sábado, 23 de setembro de 2017

A prioridade do cristão

A prioridade do cristão

Prof. Izaias Resplandes de Sousa

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas. Mateus 23:23.

O envolvimento com as coisas secundárias, ao invés das prioritárias é um costume generalizado. Isso não é somente com o cristão. De um modo geral, as pessoas agem dessa forma. Mas aqui nos deteremos apenas nas atitudes dos cristãos. Quanto aos demais, vale a máxima de Jesus… Segue-me, e deixa os mortos sepultar os seus mortos. Mateus 8:22.

É secundário tudo aquilo que não se encaixar no prioritário. Segundo Jesus, a prioridade deve ser: a) o mais importante da lei; b) o juízo; c) a misericórdia; e, d) a fé.

Estabelecer como prioritário o mais importante da lei não é tarefa das mais fáceis, mas Jesus fez um resumo que nos será bastante orientativo. Ele disse que toda a lei e os profetas dependem de dois mandamentos, quais sejam: 1) Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento; e, 2) Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Mateus 22:37-40.

Em relação ao juízo, é de suma importância ter consciência de que não vamos estar aqui na Terra para sempre. Um dia iremos partir para gozar a eternidade da vida ou sofrer os rigores eternos da morte, que serão as duas únicas possibilidades bíblicas de destinos post mortem para o homem. Fazer uma boa escolha em relação a isso é tão importante que, segundo Jesus, o homem deve empregar esforço para escolher o melhor, que é a vida, porque poucas pessoas conseguem fazer isso com a responsabilidade requerida. Assim disse Jesus: Porfiai por entrar pela porta estreita; porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão. Lucas 13:24.

A misericórdia é outro dos quesitos principais que costumam ser relegados para um aspecto secundário. Normalmente, ela é substituída pelo sacrifício. Aliás, foi justamente por causa dessa ignorante troca de posicionamento, que os fariseus receberam uma severa reprimenda do Senhor Jesus. Disse-lhes ele: Se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes. Mateus 12:7.

E por último, nós temos na fé, o ingrediente que não pode faltar na vida daquele que almeja a convivência eterna no Céu, junto ao Pai, aos anjos e a todos os redimidos pelo sangue de Jesus.

E então é isso. Mas, em que pesem esses quatro quesitos terem sido destacados pelo Senhor Jesus como prioritários para a vida do cristão, a maioria de nós, depois de algum tempo de convertido, costuma seguir pela contramão dessa orientação messiânica, deixando esses pontos de lado e dando mais importância a questões seguramente secundárias. Todavia, enquanto vivermos, sempre será o tempo certo para fazermos as correções de percurso. Assim disse Jesus: Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres. Apocalipse 2:5.

A Bíblia traz alguns exemplos de pessoas que se desviaram dos objetivos principais em prol de objetivos secundários. Vejamos alguns…

Marta de Betânia, irmã de Maria (aquela que ungiu Jesus com um perfume caríssimo) e de Lázaro (aquele que foi ressuscitado por Jesus) foi uma das pessoas que sofreu uma reprimenda de Jesus, nesse sentido. Assim disse o Mestre: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária. Lucas 10:41.

O que acontecia com Marta é que ela se preocupava demasiadamente com as questões materiais. Assim escreveu o evangelista: E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa. E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada. Lucas 10:38-42.

Os escribas e fariseus também foram recriminados por Jesus por darem prioridade ao secundário, em detrimento do primário. O versículo que destacamos na introdução dessa mensagem trata dessa questão: Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas. Mateus 23:23.

Quantos de nós não faz exatamente o mesmo que faziam os escribas e fariseus? Normalmente, as prioridades do cristão são: a) ir à igreja; b) ler a Bíblia; c) pedir oração; d) preocupar-se com o modo de vida dos demais cristãos; e) dar o dízimo apenas do salário (quando dá); f) ofertar pouco e normalmente quando for pedido e ainda fazer propaganda do que fez; e, g) outras coisas semelhantes que agora não me passam pela memória. Eu diria que se essas coisas não forem precedidas por aqueles quatro pontos destacados por Jesus, elas não servem para nada, ou só servirão para reforçar a condenação de seu praticante, posto que apenas provariam que esse tal não é um cristão de verdade, embora possa ter a aparência de um. E, se age assim, com sinceridade, ou seja, acreditando que esteja fazendo a coisa certa, então é hora de abrir os olhos e seguir a orientação bíblica: como podes dizer a teu irmão: Irmão, deixa-me tirar o argueiro que está no teu olho, não atentando tu mesmo na trave que está no teu olho? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verás bem para tirar o argueiro que está no olho de teu irmão. Lucas 6:42.

