terça-feira, 10 de setembro de 2013

O Congresso de jovens na ótica de uma jovem


Antes do Congresso de jovens foi sugerido o nome da irmã Gleici Delfino da Silva para fazer um resumo para a igreja de tudo que foi tratado. No domingo, dia 08, à noite, na igreja da Vila Planalto, a jovem apresentou o seu relato.


Resumo apresentado pela irmã Gleici Delfino da Silva.

Nos dias 6 e 7 de Setembro de 2013, aconteceu na Igreja Evangélica Neo Testamentária da Vila Planalto em Campo Grande – MS o congresso de jovens, cujo o tema foi “EU DECIDI ESPERAR”, onde foram tratados os assuntos namoro, noivado e casamento. Na sexta-feira dia 6 às 19:30, aconteceu a abertura do congresso, dirigido pelo irmão Pr. Antônio Torrezan. O Pr. Antônio iniciou a reunião mascando um “chiclete” e oferecendo o mesmo para os jovens, e claro, ninguém aceitou. Os jovens só aceitaram quando foram oferecidos “chicletes” embalados. Todos, então puderam abrir a embalagem e saborear o seu próprio “chiclete”. Assim é o namoro. Ninguém quer um “chiclete” mascado por outra pessoa. Todos querem o seu próprio “chiclete”, abrir o lacre e sentir o sabor que só você vai sentir. Por isso os jovens devem se manter puros, intactos, até o dia do casamento. Foi feita ainda uma segunda ilustração representando o que acontece com um casal que passa pela separação. É como duas metades de uma folha de papel, iguais, como o homem e a mulher, feitos imagem e semelhança de Deus. Quando as metades são coladas, representando a união do casamento, e depois descoladas, representando a separação, deixa marcas e vestígios de um no outro. Assim como acontece quando um casal se separa. Assim foi a abertura do congresso de jovens. Serviu para os jovens terem uma idéia do que seria abordado no próximo dia de congresso e ficarem marcados pela mensagem das ilustrações. No sábado pela manhã, os jovens receberam o Pr. Peter e sua esposa Ester, da Neo da Vila Kellen em Campo Grande – MS. Foram eles quem ministraram os estudos do congresso. Antes de começar os estudos, foi pedido aos jovens que revelassem suas expectativas em relação àquele congresso. As expectativas ditas pelos jovens, foram: fortalecimento, aprendizagem, crescimento, experiências e esclarecimento. O primeiro estudo foi baseado em Hebreus 11, que cita pessoas de fé da bíblia. A princípio parece que esse capítulo não tem muito haver com o tema, mas quando estudamos, percebemos que todas essas pessoas citadas, estão de alguma forma, ligadas à família. Noé salvou a família na arca. Abraão recebeu a promessa de uma grande família. Sara a promessa de um filho... e assim com todos os outros, aos quais também Deus fez alianças. E em todas as alianças que Deus faz como o homem, Ele exige um sacrifício, assim como na nossa aliança com Deus foi preciso o sacrifício de Jesus. Por isso precisamos honrar as alianças que fazemos, como a aliança do casamento. Foi lido Gênesis 2:24, que diz: “Portanto deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á a sua mulher, e serão ambos uma carne.” Foi explicado então, sobre três tipos de DEIXAR. O DEIXAR geográfico, o DEIXAR espiritual e o DEIXAR financeiro. Foi lido também I Timóteo 5: 1-2, onde Timóteo é aconselhado a tratar as moças de forma a não levá-las ao pecado. Foi citado o exemplo de Saul, que não soube esperar o tempo e a vontade do Senhor e o reino foi tirado de suas mãos, em I Samuel 13. O segundo estudo foi trazido pela irmã Ester, que tratou do jugo desigual. Começou dizendo que nós, seres humanos, somos levados pela maioria. Nós queremos sempre estar no meio da massa, mas devemos sempre nos lembrar dos versículos: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios (...)”Salmos 1:1; “Ser-me-eis santos, porque eu, o Senhor, sou Santo e separei-vos dos povos, para serdes meus.” Levítico 20:26. Dessa forma então, não devemos andar em jugo desigual, como diz em II Coríntios 6:14: “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” E ainda: “(...) Todo o reino dividido contra si mesmo será assolado; e a casa dividida contra si mesma cairá.” Lucas 11:17. Foi explicado e dado conselhos sobre relacionamentos onde há diferenças de emprego, salário, cultura, personalidade, etc. E, para os solteiros e solteiras, foi citado os versículos de I Coríntios 7: 32 e 34, que diz: “(...) O solteiro cuida das coisas do Senhor, em como há de agradar ao Senhor.” E o versículo 34 para as meninas: “(...) a solteira cuida das coisas do Senhor para ser santa, tanto no corpo como no espírito.” Depois do almoço, tivemos o terceiro estudo. Para este momento, foi separado dois grupos, um dos rapazes e outro das moças. Foi um tempo muito proveitoso, cada grupo teve muita liberdade para tratar de qualquer assunto, fazer perguntas e tirar dúvidas. O quarto e último estudo foi trazido pelo Pr. Peter, que iniciou tocando uma música que diz: “Casar é muito bom, quem vai querer?” Foi um tempo em que foram abordadas as características que se deve buscar quando for escolher o marido ou a mulher. Às moças foi dado um conselho muito interessante: “Escolha um homem que seja submisso ao Senhor para se submeter.” E ainda as seguintes perguntas para se fazer quando for escolher o marido: “Ele honra aos pais? O que ele pensa sobre ter filhos? Ele gosta de animais? É generoso? Sabe ouvir bons conselhos? Com quem ele anda? É controlado ou irado? Ele é trabalhador ou preguiçoso? É um bom amigo? Ele controla seus lábios ou te humilha na frente dos outros?” E as três principais perguntas a se fazer quando for escolher o marido: “Ele é mulherengo? É alcoólatra? É irado?” Aos rapazes, foi aconselhado fazer as mesmas perguntas, e acrescentou-se as seguintes: “Ela é discreta? É sábia, prudente? Discute, é briguenta? Ela é trabalhadora, criativa, empreendedora? Seus pais aprovam o casamento?” E, por fim, foi dado o testemunho do casal Peter e Ester, principalmente do noivado e do casamento. Ao fim do congresso os jovens fizeram suas considerações finais e agradecimentos aos palestrantes. Expressaram a satisfação em terem as suas expectativas iniciais atendidas: fortalecimento, aprendizagem, crescimento, experiências e esclarecimento.
Editado por isa2 e Rô

