sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Tempo de Agradecer



Tempo de Agradecer

Prof. Izaias Resplandes

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Ec 3:1. Todavia, sempre é tempo de agradecer. Não há nada pior do que uma pessoa abençoada mal-agradecida. E dificilmente encontraremos uma pessoa viva que não tenha sido abençoada.
A vida é a maior de todas as bênçãos. Levantemos as mãos para os céus e agradeçamos a Deus pelo dom da vida. Mas alguém diz: eu estou doente, como vou agradecer por isso. Eu te digo que você está doente, mas está vivo. Poderia ser pior. Você poderia estar morto.
É preciso que aprendamos como administrar a nossa abençoada vida, ainda que seja uma vida sofrida. Temos muito que aprender nessa área com a parábola dos talentos contada por Jesus para apresentar o reino dos céus, registrada em MT 25:14-30.
Jesus disse que certo homem, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens. E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe. E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles. Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles. E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor. E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos. Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor. Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste; E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu. Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros. Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos. Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado. Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
É de observar que o fardo de cada um é segundo a sua capacidade. Deus não coloca sobre nenhum de nós um fardo que nós não temos condições de carregar. Ao convidar os cansados e sobrecarregados para se aproximarem dele, Jesus disse, conforme registro em MT 11:28-30: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.
Em nenhum momento o Senhor disse que não teríamos um fardo para carregar. Sim, todos que somos descendência de Deus temos uma missão a realizar. Não viemos a este mundo para ficarmos de braços cruzados, como diz o cantor Raul Seixas: “com a boca escancarada cheia de dentes, esperando a morte chegar”. Nós viemos ao mundo para trabalhar e realizarmos a obra do Criador.
Nós somos os braços e as pernas uns dos outros. Viemos ao mundo para servir uns aos outros com alegria, prazer, entusiasmo. Em Sl 100:2 encontramos essa sublime mensagem: Servi ao Senhor com alegria; e entrai diante dele com canto.
Nossa missão é servir uns aos outros com boa vontade e disponibilidade, sem constrangimento. O apóstolo Paulo traduz essa missão em Gl 5:13, com as seguintes palavras: Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor.
Tem gente que acha que só pode fazer alguma coisa boa para outrem se for obrigado. Meus queridos escutem isso: Nada que a gente faz “obrigado” é bom. A coisa obrigada deixa um gosto amargo e desagradável na boca, é cansativa, chata e cheia de enfado... Ao contrário, quando a gente faz de boa vontade, até o amargo é doce.
O segredo de uma vida feliz está em sentir vontade de fazer pelos outros, em sentir o desejo de ser útil. O que não tem esses sentimentos dentro de si é como alguém completamente saciado, que prefere pisar na comida ou jogar fora o remédio do que doá-los para alguém. É assim que o sábio Salomão registra em Pv 27:7: A alma farta pisa o favo de mel, mas para a alma faminta todo amargo é doce.
Não posso dizer muito sobre os segredos do coração de cada um, porque quem conhece a gente é somente a gente mesmo e Deus, que é onisciente e conhece tudo. Mas posso dizer que se não tivermos esse desejo de abrir o nosso coração e a nossa alma em favor de nosso semelhante, certamente não temos o espírito daquele que deu a sua vida para nos salvar. Porque Deus prova o seu próprio amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores [Rm 5:8]. Esse é o Espírito de Cristo.
Há duas coisas fundamentais que Deus espera de nós: uma, que sejamos bem dispostos para fazer o bem a todos e outra, que sejamos bem agradecidos pelo que temos recebido em nosso benefício.
Hoje é tempo de agradecer, tempo de louvar a Deus pelos benefícios recebidos. Hoje é tempo de agradecer pela nossa vida, pela vida de cada um de nossos familiares: de nossos pais, filhos, netos, irmãos, amigos. Não importa se a vida seja sofrida ou abundante. Devemos, como o apóstolo Paulo, aprender a viver contente em toda e qualquer situação. Assim diz ele em Fp 4:12-13: Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.


Com a prima Rosimeire, Edvaldo e sua filhas Arielly, nos EUA

Em particular, hoje queremos agradecer a Deus pela vida de Arielly, filha de nosso irmão em Cristo Edvaldo Souza Luz, de Santo Antônio do Leste, MT.
 
Arielly
A criança nasceu com uma doença rara que impede que o fígado processar certos aminoácidos presentes nos alimentos e que são indispensáveis para a sua saúde. Ela está sendo tratada com orientação de um médico dos EUA. E graças ao apoio que tem recebido, Arielly tem sobrevivido e nesta semana está completando um ano de vida

Aparecida e Edvaldo com os filhos Arielly, Vinícius e Priscila

Graças a Deus por essa vitória!

6 comentários:

Ivon Pereira da Silva disse...

É muito bom ler artigos produzido com o objetivo, de despertar o nosso dever de ser grato por todos os acontecimentos na jornada da vida.
Continue produzindo artigos que desperte a irmandade.

Ivon Pereira da Silva disse...

A história da pequena Arielly é um aprendizado de vida para todos nós. Deus abençoe o Edivaldo, a Cida, a Priscila e o Viniciu. Deus sejas continuas as tuas ricas bençãos com a pequena, grandiosa, encantadora Arielly.

UMNT missão disse...

Izaias, o homem não gosta de agradecer, é natureza dele. Ainda bem que o Senhor tem nos ensinado que em tudo devemos dar graça.
Quanto a família do irmão Edvado, eles e são uns vencedores...
isa2

UMNT missão disse...

Izaias, o homem não gosta de agradecer, é natureza dele. Ainda bem que o Senhor tem nos ensinado que em tudo devemos dar graça.
Quanto a família do irmão Edvado, eles e são uns vencedores...
isa2

Zigomar disse...

A graça é um dom de Deus! Que bom quando aprendemos a ser agradecidos!

Deus abençoe a cada dia a pequena Ariely que eu tive o privilégio de conhecer aqui em Porto Alegre. Que o Edivaldo, Cida, Priscila, Vinícios e os demais familiares, sejam ricamente abençoados através desse "anjinho".

Josiane disse...

Menina guerreira. Deus dê a ela vida em abundância a cada dia e muita saúde a essa vitoriosa!