Diz o ditado que ao apontarmos um dedo indicador para outrem, temos vários outros dedos apontando para nós mesmos. Tudo que Jesus fez, ele o fez para nos legar como exemplo, para que, da mesma maneira que Ele fez, nós também pudéssemos fazer. Jesus alimentou as multidões famintas; nós negamos um salgado ou um real para um pedinte. Jesus, sendo Mestre e Senhor lavou os pés de seus discípulos; nós nos achamos muito melhores do que aqueles que chamamos de perdidos, porque “não fazemos” tantas coisas erradas como eles; nós desviamos de socorrer vítimas de acidente, de testemunhar em crimes, de doar sangue e órgãos aos que precisam, de convidar para as nossas festas aqueles que não nos convidam para suas festas;  não gostamos de participar das festas de aniversário, de casamento e de confraternização e, tampouco dos velórios; não temos o hábito de visitar doentes em hospitais, idosos em asilos e presos em cadeias; nós defendemos a tese de que “nego bom não se mistura”; e vamos por aí afora. Não estamos nem aí pelos outros, mas queremos que o Senhor esteja bem atento a nós.

E o que Jesus responde para nós, quando agimos pensando apenas em nós, é isso: Em verdade vos digo que vos não conheço. Mateus 25:12.

Como assim, “não vos conheço?”, você estar se perguntando. E Jesus responde assim: Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade. Mateus 7:16-23

A vida cristã é uma vida em prol do outro. Não estamos no mundo por nossa causa. Estamos aqui para levar a salvação para as outras pessoas, para conduzi-las a Jesus. Mas a maioria de nós só está preocupada com o que acontece em torno de seu próprio umbigo. Sequer nos incomodamos com aqueles familiares que estão mais próximos de nós, como pais, filhos e irmãos. Jesus fez o que normalmente é impossível fazer, mas nós nem para o que é possível nos dispomos. Sempre foi assim, ontem e hoje. E o que Jesus disse para as pessoas de ontem, também vale para nós e as pessoas de hoje.

A Palavra diz que Jesus, vendo comportamentos semelhantes a esses, não aguentou ficar calado. E então começou ele a lançar em rosto às cidades onde se operou a maior parte dos seus prodígios o não se haverem arrependido, dizendo: Ai de ti, Corazim! ai de ti, Betsaida! porque, se em Tiro e em Sidom fossem feitos os prodígios que em vós se fizeram, há muito que se teriam arrependido, com saco e com cinza. Por isso eu vos digo que haverá menos rigor para Tiro e Sidom, no dia do juízo, do que para vós. E tu, Cafarnaum, que te ergues até ao céu, serás abatida até ao inferno; porque, se em Sodoma tivessem sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje. Eu vos digo, porém, que haverá menos rigor para os de Sodoma, no dia do juízo, do que para ti. Mateus 11:20-24.

Jesus foi rigoroso com os irmãos Boanerges e sua mãe porque queriam posições privilegiadas em seu Reino. Assim diz a Palavra: Então se aproximou dele a mãe dos filhos de Zebedeu, com seus filhos, adorando-o, e fazendo-lhe um pedido. E ele diz-lhe: Que queres? Ela respondeu: Dize que estes meus dois filhos se assentem, um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu reino. Jesus, porém, respondendo, disse: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu hei de beber, e ser batizados com o batismo com que eu sou batizado? Dizem-lhe eles: Podemos. E diz-lhes ele: Na verdade bebereis o meu cálice e sereis batizados com o batismo com que eu sou batizado, mas o assentar-se à minha direita ou à minha esquerda não me pertence dá-lo, mas é para aqueles para quem meu Pai o tem preparado. E, quando os dez ouviram isto, indignaram-se contra os dois irmãos. Então Jesus, chamando-os para junto de si, disse: Bem sabeis que pelos príncipes dos gentios são estes dominados, e que os grandes exercem autoridade sobre eles. Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal; e, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo. Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos. Mateus 20:20-28.

E então é isso. O secundário pode ser qualquer coisa e pode ser praticado desde que o primário seja feito. E ainda que devemos cuidar de nós com zelo, não somos o primário; o primário é o outro. No dia em que aprendermos a viver em função do outro na prática e não apenas na teoria, nós estaremos dando os nossos primeiros passos no Reino de Deus. Enquanto isso não ocorre, a verdade é uma só. Nós não estamos no espírito de Cristo e ainda não pertencemos a Ele, conforme diz a Palavra: Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. Romanos 8:9.

E, se a situação é essa, então Jesus tem uma mensagem para nós hoje. E sua mensagem é a seguinte:

Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo. Apocalipse 3:20.

Que possamos refletir sobre essas questões fundamentais.

Deus nos abençoe!

2 comentários:

UMNT missão disse...

Muito bom este artigo meu irmão. Vamos transformá-lo em áudio?
Seria bom esta disponível na internet para rádio web.
Abraço. sua mensagem fala ao coração de forma pratica.

Mariza Resplandes disse...

Que mensagem, pai! Ações de amor, servir ao outro, essa é uma luta diária. Obrigada por me lembrar o que é fundamental. Te amo.