirurgia. Deus pode curá-la para alívio dos casal e de todos os que se preocupam com o assunto. O diabetes do irmão é bem controlado, mas ela é de suma importância nesse controle.
Que a vontade do Senhor seja feita.
Irmã Rosa, irmão Darci e irmã Ceci. Irmã Ceci ministrando para senhoras

Reunião de Senhoras em POA.


Ontem, 09 de Abril de 2011, realizamos a terceira reunião de senhoras na Igreja Neotestamentária de Porto Alegre. Contamos com a participação de doze senhoras nesse culto que foi presidido pela irmã Simone e a palestra ficou por conta da minha esposa Elaine. Foi um grupo pequeno, porém, estiveram presentes tres senhoras que nunca havia participado. Foi uma grande alegria ter a presença de uma vizinha que é bastante atuante na igreja católica. Ela Ajuda nos trabalhos de duas igrejas católicas da região, mas dessa vez aceitou nosso convite e visitou nossa casa inclusive. Estamos tentando fidelizar as participantes para que o grupo siga aumentando cada vez mais para glória de nosso Senhor Deus.