sábado, 16 de junho de 2018

Salada mista


Salada Mista

Izaias Resplandes de Sousa

Ingredientes para a salada: 1 colher de chá de alho triturado; 1 manga picada; 2 cenouras raladas; 2 rodelas de abacaxi picado; 3 palmitos em rodelas; 5 xícaras de chá de acelga picada. Ingredientes para o molho: 1 laranja em cubos; 1 pote de iogurte; 1 colher de sopa de hortelã fresca picada; 1/2 colher de sopa de sal marinho; 2 colheres de sopa de passas. Modo de Preparo: Misture bem todos os ingredientes do molho. Reserve. Arrume, em uma saladeira, a acelga, o alho, a cenoura, o palmito, a manga e o abacaxi. Misture bem, acrescente o molho e sirva em seguida. Bom apetite.
Muitos de nós gostamos de uma salada mista em nossas refeições. Segundo os nutricionistas, é muito bom nós comermos saladas. Mas é possível que a refeição seja uma das raras exceções à regra, porque, nas diversas situações em geral, as saladas só costumam acarretar problemas. Nessa reflexão, pretendemos mostrar o que a Palavra de Deus nos diz sobre as misturas de um modo geral e sobre as misturas religiosas, de um modo particular. Vejamos…
Quando Deus criou os animais, Ele os fez em casais, macho e fêmea o fez. Mas em relação ao ser humano, inicialmente, Ele criou apenas o homem, Adão. Todavia, de imediato concluiu que não estava bom dessa maneira. “E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele”. Gênesis 2:18. E de lá para cá essa orientação tem sido praticada.
Desde o princípio até os dias atuais, a orientação que a Palavra de Deus dá ao homem é para que ele busque a companhia de uma mulher. Assim diz o texto sagrado: “Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne”. Efésios 5:31.
A união do casal é a base de sustentação da efetivação e solidificação do casamento. E, considerando que ninguém casa para descasar, faz-se necessário que os nubentes aparem todas as arestas que existir entre eles, antes que digam o sim decisivo. Em que pese observarmos certa banalização do casamento, quando os nubentes decidem fazer testes de convivência com base no “se não certo, divorciamos”, essa não é a orientação mais adequada ao caso.
A vida é muito curta para ficarmos perdendo tempo testando possibilidades. Nossas escolhas, ainda que possam não ser as mais adequadas, devem merecer de nossa parte o máximo de empenho e esforço para que se tornem realidade.
Eu defendo a tese bíblica de que tudo o que Deus fez é bom. Fundamento na própria avaliação divina. “E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto”. Gênesis 1:31.
O pecado do homem diante de Deus trouxe consequências para toda a criação, mas em que pese as modificações, a essência do plano divino permanece inatacável. E dia virá em que tudo voltará a ser como era antes do homem pecar. É assim a Palavra: “Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora”. Romanos 8:22.
Um plano bom merece ser aprovado. Devemos nos empenhar para colocarmos o plano de Deus em prática, conforme o mesmo está traçado em sua santa Palavra. Nós podemos até decidir de outra forma, entendendo que nossos planos são melhores que os planos de Deus, mas não são. É o Senhor que diz não ser assim: Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Isaías 55:8. Os Salmos também afirmam: O Senhor conhece os pensamentos do homem, que são vaidade. Salmos 94:11. E também os provérbios: Há um caminho que parece direito ao homem, mas o seu fim são os caminhos da morte. Provérbios 16:25.
A orientação bíblica é que o homem busque unir-se com uma mulher. Que se entendam. Que caminhem na mesma direção e sentido. Que tenham a mais perfeita comunhão. Assim diz o Pregador:
Há um que é só, e não tem ninguém, nem tampouco filho nem irmão; e, contudo, não cessa do seu trabalho, e também seus olhos não se satisfazem com riqueza; nem diz: Para quem trabalho eu, privando a minha alma do bem? Também isto é vaidade e enfadonha ocupação. Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só, como se aquentará? E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa. Eclesiastes 4:8-12.
Todos nós precisamos trabalhar para sobrevivermos. No entanto, às vezes pode ocorrer de alguém da família ficar desempregado. E ocorrendo isso, os demais membros da casa assumirão as responsabilidades até que a situação seja normalizada. Já a pessoa que vive sozinha, obrigatoriamente precisa trabalhar. E nem pode se dar ao luxo de escolher o seu trabalho, porque depende dele e somente dele para a sobrevivência de todo dia. Para o sozinho não há folga, a não ser que queira passar privações. Esse é um dos motivos porque devemos nos unir com outras pessoas, como ocorre no casamento, por exemplo.
Nós trabalhamos para nossa família, onde somos uns pelos outros. Mas e aquele que vive sozinho, para quem ele trabalha? Quem ficará com os resultados de seus trabalhos quando ele morrer? É muito ruim a gente saber que poderá morrer a qualquer hora e que não teremos alguém ao nosso lado. Quantos casos a gente ouve falar de pessoas que morreram sozinhas e somente foram encontradas quando já estavam apodrecendo e fedendo? É muito importante que a gente tenha alguém que esteja junto conosco no curso da vida, com quem nós possamos dividir nossas alegrias, tristezas, prazeres e dissabores.
Há um provérbio popular que diz: “A união faz a força!”. Bem, isso é verdade! Podemos quebrar um palito, mas não conseguiremos quebrar facilmente e de uma vez, toda uma caixa de palitos. É por isso que o inimigo, quando quer nos derrotar, procura nos dividir e nos atacar isoladamente. Jesus disse que nenhuma casa dividida subsistirá. Vejamos…
