domingo, 1 de dezembro de 2013

EXEMPLO XII - INVOCAR AO SENHOR.

Como último artigo da série “Deus não faz o que nós podemos fazer” eu gostaria de lembrar que Deus nos manda invocá-Lo. “Perto está o Senhor dos que o invocam, de todos os que o invocam de verdade”. Sl. 145:18.
O que quer dizer isto? Nada mais nada menos que chamá-Lo, recorrê-Lo, pedir a Ele, clamar; porém, com confiança plena de quem Ele é, que Ele pode todas as coisas e que fará tudo; porém, como Ele quiser, de acordo com os Seus propósitos. Para invocar ao Senhor, primeiro temos que ter disposição de querer obedecer de acordo com o que Ele responder.
Invocar não é ordenar. Invocar é chamar para pedir uma opinião. É fazer uma consulta sobre alguma coisa. Quem dá as ordens deve ser Deus, nós obedecemos as suas orientações; é preciso disposição para cumprir aquilo que estiver nos Seus planos, na resposta que nos for dada quando O invocamos. Nós consultamos e Ele dá a receita. Isto é invocar de verdade, e dos que assim invocam o Senhor está perto.  É muito comum ouvirmos pessoas dizendo que temos que ordenar. Você precisa ordenar a bênção, ordene a prosperidade, ordene a vitória, etc... Isto não é bíblico, ao contrário, isto é um engano do diabo. Quem somos nós para dar as ordens? Que pretensão é esta de dar ordem à Deus? Por isto digo com toda autoridade do Senhor que isto é um plano diabólico de enganar as pessoas que se acham no direito de “ordenar”. Esse direito pertence a Jesus, em quem todas as coisas foram criadas e para quem todas as coisas foram criadas. “O qual é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; porque Nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por meio Dele e para Ele. Ele é antes de todas as coisas, e, todas as coisas subsistem Nele”.  Cl. 1:15-17.Todas as coisas foram feitas por Ele e sem Ele, nada do que foi feito se fez”. Jo. 1:3.
Quando pensei em escrever isto, me veio na cabeça uma passagem em 1 Sm. 30, que fala da cidade de Ziclague sendo totalmente saqueada e incendiada pelo povo amalequita. Quando Davi chegou de volta na cidade que era sua, dada a Ele por Aquis rei de Gate; ele que tinha consigo 600 homens, soldados; todos haviam deixado bens, Famílias; as crianças, as mulheres nesta cidade; e quando retornaram, os amalequitas tinham levado todos os seus bens, as suas esposas, os seus filhos e filhas, os filhos e bens dos seiscentos homens que estava com ele e ainda incendiado o que restou da cidade. Todos ficaram angustiados, amargurados, afligidos. Quem já teve uma casa queimada dá para ter uma leve ideia do que foi a angústia que todos eles sentiram. Davi, como líder, sentiu a angústia, a aflição ainda maior; e mais que isto, sentiu uma grande pressão porque todos estavam culpando-o pelo que acontecera aos suas famílias. Davi rodeado por 600 guerreiros, acusando-o, gritando, chorando, desesperados a ponto que quererem apedrejá-lo por todo aquele acontecimento trágico.
E agora? Três dias de viagem fugindo dos filisteus. Cansados e com saudade de casa, da família; durante os últimos quilômetros da cidade, todos eles talvez estivessem pensando em tomar um bom banho e se relaxar um bocado. Mas se deparam com aquela cena calamitosa e desgraçada. Ao invés de curtir um bom descanso, estava com a alma amargurada, cada um por causa dos seus filhos e das suas filhas, diz no versículo 6. No entanto, o final desse versículo diz: “Todavia, Davi se fortaleceu no Senhor Seu Deus”. No versículo 8 diz que Davi consultou ao Senhor se ele devia perseguir a tropa, se ele alcançaria o bando. A meu ver, O fato e “se fortalecer”, é diferente de esperar ser fortalecido. Davi se fortaleceu. Se fortalecer é tornar-se forte, animar-se, revigorar-se. Foi o que Davi fez. É bem diferente de continuar fraco e ficar esperando que alguém traga forças sobre si. Davi se reanimou para invocar ao Senhor. Esse ânimo, essa força estava nele para consultar ao Senhor.  E o Senhor o respondeu. Davi era um homem que invocava sempre ao Senhor; e sempre era atendido. Por isto é que ele diz com toda convicção, que perto está o Senhor de todos os que o invocam. No momento da resposta de Deus, Davi estava disposto a fazer o que tinha de ser feito. Saiu em perseguição à tropa e o povo que queriam apedrejá-lo, vendo seu ânimo, saíram todos atrás, mesmo os mais fracos e cansados. O resultado foi que trouxeram tudo de volta todos os despojos e as suas famílias que haviam sido levados. É por isto que Davi fala em Sl. 18:6: “Na angústia invoquei ao Senhor e clamei ao meu Deus; e desde o seu templo ouviu a minha voz, aos Seus ouvidos chegou o meu clamor perante a Sua face”.  E no Sl. 34:4,6,8. Busquei ao Senhor e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores. Clamou este pobre, e o Senhor o ouviu, e o salvou de todas as suas angústias. Provai e vede que o Senhor é bom; bem aventurado o homem que nele confia”.
Em Is. 55:6 diz: “Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-O enquanto está perto”. Muitas pessoas se encontram hoje fracos espiritualmente, aflitos, desanimados, acabrunhados, mas não tem o mínimo de desejo de se reanimar. Ficam caídos, reclamando da situação, esperando um super-poder para levantá-lo. Recentemente uma pessoa me reclamou da sua situação ruim. - Irmão, está ruim no serviço, está ruim em casa, está desanimada com a vida, com a igreja, com tudo. Eu lhe perguntei: - Você lê a Bíblia? - Não, eu não tenho lido. - Você ora em casa? - Eu tenho que confessar que não oro. - Bom, se você não Le a Bíblia, não ora, não vem à igreja, como é que quer estar animada e que as coisas estejam bem? Como é que Deus vai agir? Deus quer falar, mas se não o chamamos para uma conversa como vamos ouvi-lo? Deus está pronto para um diálogo, mas se não oramos nem lemos, como vamos dialogar com Ele? Quando lemos, Deus fala conosco e quando oramos, nós falamos com Ele, e assim, podemos manter um bom diálogo, desde que falemos com ele a verdade, sem dissimulação ou fingimento, porque Ele é a verdade e “Nada podemos contra a verdade senão em favor da própria verdade”. 2 Co. 13:8.  Do contrário vamos ficar caídos gemendo, reclamando e definhando até ao final.  Deus é Santo, justo, e verdadeiro.  Somente com um coração verdadeiro, honesto e sincero é que vamos conseguir um acesso a Ele, mas Ele está sempre acessível a todos. Deus não pede que sejamos perfeitos, sem erros, sem pecados para nos achegarmos a Ele; mas que tenhamos um coração sincero. Se tivermos erros, ele nos conserta, se tivermos pecado, Ele nos perdoa; se as coisas estão ruins Ele as melhora, mas nós temos que ter sinceridade no coração em primeiro lugar. Assim sendo, vamos ter sempre ânimo para que sejamos “fortalecidos no senhor e na força do seu poder”. Ef. 6:10. Fortalecer-se no Senhor compreende em não ficar esperando que o Senhor venha com uma carga de poder e derrame sobre nós; porque pode ser que não estejamos dando lugar para que Seu poder que é Santo, habite e atue. Pode ser que não haja espaço em nós, para acomodar esse poder. Arranjar o lugar e o espaço para que o poder e a força de Deus fiquem guardados, acomodados, em nós, é nossa responsabilidade.

