terça-feira, 17 de julho de 2012

Presença Neotestamentária no Centenário da Evangelização Terena

A história da evangelização terena está intimamente ligada a história da hoje chamada União Missionária Neotestamentária. Os precursores da evangelização desse povo foram os missionários John Hay (pai do irmão Alexandre Hay), diretor da ISAMU (União Missionária para o interior da América do Sul) e Henrique Whittington. O primeiro contato deles com os índios terena no Brasil foi no dia 21 de agosto de 1.912, na cidade de Nioaque. De lá partiram para Bananal, distrito de Taunay, cinco dias a cavalo de Nioaque, principal aldeia dos terenas. A população de Bananal tinha uma população aproximada de trezentas almas ou mais.
 Os índios terena entregaram essa placa a UMNT em gratidão a sua atuação entre eles.
 Quarenta e três irmãos neotestamentários estiveram presentes nesta atividade, provenientes de Campo Grande e Corumbá,MS; Paraguai (missionários Eliezer e Oilda Medina) e Argentina (missionário José Maria Iturriaga e sua filha Angela Noemi).
Na foto à esquerda, juntamente com o grupo, o superintendente nacional da APEC, Gilberto Celeti.
 Momento em que o irmãos neotestamentários foram chamados para a entrega da placa.
 Rachel Torrezan e Alice, representando as cores do livro sem palavras.
 Crianças indígenas e visitantes assistindo a apresentação do plano de salvação através das cores do livro sem palavras.
 Missionária Rosangela Lins Almeida apresentando a página verde; do lado esquerdoas irmãs que ensinaram as páginas dourada:Vanda Borges (Neo da Planalto); página vermelha:Juciane Silva (Neotestamentária da Frei Mariano de Corumbá); página limpa (missionária Fleudina Quintanilha, diretora da Apec/MS) e do lado direito, a irmã Ivelise, da Neotestamentária da Frei Mariano, que ensinou a página escura. 
 Missionários Eliezer e Oilda Medina, do Paraguai,Roseli Vesenick, Denise e Ingra Avelar, da Neotestamentária da Planalto em Campo Grande e o missionário Isaias Almeida.
 Pr. Jader Jorge de Oliveira  terena, organizador do evento.
 Cerâmica kadiwéu

 Cerâmica Terena
 Dança Xavante
 Dança da Mulheres Terena
 Dança do Homens Terena

 Jovem Terena
 Ensinando o Cântico do Livro sem Palavras.
 Gleice e Jailson encenando a página limpa e Pedro a página vermelha. 
 Rachel e Jéssica encenando a página verde e Gleice a página purificada, limpa.
 No domingo, dia 15, novo ensino às crianças.
 No encerramento, as crianças foram chamadas à frente para dizerem o que aprenderam.
 Ceia do Senhor.
 À esquerda, Pr. Jonathan José, presidente da UNIEDAS (União das Igrejas Evangélicas da América do Sul), e Pr. Jader Jorge de Oliveira.
 Em pé, Pr. Délcio Vesenick, da Neotestamentária da Planalto em Campo Grande -MS), diácono Rogério Torres de Oliveira, Pr. Eliseu da Silva Campos, ambos da Neotestamentária de Corumbá - MS.
Sentados, missionários Eliezer Medina (Paraguai), Isaias da Silva Almeida (Brasil) e José Maria Iturriaga (Argentina), membros do Conselho da UMNT.
 Em pé, Jacqueline Campos, Angela Noemi Iturriaga, Heloisa e sua filha Isabela.
Sentadas, Roseli Vesenick, Rosangela Almeida e Beatriz(no colo), também filha da Heloisa,e a missionária Dolores Oilda Medina.
 O Missionário José Maria Iturriaga e sua filha Angela Noemi, entre dois líderes terena.
A faixa contendo o Muito Obrigado (Ainapo yakoé) do terena a todos as Missões que fizeram e fazem parte da sua história.

3 comentários:

Zigomar disse...

Lindo trabalho! Parabéns a todos os que participaram deste evento. Que Deus nos ajude, como igreja Neotestamentária e como UMNT. a continuar fazer história para que Seu nome seja engrandecido!

Josiane disse...

Que maravilha! Meus parabéns pra nós! Povo néo testamentário, povo pequeno que faz a diferença! Que lindo evento, e vocês meus irmãos, estão lindos e radiantes, é gratificante fazer a obra do Senhor. Ana Paula, minha filha mais velha está aquí vendo as fotos e dizendo: mãe vamo lá, iremos sim um dia se Deus permitir! Parabéns!

Prof. Izaias Resplandes disse...

Foi muito importante a participação dos irmãos nesse evento que também faz parte da história neotestamentária. Além disso, com certeza, os que participaram terão muitas coisas para contar aos que não foram, por muitos e muitos anos. Não tenho dúvidas de que deve ter sido uma experiência ímpar, principalmente para os jovens, estar entre os silvícolas brasileiros. "Ainapo yakoé" por também me representarem nesse evento. Me senti junto com vocês aí.