domingo, 8 de dezembro de 2013

Notícias da volta de Cristo na Folha de São Paulo de 07.09.2013


Recente reportagem do jornal Folha de São Paulo, relata os preparativos do Instituto do Templo em reconstruir o templo em Israel, como já mostramos aqui no blog.
No site do Instituto do Templo, a reportagem foi reproduzida tal como foi publicado na versão impressa do jornal: http://www.templeinstitute.org/Instituto-tenta-criar-Terceiro-Templo-judeu.pdf
É interessante também a posição do xeque Azam-Al Khatib, autoridade que gere a mesquita Al-Aqsa em Jerusalém que considera, segundo as suas palavras, uma lenda a existencia do templo dos judeus naquele lugar. As expectativas de ambos os lados aumentam (judeus e árabes), e nós temos o privilégio de assistir os acontecimentos que culminarão com a volta do Senhor Jesus Cristo.
Veja abaixo a íntegra da reportagem. Se preferir pode ir ao site: http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2013/09/1338349-instituto-tenta-criar-terceiro-templo-judeu-em-israel.shtml
Maranata! Vem Senhor Jesus!
07/09/2013 - 03h00

Instituto tenta criar Terceiro Templo judeu em Israel

PUBLICIDADE
DIOGO BERCITO
DE JERUSALÉM

Ouvir o texto
Em um pequeno escritório em Jerusalém, um rabino sonha com uma construção distinta da modéstia de sua sala --o Terceiro Templo, conforme profetizado mais de dois milênios atrás.
Chaim Richman lidera o braço internacional do Instituto do Templo, que desde 1987 recolhe fundos para concretizar as visões do profeta Ezequiel a respeito da edificação do que o judaísmo considera a casa de Deus.
O templo com que Richman sonha está descrito nas Bíblias judaica e cristã, com medidas e instruções detalhadas. A construção daria sequência ao Templo de Salomão, destruído pela Babilônia no século 6º a.C., e ao templo de Herodes, desmontado por Roma no século 1º.
Os projetos do instituto esbarram, porém, em uma série de obstáculos. Não apenas a oposição encontrada inclusive entre judeus, mas também o fato concreto de que o Terceiro Templo teria de ser construído onde há, hoje, dois dos locais mais sagrados do islã.
Quando ocuparam a região, no século 7º, árabes ergueram no lugar do templo judaico destruído o Domo da Rocha e a mesquita de Al-Aqsa, terceira construção mais importante para os muçulmanos depois de Meca e de Medina, na Arábia Saudita.
VACA AVERMELHADA
Richman dispensa pessimistas. "Se você dissesse a um judeu num campo de concentração que haveria um Estado israelense, ele riria", afirma à Folha. "O salto, hoje, é mais fácil."
Com essa certeza, o instituto financia pesquisas, desenha plantas arquitetônicas e constrói os artefatos necessários aos rituais, uma vez erguido o templo. Segundo o rabino, já há uma quantidade mínima de utensílios para iniciar os procedimentos.
A organização de Richman também tenta, há décadas, concretizar o trecho profético que exige o sacrifício de uma vaca de três anos em que todos os pelos sejam, sem exceção, de tom avermelhado.
O rabino afirma que há criadores candidatos, mas se recusa a entrar em detalhes. Nos anos 1990, um líder pentecostal chamado Clyde Lott aliou-se ao instituto para criar um rebanho vermelho no vale do rio Jordão.
Há 15 anos, a aliança foi rompida por "divergência de objetivos", diz Richman.
Alguns grupos cristãos acreditam que a reconstrução do templo, a permanência de judeus em Israel e o sacrifício podem apressar uma segunda vinda de Jesus.

Editoria de Arte/Folhapress


LADO ISLÂMICO
Richman diz que "os judeus deveriam ser a luz das nações" e que, caso de fato desempenhassem esse papel, não haveria atrito com autoridades islâmicas.
"Se nós fôssemos as pessoas que deveríamos ser, os muçulmanos viriam até nós e pediriam que construíssemos o templo", diz o rabino.
O edifício é visto pela tradição judaica como uma casa para o culto de todas as religiões, não só do judaísmo.
A reportagem procurou o xeque Azam al-Khatib, diretor do Waqf Islâmico, autoridade que gere a mesquita de Al-Aqsa, sob comando do rei da Jordânia, Abdullah.
"Os judeus estão tentando levar os países árabes à guerra", diz Khatib. "Se houver pessoas com boa índole em Israel, vão parar esse grupo [Instituto do Templo] e afastá-los do nosso local santo."
"Os historiadores sabem que é uma lenda", afirma Khatib. "Nunca houve um templo judaico nesse lugar."
O material turístico publicado por essa instituição mencionava o Templo de Herodes, conforme arquivo consultado pela reportagem.
Os panfletos foram, porém, modificados após o surgimento do Estado de Israel, em 1948.
LOBBY
Folha reuniu-se, no Parlamento israelense, com Yehudah Glick, presidente da Fundação de Herança do Monte do Templo, que faz lobby pela reconstrução.
"O templo, mais do que o Muro das Lamentações, é central para a fé judaica", diz. A instituição organiza a visita de judeus à esplanada, sob escolta armada e olhares de censura de muçulmanos.
A reportagem perguntou a ele o que será feito das construções islâmicas. A resposta foi esquiva. "Quando o Estado de Israel foi construído, também havia árabes aqui. Mas foi decidido que esse seria o Estado judaico. Quem não aceitar pode ir embora.

4 comentários:

UMNT missão disse...

Muito boa a reportagem. Eu creio que para que Jesus Volte será necessário a reconstrução do templo. Eu acho que não vai demorar a demolição da mesquita....

UMNT missão disse...

Muito boa a reportagem. Eu creio que para que Jesus Volte será necessário a reconstrução do templo. Eu acho que não vai demorar a demolição da mesquita....

Ivon Pereira da Silva disse...

Informações como esta confirma os relatos proféticos. Parabéns pelo artigo.

Anônimo disse...

realmente são os sinais da segunda vinda de Cristo, imaginemos o quanto o arrebatamento está tão próximo, que acontecera antes desse evento. (Raquel-N.Olimpia-MT)