 Por outro lado, tem muitos crentes que acham que não podem invocar ao Senhor porque estão “doentes”; isto é: por haverem cometido algum pecado. Lembremos sempre do que o Senhor Jesus disse aos fariseus e escribas: “Os sãos não precisam de médicos e sim os doentes”. Mc. 2:17. Se você tiver um coração sincero para confessar a Deus, Ele que sabe tudo sobre a sua “doença”, desde que você, derramando-lhe o seu coração com toda honestidade, Deus vai lhe atender com todo prazer, como sempre atendeu a Davi, que era homem segundo o coração de Deus, mas que muitas vezes também se viu tendo um coração segundo o diabo; mas Deus o atendia sempre que ele o invocava, porque Davi era sincero nas suas confissões. Agir com sinceridade diante de Deus é fundamental na hora de invocarmos. Tentar negociar com Deus, dissimuladamente é um grande pecado.  Ele nunca vai atender a clamores de crentes fingidos, que no coração guarda uma tentativa de encobrir seus erros ou de continuar a errar depois.  Ele responde se clamamos com sinceridade de coração. Quando queremos realmente agir com justeza diante do Senhor, podemos invocá-Lo na certeza de que vamos ser atendidos. Deus é o que responde, de acordo com Sua vontade; nós somos os que invocamos. Ele não faz o que nós podemos fazer.

4 comentários:

Cleberson de Souza Faria disse...

Excelente texto irmão, muito edificante. Realmente precisamos nos examinarmos e buscar, invocar o Senhor para seguirmos em frente com ânimo, disposição e atitude coerente com a Palavra do Senhor. Que sejamos cristãos honestos e transparentes, para que assim sigamos a perfeita vontade do Senhor. Espero que esse texto seja o último do primeiro volume. Que venham mais obras literárias nessa sequência a medida que o Senhor Jesus continuar falando ao coração do irmão.

Ivon Pereira da Silva disse...

Pelo que esta escrito, este é o último ensino da série "Deus não faz o que podemos fazer." Li todos eles e gostaria de tê-los guardados comigo. Se puder me enviar por email, guardarei e lerei várias vezes.
Escreva uma nova série com temas que por certo o Senhor te concederá para nossa meditação e crescimento.
Deus te abençoe, amado irmão.

Zigomar disse...

Amém irmão Ivon. Fico muito grato a Deus quando ouço pessoas dizerem que leram o que escrevi. Procuro sempre, acima de tudo, a direção de Deus, a sabedoria do alto para não falar de mim mesmo ao escrever. Ja recebi de pessoas dizendo de coisas que não entendiam a respeito e que, depois de haver lido no blog ou pela face, passaram a entender. que seja sempre para a honra e glória de Deus. Há um projeto de organização destes artigos para que seja acessível a todos, brevemente.

Fraterno abraço.

UMNT missão disse...

é uma pena que esta séria esta chegando ao fim. Zigo seu estudos são edificantes e grande benção para aqueles que realmente não ficam esperando, mas agem.