4 comentários:

Ivon Pereira da Silva disse...

Eu nunca soube nada sobre namoro, noivado e casamento, porém, Deus me concedeu uma esposa, jovem, bonita, simples e extremamente dedicada com bem estar da sua família e de todas as obrigações do lar. Agradeço a Deus por esse privilégio. Infelizmente, hoje como Presbítero, tenho procurado ajudar muitas famílias, que estão aos pedaços, por falta de receberem as instruções necessárias na construção de uma família, alicerçada nas verdades que foram relatas pela nossa querida e amada irmã Gleice. Que Deus abençoe todos vocês, que receberam essas abençoadas informações para terem famílias felizes e exemplo para suas igrejas locais.

Zigomar disse...


"Quem espera sempre alcança". Esperar com fé, como diz no versículo de
Hb. 11:1. "Ora, fé é a certeza de coisas que se espera e a firme convicção de fatos que se não veem".
Sempre vamos ouvir testemunhos maravilhosos daqueles que receberam após terem esperado no Senhor. Ele tem Seu tempo para tudo! Eu digo isto com propriedade!

Prof. Izaias Resplandes disse...

Meus filhos estiveram participando desse Congresso e fico muito satisfeito de conhecer a temática e de como a mesma foi desenvolvida. Deus inspirou os irmãos que trouxeram os ensinos, deu-lhes muita sabedoria e sinto, pelo relato da jovem irmã que os estudos foram assimilados. Nossa prece é que tudo o que foi assimilado seja transformado em obras concretas por cada jovem. É assim que o aprendizado se concretiza. Enquanto ficar apenas no campo teórico, há pouco valor, mas quando posto em prática, os resultados são magníficos. Deus abençoe os irmãos que se dedicaram a esse empreendimento em prol dos jovens da igreja. Abraços fraternos.

Josiane disse...

Que legal gente, dinamismo, é isso que faz a diferença nos ensinamentos para jovens, eles estão aí, dispostos a aprender com os casais mais experientes, começando uma vida, iniciando relacionamentos, que possivelmente serão para uma vida inteira, falta a nós aprender a ensinar de maneira diferenciada, e dar a devida importância à prevenção antes da disciplina, ensinar antes de repreender pelo erro cometido. E aos jovens, o quanto é importante dar ouvidos, que diferença fará em seus futuros casamentos. Deus os guarde e guie em toda a decisão!