terça-feira, 17 de agosto de 2010

Aquele menino

AQUELE MENINO.

Aquele menino franzino, tímido e pacato chegava em casa, com a roupa coberta pelo barro amarelo da cerâmica onde trabalhava. Era meio dia, seu estômago estava vazio e em seu humilde rosto havia um semblante de alegria com um misto de preocupação. Seus outros dois irmãos que eram também colegas de trabalho, já haviam chegado. Por capricho, foi que aquele menino deixou para chegar por último em casa, para almoçar.
Era segunda feira. Apesar da preocupação que transparecia no rosto, havia uma alegria estranha no coração. Na noite anterior, esse pacato menino havia participado de um evento, do qual sabia que era totalmente contra a vontade de sua família. Havia participado de um Culto Evangélico. E não só participado, como também havia feito uma decisão que lhe mudaria toda a vida. Decisão esta que nem ele mesmo entendia o porquê, já que era, até então, radicalmente contra essas idéias, como toda a sua família.

Seu irmão mais velho, que se apressara para chegar em casa antes dele naquele dia, havia presenciado a decisão que este fizera na noite anterior. Com certeza, sua mãe que era radicalmente contra os evangélicos e que não era muito simpática, agora também, muito horrorizada já sabia do acontecido. Era realmente uma boa razão para que o tal menino ficasse tão preocupado. Que explicação ele daria para sua mãe e para o restante da família? Ele que também era contra tudo, no que dizia respeito de crentes? Povo que até então era considerado por ele mesmo como ante Cristo! Quando se comentava sobre crentes, ele era o primeiro a criticá-los! Mas, uma mudança brusca e inexplicável havia acontecido na vida daquele menino naquela noite de Domingo.
Aquele menino, agora havia aceitado o desafio de também ser um crente! De se unir àquele povo, de participar e aprender de suas idéias. Com a cabeça cheias de diversos pensamentos para sua defesa, Estava já chegando em sua casa para o almoço.
Antes mesmo de entrar pela porta da frente, foi abordado pela sua mãe que queria uma explicação a qualquer custo. Não havendo, ela, sua mãe, se pôs em desabafo e a pragueja-lo de todas as formas, com frases cada vez mais aguilhoadas, tais como: Não sou mais sua mãe, e estes não são mais seus irmãos. O que vais fazer agora? Você é um traidor e traiu toda a sua família. E tem mais, quando for se casar, o que provavelmente será com uma "crentinha", não me convide. Eu não vou, e não deixarei que ninguém daqui, vá.
O menino, sofrendo agora ainda mais, virou-se simplesmente, e retornou para o trabalho soluçando e chorando muito. Pensativo, mesmo sem almoço, andando pelo mato para que ninguém o visse chorando pela estrada, foi valente e continuou com a idéia. A decisão estava feita. Voltar atrás, jamais. Afinal foi essa a mais sublime de todas as decisões que esse garotinho havia feito em toda a sua vida.
Aquele a quem ele havia aceitado era nada mais nada menos que O Rei dos reis e Senhor dos senhores, o Filho de Deus, Jesus Cristo.
E aquele menino franzino, tímido e pacato, era eu.
Zigomar de Oliveira Silva.

5 comentários:

Victor Hugo disse...

Zigo, graças a Deus você teve dircenimento pra fazer a melhor escolha, apesar de recém convertido. Mas além de tomar posse da salvação, ganhou muitos irmãos, irmãs, pai e máe. ah e uma "crentinha" RSRS.
agora posso tambem saber que você chorou um dia, pois com esse jeito "durão", pensei que não chorasse. Dou graças a Deus por tudo o que tenho aprendido com você. Que Deus continue abençoando você e sua familia nesta caminhada missionária, pois hoje você não é mais um menino franzino e sim um SERVO DE DEUS.

Seu irmão Victor Hugo

Rosangela Lins Almeida disse...

Zigo que alegria ver que aquele menino tímido, franzino ao encontrar o Rei dos Reis se tornou um homem destemido, de convicções fortes e Embaixador do Senhor Jesus.

Zigomar disse...

Isso acontece realmente quando uma pessoa tem um encontro com o Senhor! Graças a Deus por isso!

Abraço.

Isa2 disse...

Parabens menino que fez a escolha certa e que agora esta contando e contará para muitos e muitos meninos quem é o Rei dos reis.

Mildre Paulo Pelizer disse...

Fiquei mto emocionada com esse belo e maravilhoso testemunho, que seja divulgado sempre e não ocasionalmente, pois muitos se beneficiará com tão grande coragem de enfrentar familiares e o proprio inimigo de nossas almas, optando pelo Senhor Jesus. Zigo que o Senhor continue te usando para Sua Honra e gloria.