Trouxeram-lhe [a Jesus], então, um endemoninhado cego e mudo; e, de tal modo o curou, que o cego e mudo falava e via. E toda a multidão se admirava e dizia: Não é este o Filho de Davi? Mas os fariseus, ouvindo isto, diziam: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios. Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: Todo o reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda a cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá. E, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino? E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam então vossos filhos? Portanto, eles mesmos serão os vossos juízes. Mas, se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, logo é chegado a vós o reino de Deus. Ou, como pode alguém entrar na casa do homem valente, e furtar os seus bens, se primeiro não maniatar o valente, saqueando então a sua casa? Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha. Mateus 12:22-30.
Sozinhos e isolados, nós somos fracos. Juntos, somos fortes! Ainda que, às vezes, sentimos grande necessidade de ficarmos sozinhos, devemos atender essa necessidade com muita cautela. Aqueles que se sentem fortes, normalmente afrontam os seus adversários, mas aqueles que se sentem mais fracos armam arapucas para pegar os seus inimigos. Tenhamos cuidado para não cairmos nas arapucas. Evitemos ficar sozinhos. Busquemos a companhia daqueles que se escondem na sombra do Onipotente, conforme diz os Salmos 91 e não caiamos nos laços do passarinheiro.
Quantos cristãos preferem a companhia dos não cristãos, ao invés de seus iguais! Meus queridos! Devemos dar preferência aos irmãos. Se vamos comprar, que a preferência seja para os comércios da irmandade; se nós vamos vender, que primeiro ofereçamos aos irmãos. É preferível pagar mais caro por um produto, mas termos a certeza de que amanhã ou depois nós não seremos enredados em algum processo. O mesmo se pode dizer quanto a ganhar menos.
A mistura com os desiguais não é salutar. Imaginemos um casal. Dia de reunião na igreja, um vai para um rumo e outro para outro rumo. Isso não é casamento. Isso é desunião. E os filhos, seguirão o pai ou a mãe? É bem provável que a nenhum dos dois.
Devemos decidir de pronto o que nós queremos. Não vejo problemas em duas pessoas de orientações diferentes se casarem. Mas, para que sejam felizes e vivam bem é preciso que caminhem na mesma direção.
Quando dois jovens têm orientação espiritual diferenciada, é na fase do namoro que devem procurar se entender e não depois de casados. Após o casamento, os dois serão uma só carne, um só corpo e devem ter uma só cabeça. Assim diz a Bíblia:
Quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo. 1 Coríntios 11:3.
Cabe ao homem a missão de conduzir o corpo após o casamento. Nesse sentido, é antes do casamento que a mulher deve conhecer a orientação que seguirá ao lado de seu marido. Se conhecer e não aprovar, então devem desistir do casamento antes que o mal aconteça, porque divididos não subsistirão.
É preciso que a gente decida o que se quer de uma vez por todas. A vida exige escolhas e decisões devem ser tomadas na hora certa, para não se arrepender depois.
É costume ouvir as pessoas dizendo que tudo o que fala de Deus é coisa boa. Isso não é verdade. Satanás citou a Palavra de Deus quando tentou a Jesus. E ele é o mal. O que torna uma palavra boa ou não é aquele que a pronuncia. Devemos conhecer a vida de quem fala, para ver se tal pessoa vive o que fala ou se é apenas uma faladora que não pratica o que diz.
A vida não é fácil, porque vivemos em um mundo com muitas orientações e temos de decidir o que vamos seguir. Mas precisamos escolher. Diz a Bíblia: Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna. Mateus 5:37.
Quem vive com um pé na estrada e outro fora dela, uma hora ou outra vai se dar mal. Devemos fazer nossas escolhas. Isso não quer dizer que não devemos compartilhar as coisas com pessoas de orientações diferentes. Podemos. Mas, sempre na condição de superior e não como inferior.
A convivência social é muito importante, mas somente será salutar para aquele que for o orientador. Se você tem uma orientação pela Palavra e vai trabalhar com alguém que não tem a mesma orientação, vai acabar se perdendo na prática de atos contrários à sua própria orientação. Se você é patrão, você pode ter pessoas sem a sua orientação religiosa trabalhando com você. Se elas concordam em trabalhar, está tudo bem. Agora, o contrário não é verdadeiro. Assim diz a Palavra:
Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor;E não toqueis nada imundo,E eu vos receberei; E eu serei para vós Pai,E vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso. 2 Coríntios 6:14-18.
A mesma orientação vale para qualquer situação, onde os dois que pretendem se unir, não buscam se unir plenamente, antes da união.
É de destacar ainda sobre a importância de não misturar o espiritual com o material, principalmente quando não houver a faculdade da opção de escolha. Exemplifico.
Em uma associação há pessoas de diferentes orientações espirituais. Nesse sentido, a referida associação deve evitar o envolvimento com as atividades de caráter religioso, ou então liberar os seus membros das obrigações a esse respeito. Se não houver essa possibilidade, então não há a possibilidade da convivência nessa sociedade. As entidades de caráter não religioso devem orientar-se nesse sentido.
O fato de alguém não participar de atividades de caráter religioso não significa que tal pessoa esteja condenando tais atividades, mas sim, que não deseja participar delas. E isso deve ser respeitado, sob pena de se minar a convivência entre essas pessoas.
Ao concluir, queremos dizer que a mistura somente é salutar na salada mista de nossas refeições. Nas demais questões é importante que nos guiemos pela pureza de nossos relacionamentos, sob pena de vivermos em conflitos eternos. Devemos buscar a paz e o entendimento e não o litígio e a guerra.
Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. Hebreus 12:14.
Deus nos abençoe!

Um comentário:

UMNT missão disse...

muito próprio para nossos dias e muito pratica está Salada mista.